Palavra!

segunda-feira, agosto 29, 2011




Desejo o abismo da palavra
Como a abelha e o beija-flor se ilham no núcleo das flores
Silêncio, luz, cor
O excesso, o tumulto do sabor
A entrega lavada de signo
A escrita apagada das mãos
A voz que nomeia sem grito
O corpo sem apelo:
Da roupa que veste
Ou do vestido de que se despe
A língua aquietada na sílaba deste voo.

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto