Amar...

sábado, junho 19, 2010


Amor é privilégio de maduros 

Estendidos na mais estreita cama, 
Que se torna a mais larga e mais revolva, 
Roçando, em cada poro, o céu do corpo. 
É isto, amor: o ganho não imprevisto, 
O prêmio subterrâneo e coruscante, 
Leitura de relâmpago cifrado, 
Que, decifrado, nada mais existe 
Valendo a pena o preço do terrestre, 
Salvo o minuto de ouro no relógio 
Minúsculo, vibrando no crepúsculo. 
Amor é o que se aprende no limite, 
Depois de se arquivar toda a ciência
Herdada, ouvida. Amor começa tarde.

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto