A LIVRARIA - Penelope Fitzgerald

quarta-feira, agosto 31, 2011

"A Livraria", de Penelope Fiztgerald, vencedora do Booker Prize, e "Mrs. Dalloway", de Virginia Woolf, marcam o regresso da editora Clube do Autor às livrarias nacionais depois do Verão.



A LIVRARIA 

«Simultaneamente sábio e triste. Um livro vivamente recomendado.» Library Journal 

«A leitura deste livro é um verdadeiro prazer.»Financial Times 

«Uma narrativa maravilhosa e penetrante.» Times Literary Supplement 

«Perfeito em todos os sentidos.» Kirkus Review 

                                          «Um livro magnífico, uma pequena jóia literária.» BBC Kaleidoscope 



Pequeno no número de páginas mas enorme no que à aclamação popular diz respeito, este segundo romance de Penelope Fitzgerald foi o primeiro a figurar entre os finalistas do Booker Prize. A autora venceu o prémio em 1979 com Offshore.

Em 1959, Florence Green, uma viúva com uma pequena herança, arrisca tudo para abrir uma livraria na vila costeira de Hardborough. Depois de comprar o espaço, um velho edifício com fama de estar assombrado, e de vencer a resistência inicial, Florence decide colocar à venda o livro Lolita, de Nabokov, desencadeando um terramoto subtil mas devastador na pequena localidade.

A Livraria marca a estreia de Penelope Fitzgerald em Portugal.

Sobre Penelope Fitzgerald: 

Penelope Fitzgerald é uma das mais notáveis vozes da ficção britânica. Autora tardia, publicou o primeiro livro, uma biografia sobre o pintor Edward Burne-Jones, em 1975, a que se seguiu, dois anos depois, o seu primeiro romance, quando já tinha sessenta anos.

Depois de se licenciar em Somerville College, Oxford, trabalhou na BBC; durante a guerra, foi editora de um jornal literário, geriu uma livraria e ensinou em várias escolas, incluindo uma de teatro.

Autora de nove romances, três dos quais — A Livraria, The Beginning of Spring e The Gate of Angels — estiveram na shortlist para o Booker Prize, Fitzgerald foi finalmente distinguida com o Booker Prize em 1979, com Offshore. O seu último romance, A Flor Azul, o mais admirado de 1995, foi repetidamente eleito pela imprensa internacional como «Livro do Ano». Ganhou ainda o Circle Award, atribuído pela America’s National Book Critics, contribuindo para que se tornasse conhecida de um público mais vasto.

Reconhecida biógrafa e crítica, Penelope Fitzgerald escreveu ainda acerca da vida da poetisa Charlotte Mew e publicou a obra The Knox Brothers sobre o seu extraordinário pai — Edmund Knox, editor da revista Punch — e irmãos.

Fitzgerald faleceu em Londres em Abril de 2000, aos oitenta e três anos. 


Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto