Desejo...

sábado, janeiro 30, 2010
























Música que arrebata a alma num coração de pedra e sal Sempre essa muralha a pertencer ao esquecimento de sonhar Quero o êxtase de alma que flutua, coração no pensamento, Tilintar de sinos ao vento, a gente rodopiando no tempo... Sempre esta dádiva acorrentada? Regalo de leite ao léu?! Quero o céu das virtudes boas em volta do meu ser, Numa dança leve de entorpecer... As más vizinhas nas entrelinhas Podem gozar os momentos-pãs! Nada é errôneo ou desonesto Quando o gesto é cálido... morno... implorante de sussurros sãos! 

Estou ávida de amores-flores, bênçãos-rios, areias-luares! Quero pares de idéias, ventos, pensamentos-pássaros! Boca transparente de corações e línguas estrangeiras... Só quero a vida-verso que ecoa por trás das fontes O rio-vida que permeia por baixo das vazantes frias A semente-terra que habita meu delicado ser exótico! Imploro-te por Galileus e Galiléias, terras em promessas de Avatáres! Sou a nua lua do teu pensamento-flor e é no licor que habita meu sangue, que o delicado veneno de estrelas fabrica a seiva que me cobre... Me descobre desse manto feito de pecados duros, cartolas ao vento, Quero o alento puro de almas que se piscam, ruborizadas pelos segredos compartidos! Ah, terna manhã de alma... 

Me beije o ar que me falta quando murmuro meus desejos de acalantos Sou o branco dessa névoa que me cobre, a canastra de Pandora com seu segredo de estrelinhas... Meu pensamento é o néctar de minha língua peregrina, a romaria dessa aventura sem enredos, Mas de sinas, boas de cantar... Meu lar é esta terra que cobre rios, os navios são as estradas, Por onde de pés descalços me banho na certeza de um sonhar!

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto