28/06/16

Literatura LGBT - Terezinha, de Josué Souza


A Hoo Editora, especializada em livros LGBT, lança seu novo título: Terezinha, de Josué Souza. O evento acontecerá no dia 05 de julho, às 19 horas, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, localizada na Avenida Paulista, 2.073, em São Paulo. A obra está em pré-venda no site da Hoo Editora.


Composta por 17 contos, a obra aborda o gênero queer, termo usado para designar pessoas que não seguem o padrão da heteronormatividade ou do binarismo de gênero. “Procurei dialogar com o discurso hegemônico: as dicotomias entre homem e mulher, os corpos, os desejos; tudo aquilo que, diante de um parâmetro concebido, mas nunca questionado, não aponta pra outra direção, outras possibilidades”, conta o autor.

Com o desenrolar das histórias, o autor busca desconstruir conceitos pré-definidos e baseados em regras e padrões de comportamento, com uma estrutura que vai do inusitado ao magnífico. Segundo Josué, o livro procura discutir a questão do universo LGBT pela ótica do direito à existência. “Como elas [pessoas inseridas no universo LGBT] não estão colocadas dentro da ‘normatividade’, elas passam a habitar o local da não existência, à margem, às sombras do mundo de possibilidades”, comenta.

Com duas obras já publicadas – Aos Cuidados e As cores de ser – eu-livro – e participação em coletâneas, Josué começou a escrever aos 15 anos, inspirado por sua paixão por Clarice Lispector. Sempre buscou explorar a temática da diversidade, mostrando que “ser diferente não significa ser errado, como versam o discurso hegemônico e o de preconceito; é perfeitamente natural ser diferente”.

Dessa forma, surgiu espontaneamente a inspiração para ingressar na literatura LGBT. E foi nesse contexto que Josué encontrou a Hoo Editora. “Acredito que ainda haja muita resistência no mercado brasileiro à literatura LGBT. Nesse sentido, a hoo foi um verdadeiro achado! Acreditei que teria uma chance verdadeira de ter meu trabalho avaliado adequadamente. Os desafios são enormes, mas fico muito feliz em contribuir para que essa temática tenha cada vez mais espaço e representatividade”, finaliza.


Terezinha, Hoo Editora, 144 páginas, R$ 29.90
Pré-venda pelo site da Hoo Editora – hooeditora.com.br


Noite de autógrafos: Livraria Cultura do Conjunto Nacional
Endereço: Avenida Paulista, 2.073 – São Paulo
Data: 05 de julho
Horário: 19 horas

27/06/16

Livro infantil sobre garoto órfão debate temas controversos na sociedade


Em As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magnum, a autora capixaba Elaine Bastos Mayworm traz para o público infantil uma narrativa sobre liberdade interior e coragem para se descobrir. Com desenhos da ilustradora Ana Branco, o título discute muitas questões com todos os leitores, como: a importância de investigar o que os instiga, de compreender a inquietação que move toda criança a conhecer a si mesma e o mundo.


Apaixonada por histórias, Elaine dedica seu tempo para encantar jovens e crianças através das aventuras que escreve, sempre cercadas de magia e muita emoção. Abordando temas tão controversos na atualidade, As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magnum revela importantes lições para os pequenos.

Na história, Peter é um garoto órfão, que vive em uma cidade chamada Sem Sorriso. A vida dele costumava ser monótona, até o dia que encontra uma concha mágica que lhe disse um segredo surpreendente – o misterioso unicórnio branco desejava ser livre, e Peter era o único que poderia ajudá-lo. Com isso, o personagem parte em uma aventura pela floresta encantada para cumprir essa missão. Ele só não contava que o terrível mago da noite, o Mago Magnum, iria tentar atrapalhar os seus planos.

“– Mas – balbucia Peter – onde posso encontrar o unicórnio? – Contudo, ao pronunciar estas palavras, quase não consegue ouvir o restante da canção“... O terrível Mago da Noite, o Mago Magmum, dentro da Floresta Encantada...”

Determinado a seguir o sonho de libertar o animal, Peter está disposto a enfrentar todos os desafios que aparecem no caminho. O enredo destaca a importância da autodescoberta e da coragem para enfrentar situações novas, temas essenciais para a juventude. Com essa narrativa, a autora cria um ótimo exemplo para todos os jovens e crianças. Afinal, para eles todos os dias é uma grande descoberta.

Sobre a autora:
Elaine Bastos Mayworm escreve histórias para jovens e crianças e já publicou o livro O Segredo da Harpa Dourada, que também leva os pequenos a descobertas incríveis e os transporta para o universo dos verdadeiros contos de fada. 
Elaine nasceu em Colatina, no Espírito Santo, cresceu no Rio de Janeiro e hoje mora em Ubatuba, em São Paulo. Sobre sua história ela revela: “Tenho dois netos maravilhosos: Lara e Pedro. Adoram histórias! Mas é assim mesmo, quem é que não gosta?".

Ficha técnica:
As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magnum
Tamanho: 21x25cm
ISBN: 978-85-8442-138-1
Páginas: 48


Me acompanhe também nas redes sociais: Facebook ♥ Twitter ♥ Instagram ♥ Skoob ♥ Google+

24/06/16

Muito além de Aristóteles


Guerras, mentiras, metáforas e números. Em meio às propriedades matemáticas do Teorema de Pitágoras, a autora, natural de Porto Alegre, Gabriella Hammes Varela cria um mundo completamente ilusório e vertiginoso, que intriga pela ampla percepção do tempo, espaço e lógica. 

O livro Mundo Numérico narra a história de Sophie, uma jovem sem passado, futuro e presente. Presa em um universo paralelo, no qual as existências colidem entre si e as realidades são ilusórias, a heroína precisa descobrir a essência da razão pela qual ela mesma existe.


Batizada pelo número Quatro, Sophie precisa compreender o funcionamento desse novo mundo, do por que ela não possuir memórias da vida anterior, e qual o verdadeiro propósito dela ter renascido nesse universo. Afinal, qual o critério para os números ímpares e pares causarem uma guerra sem lógica nem razão?

“– Não compreendo! Onde estamos?
– Na floresta √14!
– E qual o nome desse planeta? – Minha garganta estava se fechando de desespero.
– É -√π/2 – respondeu ela, me olhando confusa. – Por que pergunta isso? Parece um número primo fazendo perguntas tão bobas.
– Eu estou vivendo um pesadelo! – Escorei-me na árvore mais próxima. – Estou arruinada...Perdida!
– Não está perdida! Nossa localização é √14,27. Eu sei onde estamos. Você está pálida...”

Intrigando o leitor sobre o universo dos números na literatura, Gabriela romantiza uma excepcional aventura, que desafia os conhecimentos daqueles que apreciam a matemática. Ao mesmo tempo, a autora tece uma trama tão instigante para os leitores que, sejam em números, letras ou símbolos, todos irão deleitar-se com a obra. 

“– Essa é a número quatro – apresentou Hipotenusa.
– Eu sou o Cateto Oposto – disse o menino alto.
– Eu sou o Cateto Adjacente – falou o baixo.
– Nosso pai, Pitágoras, está viajando em busca de nossa mãe. Estamos aqui para substituí-lo. Qual sua dúvida?
– Tantas...[...]”


Sobre a autora:
Gabriela Hammes Varela, nascida em Porto Alegre, começou a escrever, desde seus 7 anos de idade, pequenos contos. Estudante de Biologia, aos 20 anos, mora com sua família na capital gaúcha. Começou a escrever livros aos 13 anos e aos 16 produziu Mundo Numérico. Amante de livros de vicção, como os de Moacyr Sdiar, Douglas Adam e J. K. Rowling.

Ficha técnica:
Mundo Numérico, Gabriella Hammes Varela
Tamanho: 23x16
ISBN: 978-85-8442-128-2
Páginas: 160

23/06/16

Livro revela diversas teorias do universo geek que você nunca pensou existir!


Luke Skywalker não sabe ler. Como assim?
Luke Skywalker não sabe ler e outras verdades geeks, é o primeiro livro do autor Ryan Britt, que promete contar muitas verdades sobre esse universo geek tão adorado. Publicado pelo selo Chronos da Editora Pandorga, a obra revela respostas para perguntas nunca antes pensadas por esse público.


Afinal, como o próprio autor escreve: “Se houvesse um grupinho onde todos concorda­vam em ser normais juntos, eu não fazia parte dele.” Ryan era um geek antes mesmo desse termo ser relacionado com pessoas legais, e antes de todo esse universo se tornar mais popular do que nunca.

“[...] a Gap, de repente, está vendendo camisetas do Star Trek. Parece que de uma hora para outra, ser “geek” passou a ser legal, e um artigo de um blog alardeia que os geeks não apenas estão na moda, como também a moda veio para ficar. Os geeks herdaram a Terra, e é por isso que Star Trek, Star Wars, os heróis de histórias em quadrinhos e os romances fantásticos estão mais populares do que nunca. ” (p.10)

Com capítulos curiosos, conspiratórios, engraçados e “polêmicos”, o livro convida os leitores a entrar na cabeça maluca do autor, conhecer um pouco de sua vida e verdades geeks. Com uma linguagem bem informal e descontraída, e abusando de criatividade mesclada com sua maluquice, o escritor recheia a obra com referências cinematográficas.

“Alternando entre anedotas pessoais, insights hilários e análises inteligentes, Luke Skywalker não sabe ler e outras verdades geeks irá mostrar que Barbarella é bom pra você, que filmes de monstros não passam de comédias com problemas de compromisso, que Drácula e Sherlock Holmes são completos hipsters e o mais chocante: que todos no universo Star Wars são analfabetos funcionais.” (capa).

O livro é feito para todos aqueles que já fingiram que a lanterna era um sabre de luz, enfrentaram filas de cinema à meia-noite ou sonharam em ser abduzidos por alienígenas. Luke Skywalker não sabe ler e outras verdades geeks, está aquém da cultura pop-literária e vai contar histórias como: por que os robôs hipsters vão salvar a todos nós; por que ninguém se incomoda com as novas versões de Hamlet; como seria se Frodo não existisse; e alguma teoria maluca sobre De volta para o futuro.

Sem dar spoilers, listamos abaixo 10 curiosidades exclusivas da mente de Ryan Britt:

  1. O que ficção científica tem em comum com rock-and-roll?
  2. Todos no universo Star Wars são analfabetos funcionais mesmo?
  3. Afinal, os vampiros são sexys?
  4. Existe mesmo alguma relação entre ficção científica e Sherlock Holmes?
  5. Qual a semelhança entre Pete Best e Ringo Star com Frodo e Bilbo Bolseiro?
  6. Capitão Kirk é o pai de Luke Skywalker?
  7. Por que os robôs hipsters vão salvar nossas vidas?
  8. Será que alguém liga para as novas versões de Hamlet?
  9. Será que compreendemos tudo à respeito do “De Volta para o futuro”?
  10. Como Doctor Who pode mudar a sua vida?

Sobre o autor:
Ryan Britt é escritor e ensaísta, que sempre gostou de escrever sobre coisas. Recebeu educação sexual a partir de imagens sensuais de dinossauros, ficou com Jar-Jar Binks à meia-noite e descobriu como acabar com a depressão após uma maratona de Doctor Who na Netflix. Seus textos são sobre ficção científica e fantasia, e o modo de como se relacionam com a cultura. Ele também escreveu ensaios sobre relacionamentos virtuais e arte. Ryan ama falar e escrever sobre Sherlock Holmes, Star Wars, Star Trek, robôs, magia, espaço sideral e dinossauros. Luke Skywalker não sabe ler é seu primeiro livro.

10/06/16

Quando o céu se apaga: Uma história de superação e de força de vontade


Com uma narrativa encantadora, a publicitária Mirian Vidal estreia como autora com o livro, Quando o céu se apaga, publicado pela editora Pandorga. A obra traz uma história envolvente e emocionante, fazendo o leitor refletir o quanto a vida é bela, onde nada pode fazer com que percam a vontade de viver.


O enredo roda em torno de uma pequena menina que, logo cedo, precisa enfrentar sérios problemas, lidando com o corpo deformado e as atividades diárias cada vez mais ilimitadas. E ela observa a diferença, enquanto as amigas ganhavam formas de uma mulher e descobriam mudanças nos corpos, que tornavam-se cada dia mais atraentes.

“[...] Talvez você não entenda, eu mesma demorei tanto para entender, entender que a vida nem sempre segue o nosso roteiro, que a vida tem vontade própria, ela termina a música justamente quando a gente sente vontade de danças. E algumas vezes ficamos lá parados por muito tempo, na esperança de que uma nova música comece ou que alguém se manifeste para que a gente possa agir.”

Embora não pudesse recomeçar ou mudar o que estava acontecendo, a protagonista não acreditava e não entendia muito bem o porquê de tantos problemas estarem acontecendo com ela. Porém, apesar de tudo, a lição que mais aprendeu foi: por mais que você planeje sua vida, nem sempre ela segue o roteiro.

Em Quando o céu se apaga, o leitor se sente especial e passa a ter uma percepção de que cada pessoa carrega uma história, e cada história, uma lição. E o nome da personagem que narra toda a história? Ah... É apenas um nome, mas o mais importante é a trajetória e o efeito que ela tem sobre cada um.

“Eu não entendo por que as pessoas perguntam primeiro qual é o seu nome. Deveríamos primeiro nos preocupar em conhecer a história. O nome é insignificante perto do que cada um carrega. O nome é um detalhe perto do que cada um tem que levar. O home é apenas um nome, há vários iguais, mas uma história, ah... Uma história é única. A sua história faz com que você seja especial, a nossa história nos torna importantes e exclusivos.”

Sobre a autora: Mirian Vidal nasceu em 1989, na cidade de Maceió - AL, mas, atualmente, vive em São Paulo. É formada em Publicidade e Propaganda e escreve contos desde seus 7 anos. Quando o céu se apaga é seu primeiro livro e começou a escrevê-lo para presentear uma amiga, sem nenhuma intenção de publicá-lo. Viveu algumas das coisas que escreveu e fantasiou outras. É apaixonada pela sua família, por seus amigos, livros, conversas, cinema e música de desenhos animados.

Ficha técnica:
Quando o céu se apaga
Formato: 14x21 cm
Páginas: 256
ISBN: 978-85-8442-116-9