Agenda Cultural (2ª)

sexta-feira, fevereiro 26, 2010

















CONTOS CLÁSSICOS BRASILEIROS - “Passarinho à Toa” – Manoel de Barros Evento apresenta textos de grandes autores brasileiros reunindo literatura, artes cênicas e música Dias 20 e 21/ 27 e 28 de fevereiro O projeto Contos Clássicos Brasileiros apresenta, nos dias 06 e 07 de fevereiro, no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro, o espetáculo “Como Nascem as Estrelas”, de Clarice Lispector. 

Sob a curadoria de Isabel Seixas e Mariane Moraes, essa edição apresenta quatro espetáculos, com textos de Clarice Lispector, Graciliano Ramos, Câmara Cascudo e Manoel de Barros. O espetáculo apresenta seis das 12 lendas brasileiras do livro homônimo de Clarice Lispector com trilha sonora inspirada na música indígena, sob direção de Kátia Brito. O olhar poético que Clarice Lispector lança sobre o lendário brasileiro possibilitou, a esta equipe, a criação de um espetáculo único, atual e que interessa a todas as faixas etárias. São lendas que encantam gerações após gerações há séculos e agora enriquecidas pela arte de uma das maiores escritoras da língua portuguesa. 

O texto de Lispector é encenado sem adaptação e na peça assistimos os macacos, onças e jabutis que habitam as lendas brasileiras falando a prosa e a poesia da autora sem nenhuma cerimônia. A música tocada ao vivo foi inspirada na cultura indígena e promove uma deliciosa interação estética ao misturar flauta e violino a tambores e maracas. Instrumentos de percussão criados por Marcos China são confeccionados com favas, molas, cabaças e panelas; pendurados no cenário de Ney Madeira dão voz à floresta. O cenário do premiado Ney Madeira é uma instalação que recria a Floresta Amazônica, confeccionada com bambus, redes e tecidos coloridos e que pode ser explorado pelas crianças. 


O figurino, também de Ney Madeira, é composto de tecidos pintados com grafismos indígenas que, ao serem manipulados pelos atores, constrói as figuras meio bicho-meio gente existentes na peça. Os atores usam biojóias de Maria Oiticica. Música ao Vivo As apresentações contam com a participação de músicos que irão executar trilhas sonoras criadas, especialmente, para cada espetáculo: Como Nascem as estrelas (Clarice Lispector), Histórias de Alexandre (Graciliano Ramos), Histórias Pintadas (contos populares recolhidos por Câmara Cascudo) e Passarinho à Toa (Manoel de Barros). Segundo as curadoras e idealizadoras Isabel Seixas e Mariane Moraes, a proposta do evento é contextualizar referências da literatura brasileira num universo lúdico para o público infantil. 

“Contos Clássicos Brasileiros apresenta a obra de grandes autores da literatura brasileira, que se basearam no imaginário popular, em referências e características tipicamente brasileiras” diz Isabel Seixas. “Queremos contribuir para a aproximação entre crianças e jovens e a literatura e cultura brasileira. Por isso propomos espetáculos lúdicos, que, através de música e teatro, apresentam a literatura e diversos elementos da nossa cultura” – completa Mariane Moraes. O evento ficará em cartaz até o dia 28 de fevereiro, no Teatro II, aos sábados e domingos, às 16h. Câmara Cascudo, nascido no Rio Grande do Norte em 1898, é um dos mestres da pesquisa do folclore e da etnografia brasileiras, em especial do Nordeste do país. Nenhum outro autor tem bibliografia de tamanha importância sobre a cultura popular brasileira. Sua publicação mais importante é o "Dicionário do Folclore Brasileiro", obra de referência no mundo inteiro. Histórias como “A menina enterrada viva” e “O Macaco perdeu a banana” fazem deste espetáculo um passeio pelas histórias populares recolhidas por Câmara Cascudo. Rebeca Queiroz integrou a Companhia Carroça de Mamulengos. 

Formou com o palhaço Siriguela a Companhia “Tem sim sinhô!”, apresentando por quatro anos em todo o Brasil o espetáculo “A Brincadeira continua”. Rebeca também integrou a Caravana Petrobrás Fazendo Arte com a Cia. Mambembrincantes, pelo Central. Apresenta o Histórias Pintadas desde 2008. Ranier Oliveira é pianista e acordeonista da Itiberê Orquestra Família, tendo ingressado no grupo esse ano. Natural do Ceará, tocava jutno ao pai ainda menino, e tem uma grande intimidade com a música popular, aprimorou-se no universo do forró, com influências em bandas cabaçais, bandas de pife, grupos de reisado (onde participou de ensaios e de algumas brincadeiras no Reisado dos Irmãos, de Juazeiro do Norte), abrangendo uma grande riqueza de ritmos e sotaques. 

Participou ainda de vários grupos como Zabumbeiros Cariris e Dr. Raíz. Warley Goulart é especialista em Literatura Infanto-Juvenil pela UFF e graduado em Artes Cênicas pela UniRio. É um dos coordenadores e diretores artísticos do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias, atuando também como diretor e artista plástico. Como ator, participou de espetáculos de Camillo Pellegrini, Renato Carrera, Tarak Hammam e André De La Cruz, recebendo prêmios em diversos festivais. Compõe canções para a Cia. Preto no Branco, de André Brilhante, tendo recebido prêmios de melhor direção musical. Participou de oficinas de teatro com Helena Varvaki, Paulo de Freitas, Grupo Moitará e Marilena Bibas; cursos de música com Di Mostacatto, André Poyart e Andreas Korak; oficinas de arte-educação com Ingrid Koudela (SP), Jean-Pierre Ryngaert (França), Nigel Thousand (Inglaterra), a diretora da Biblioteca Fantástica em Wetslar (Alemanha) Bettina Twrsnick; oficinas de histórias com Inno Sorsy (Inglaterra), Dan Yashinsky (Canadá), Gislayne Avelar Matos (MG), Maria Clara Cavalcanti (RJ) e José António Portillo (Espanha). Itiberê Zwarg é multiiinstrumentista, compositor e arranjador. É baixista do Hermeto e Grupo há mais de 30 anos e há 10 anos dirige a Itiberê Orquestra Família. 

Seu trabalho é uma referência na música instrumental, na linguagem da música universal, iniciada por Hermeto Pascoal. Ranier Oliveira é integrante da Itiberê Orquestra Família, já tendo tocado junto ao Hermeto Pascoal e Grupo, além de diversas outras experiências na área de teatro. 

Cronograma: 20 e 21/ 27 e 28 de fevereiro: “Passarinho à Toa” – Manoel de Barros Serviço: Temporada: até 28 de fevereiro de 2010 
Local: Centro Cultural Banco do Brasil - Teatro II (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.) Horários: Sábados e domingos às 16h Preço: R$10,00 e R$5,00 (meia) Bilheteria: de terça a domingo, das 10h às 21h. Duração: 50 minutos (cada espetáculo) 
Mais Informações: 3808-2020 / www.bb.com.br/cultura 
Classificação indicativa: Livre Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro Rua Primeiro de Março, 66 - Centro Rio de Janeiro RJ - CEP 20010-000 
Funcionamento: De terça-feira a domingo das 10h às 21h. 
Informações pelo telefone (21) 3808-2020

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto