A vida acontece no singular

quarta-feira, janeiro 04, 2012



Certo dia, Pedro fora tomado de vários questionamentos acerca de basicamente tudo que já tivesse ouvido. Acerca disso tudo, angustiadamente, sentou-se e tentou pensar.

As idéias pareciam voar dentro de sua cabeça. Era difícil manter-se fiel a uma única coisa, a um único caminho a seguir. Seria mais fácil, desejou ele, chegar naqueles ditos sábios do tempo; senhores da “razão”. Já que um jovem, quando pensa muito, é por hora chamado de tolo e um senhor de seus lá sessenta e poucos anos, de mestre da vida.

E foi exatamente o contrário que Pedro fez; não procurou ninguém. Acalentava em seu coração a vontade de descobrir e assim, não menosprezava sua capacidade de ser gente. Talvez, ignorar o que as outras pessoas dissessem, o tornaria de fato vivo. E de fato é assim. As verdades dos outros, são boas para elas e muitas vezes fatídicas para a construção pessoal dos outros. A experiência de cada um, só nos cabe sob o efeito de demonstração de vida, mas não nos pode em momento algum, privar que cada ser pensante ou não, tenha uma vida de escolhas e vidas próprias. Sem a doce ilusão de que se foi bom para mim, também será bom para você. É o grande engano da humanidade de julgar tudo pelo preconceito de ter medo de deixar o outro partir.

O mundo de Pedro, era particularidade sua. Mesmo que dividisse no espaço um lugar com outros corpos, seu lado subversivo era particular, não cabendo a ninguém, dizer-lhe o que é certo e errado. Não se pode querer comprar as descobertas dos outros. Não se doa bagatelas de afetos em troca de ter para si, o perfume particular que as angústias e as satisfações alheias produz. 

O jovem, ainda sentado, decidiu que viveria a vida. Assim como lhe era de direito. Não se reservaria das novidades de um novo lugar; menos ainda menosprezaria a sensação estonteante de uma forte bebida quando lhe fosse ofertada. Deixaria morrer para si, as suas mortes. Aprisionaria os seus medos em si, pois é processo natural do homem sentir medo. Choraria, requerendo o direito de ser quem ele quisesse, e mais ainda, sonharia com um mundo fantástico, sem a preocupação de chamado de utópico ou ingênuo. 

Chegou a hora em que ele resolveu balancear seus valores, seus planos e seus argumentos. Estava na hora, mais que na hora dele sentir de uma vez por toda a sensação da liberdade. Não era porque dependia de certa forma de algumas pessoas ou coisas, que deveria aceitar a o excesso de “mau” cuidado que haviam tendo com ele. 

Pedro saiu pelo mundo, mesmo permanecendo sentado, estático no mesmo lugarzinho que a vida lhe reservou chamar de céu. Sim! Se céu é uma coisa boa, é um lugar que liberta e garante o direito das pessoas de serem livres e com isso, esse jovem de pensamentos frouxos, definiu sua vida pelo que sentia de verdade e não mais pelos aforismos alheios. A vida dele é particularidade sua, e quem não tem medo, que vida seus lados travessos, sem o medo julgador dos outros. 

A vida proporciona singularidades. Cabe a nós, torná-las plural em nós mesmos.

Kleberson M.

Sobre o autor:


Kleberson M. (Kleberson Marcondes) é de Pindamonhangaba/SP, nascido em 1989. Estudante Técnico Jurídico no Centro Paula Souza. Amante de Nietzsche e apaixonado por F. Scott Fitzgerald, carrega ainda uma paixão avassaladora por Nirvana, Pitty, Cazuza e Janis Joplin. Sonhador convicto encontra no ofício de escrever, uma válvula de escape para expressar aos poucos como enxerga o mundo, as pessoas, os detalhes. Encontra nas crônicas o evangelho do ser humano contemporâneo, nos contos a fantasia que as pessoas esqueceram e na poesia, notas e partituras, o meio da existência. Filho do mundo, poeta dos incoerentes e observador dos devaneios, já que isso é onde todos se encontram.




Vocês querem conhecer mais sobre o autor.
Visitem seu blog: Kleberson M. ou adicione ele no twitter: @klebersonm__

Gostaram,pessoal!

Então não deixem de comentar!!

Bjs!!!

Você também pode gostar

35 comentários

  1. Adoreiiiiiii...!!!mto obrigada pela sua visita querida!!espero ver você sempre lá!!!estou te seguindo concerteza!!!!
    Bjusssss
    Passa lá depois!!!!tem post novo!!!

    http://nathysays.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Bom dia.

    Adorei o post.
    Tenha um bom dia.

    http://euseular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que bacana o texto, esse menino tem futuro.
    Amei a escrita dele.
    Beijos
    Leitora Incomum

    ResponderExcluir
  4. O Klebs está arrasando nas postagens parabéns dude!

    ResponderExcluir
  5. Deus do céu.  Adorei :~]   Não tinha lido nada dessa coluna. Vou caçar os outros posts! ^^ 

    ResponderExcluir
  6. Adorei *O* O Kleberson foi demais.
    E parabéns Zilda, por você abrir espaço na Cachola para esses contos, são realmente ótimos. hehe
    Lindo post, beeijão ;*

    Ewerton Lenildo - Academia de Leitura

    papeldeumlivro.blogspot.com

    @Papeldeumlivro 

    ResponderExcluir
  7. É algo difícil, né, Klebson, encontrar sua singularidade nesse bombardeio midiático que me diz o que consumir, e que para eu ser eu tenho que ser igual aos outros, senão não sou nada.

    Acho que precisamos disso, estar na multidão, afinal não podemos nos isolar, mas apesar disso encontrar o que nos faz singular. Senão adoecemos, sem saber quem somos, afinal acabamos por nos tornar apenas mais um na massa amorfa da sociedade.

    Parabéns pelo texto.

    Abraço!
    Restaurante da Mente

     

    ResponderExcluir
  8. Flor, adorei! O Kleberson arrasou! Adoro contos.

    bjo

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pro  
     Kleberson!! muito bom o texto, singular.

    beijo, Laís
    http://nefelibatta.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    Obrigada pela visita, também gostei do seu blog e por aqui estou...

    Saudações

    ResponderExcluir
  11. Adoro os contos do Kleberson! E amei quando anunciou que ele seria colunista aqui do cachola!
    BjO
    http://the-sook.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir
  12. Que legal e interessante! Gostei muito!!! Preciso colocar minha vida no plural viu! rsrsrsrsrs
    Parabéns Kleberson!
    Abraços...

    ResponderExcluir
  13. Muito bom o conto! Kleberson, como sempre arrasando!

    Bjss
    Paty Algayer
    http://www.magicaliteraria.com/

    ResponderExcluir
  14. Ótimo conto. Parabéns Kleberson! *---*

    ResponderExcluir
  15. eu queria agradecer por você ter visitado meu blog e dizer que o seu blog é muito bom!!!Parabéns!!!
    Obrigada (Novamente) e visite-nos sempre!
    By: winie rodrigues
    http://rosarosalina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Ai Zildaaaaaaaa!!!!
    Que lindo isso tudo!!
    A vida realmente é singular, mas todo dia eu também tento torna-la plural!!!
    Adorei!!
    bjkasssss

    ResponderExcluir
  17. Achei bem interessante, viu?! 
    Parabéns pro Kleberson! :D

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  18. Zilda! Antes de mais nada, muito obrigada por comentar e seguir o meu blog. Adorei o conteúdo por aqui, os textos são ótimos. Bom, aproveito minha visita para lhe seguir também.

    Volte quando puder, será um prazer.
    Até breve!

    ResponderExcluir
  19. Olá Zilda, estou retribuindo a visita, obrigada pelos elogios, seu blog é lindo, bastante conteúdos, e bem aconchegante :)
    Eu volto mais vezes, por aqui estou, e peguei o seu link-me, e está no meu blog, ok? E estou seguindo também. bjs até ++

    ResponderExcluir
  20. Oi Zilda, tudo bem? Vim primeiramente lhe agradecer pelo carinho e como consequência conhecer o seu blog. É lindo! Muito obrigada pela visitinha, também estou lhe seguindo. A final, é sempre bom fazer novas amigas, não é? 
    Beijos :*Link do meu blog: http://nosolhosdequemviu.blogspot.com/Twitter: @cassiatamiresFã Page: http://migre.me/7i8au

    ResponderExcluir
  21. Parabéns Kleberson! Ficou muito bom o conto!

    Mateus Noremberg - Livros Preciosos

    ResponderExcluir
  22. O Kleberson tem o dom da escrita.
    Muito bom ler contos inteligentes.


    Cheirinhos


    Rudy


    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Gosto muito quando chega o dia desta coluna, os textos do Kleberson são ótimos, gosto muito de ler novas histórias dele. Esse conto ficou muito bom.

    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Poxa que lindo Klebeer!!! Quero mais e quando sai o livro ?? 

    ResponderExcluir
  25. Esse menino escreve bem demais!!!!é o segundo que eu leio e adoreiiii!!!parabénsss!!!
    BjusssssPassa lá tem post novo!!!Já segue o blog no FB????senão passa e curte!!!http://nathysays.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Esse garoto surpreende. Toda vez com uma bela mensagem, sim, pois tiro dela tantas coisas pra mim, então nem preciso dizer que esta foi especial. O que pe bom pra um não é bom pra outro e ponto final, tb acho. Parabens Kleber, sem dúvida você é de uma singularidade ímpar.

    Bjos

    ResponderExcluir
  27. Eu sou tão fã dele que sou suspeita pra falar.

    mas tudo o que ele diz é a realidade, e como ele sabe falar da realidade sem torná-la tão aguniante! lindo texto preto =P

    "A vida proporciona singularidades. Cabe a nós, torná-las plural em nós mesmos."

    ResponderExcluir
  28. Oi querida estou retribuindo a sua  visita,  amei seu blog!
    Já estou seguindo tb bjs.
    http://rededemenina.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir
  29. Ola, já estive em seu blog. Obrigada pelos elogios.
    tbm tenho um de literatura....
    http://www.dikasxtrukes.blogspot.com/ - 1347
    http://alepoleslencoislupus.blogspot.com/ - 1362
    http://unndoletraslp.blogspot.com/ - 1363
    Bjkas e sempre será bem vinda em meu espaço...

    ResponderExcluir
  30. Olá Zilda!
    Muito interessante o post, é feito para refletir mesmo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  31. Excelente, quem nunca teve um momento assim, e se não o sentiu que pena vai passar pela vida, sendo escravo das experiencias alheias e não de seus proprios acertos e erros.

    ResponderExcluir
  32. Olá! Amei seu blog e obrigada pela visitinha,ja estou seguindo!
    beijinhus
    http://juh-barros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Renato S. Oliveira5 de janeiro de 2012 15:06

    Olá, estou passando "rapidão" para agradecer-lhe pela visita, também já estou te seguindo, depois volto com mais calma para ler um pouco teu blog!E também tenho que "desliga a tv e ler um livro", mas no meu caso, e desliga o computador mesmo kkk! 
    Até mais

    ResponderExcluir
  34. Adorei o conto, maravilhoso mesmo, a escrita me envolveu por completo. 

    Luana - Lendo ao Luar 

    ResponderExcluir
  35. Mademoiselle Susie5 de janeiro de 2012 21:02

    Amore, 
    Obrigada pela visita!
    Um abençoado 2012 pra ti!
    Bjs!
    Susie

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto