Reverie #10 - Estamos melhorando para a pior

quarta-feira, fevereiro 08, 2012





















Não sei se melhoramos ou se ainda estamos tapando o sol com a peneira. Há quem diga que a cada dia, estamos nos transformando para a melhor, mas às vezes é difícil acreditar nisso. Digo por mim mesmo, mas também pelos outros, pelo mundo, pelas flores e pelos sentimentos. Tudo parece grande, mas ao mesmo tempo, as coisas esplendidas estão ocas. Meninos se tornaram homens, mas não grandes pessoas. Mulheres que antes eram meninas que deixaram os sonhos de lado e acorda todo dia com a cara borrada, tentando conter uma lágrima contida dentro de sua razão. Será mesmo que estamos melhores ou simplesmente crescemos? Crianças que já não brincam na terra, pois existe alguma coisa que os priva da vida real dentro do quarto. Culpa dos pais? Pode ser, pois esses podem estar cumprindo o que havia prometidos em sua infância: que meus filhos terão tudo que não tive.

O mundo evoluiu, as pessoas cresceram, os espaços diminuíram. Nós, seres humanos nos esquecendo disso em nós, estamos nos enfiando, espremendo, nos rasgando por alguns pingados. Entender que crescer é melhorar? Isso ninguém faz, por isso estamos assim, melhorando para a pior. Já não temos mais tantos sonhos e os poucos que nos restam, a cada dia estão perdendo força. Não ousamos mais como a debutante e nem mesmo defendemos nosso pensamento como o recém ingresso na universidade. Tudo o que somos, é uma cópia daqueles que um dia julgamos serem bitolados, quadrados, arcaicos.

A vida é um ato reflexo de nossas escolhas. São estreias e cenas finais. É o tudo ou o nada. Por isso, a vida é um jogo de permissão: só quem se permite, chega mais a frente, conquista suas glórias e pode bater no peito. Não por orgulho, mas por simplesmente dizer para o que veio e mostrar o que pode fazer. Ficar parado, isso sim é para os fracos.

Precisamos burlar de vez em quando, as regras, senão nos tornamos isso que chamamos de humanos, mas eu simplesmente chamo de indivíduos coletivos a um sistema burocrático e bruto. Lembre-se de acordar e sacudir a poeira e deixar para trás o que passou. Vamos inventar. Ficar parado é estagnar a alma e transcender a nada.

Por que então, estamos diariamente cumprindo os rituais dos outros, sendo os nossos aqueles que carregamos em nossa imaginação, sendo a válvula de escape de nossa sanidade? Seres: vamos além! Fácil falar e colocar no papel; difícil agir, mas não impossível. Quanta gente brilha ao longe, mesmo quando parece que ofuscada a sua luz, permanecendo, indo...

Dó é nota musical. Pena, é de animal. Para nós ser humano resta-nos a decência de viver intensamente a nossa vida. Entendendo que intensidade quer dizer fazer bem as coisas aos quais propusemos nossa força. Entendendo que intensidade nos revela as coisas boas da vida. Não parar no tempo e sim, fazer o melhor possível, mas jamais esquecer, que nem sempre o que se “é melhor” é de fato o bom. Tem coisas que já foram “piores” que mais a frente conseguiremos enxergar como de fato boas. Melhorar para a pior não cola, mas melhorar para melhorar, eis o nosso chamamento a todo instante. Somos barco a vela e se no meio da tempestade achar que já não suportamos mais, permita-se a sentar e balançar junto com o vento. Tem coisas na vida que vem para nos tirar do conformismo e nem só de marasmo experimentará essa nossa tão subversiva alma!
Kleberson M.


Sobre o autor:


Kleberson M. (Kleberson Marcondes) é de Pindamonhangaba/SP, nascido em 1989. Estudante Técnico Jurídico no Centro Paula Souza. Amante de Nietzsche e apaixonado por F. Scott Fitzgerald, carrega ainda uma paixão avassaladora por Nirvana, Pitty, Cazuza e Janis Joplin. Sonhador convicto encontra no ofício de escrever, uma válvula de escape para expressar aos poucos como enxerga o mundo, as pessoas, os detalhes. Encontra nas crônicas o evangelho do ser humano contemporâneo, nos contos a fantasia que as pessoas esqueceram e na poesia, notas e partituras, o meio da existência. Filho do mundo, poeta dos incoerentes e observador dos devaneios, já que isso é onde todos se encontram.





Vocês querem conhecer mais sobre o autor.
Visitem seu blog: Kleberson M. ou adicione ele no twitter: @klebersonm__

Gostaram,pessoal!

Então não deixem de comentar!!

Bjs!!!

Você também pode gostar

15 comentários

  1. Ah eu não acho que o grande problema é que mudamos. Só que mudamos de uma forma errada. Hoje dá-se muito valor à liberdade, só esqueceram de contar que a liberdade traz um ônus. Sem respeito, solidariedade, atenção, nós somos livres e vazios. Ninguém se compromete, ninguém se importa com o sentimento dos outros. As redes sociais estão cheias de pessoas que acham que podem falar o que querem sem  pensar nas consequências. 

    ResponderExcluir
  2. Acredito também, o mundo está cada vez ficando pior.

    ResponderExcluir
  3. A humanidade cansa, causa piedade, causa revolta...

    Acredito que poderíamos ir para pior ou melhor e concordo com o cronista: isso depende de nós. Somos fruto de escolhas e cabe a nós melhorar o mundo.
    Excelente crônica. Merece ser divulgada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu adorei! *-*
    As pessoas são muito acostumadas com o que a sociedade impõe e não é assim que deve ser, é preciso inovar, evoluir e não ficar na mesmice, e o autor Kleberson M, expressou justamente isso!Me apaixonei por: Dó, é nota musical e pena, é de animal..\o/Gostei mesmo, ele é ótimo no que faz! E faz o curso que eu queria fazer no Centro Paula Souza... *-*Beijos Zilda! Excelente postagem!

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito realmente estamos em tempos difíceis onde cada um só se preocupa com o próprio umbigo, costumes e valores já são sinônimo de breguisse os filhos não tem mais aqueles laços de familia com os pais, não há diálogo, não há respeito e é daí pra pior, mas ainda tenho esperança...em tempos e tempos a humanidade muda quem sabe daqui há algum tempo mude pra melhor...

    Beijos
    Amanda
    @leiturahot 

    ResponderExcluir
  6. Olá, eu primeiramente preciso dizer que adoro os seus textos. Esse então foi um tapa na cara sem mão. Sério. Sempre pensei em dar tudo o que não tive para o meu filho, isso inclui conforto, estudo, dinheiro, mas analisando bem hoje em dia, eu penso que o importante não é ter tudo, e sim ensiná-lo a buscar as coisas com esforço e dedicação, e isso jamais acontecerá se ele tiver tudo de mão beijada. Acho que o ser humano e acostumado a isso: ter tudo o que quer na mão. Assim fica difícil evoluir, pensar diferente, querer fazer a diferença ou inovar.
    Bela crônica, sou tua fã.
    bjos

    Jack do @Mybooklit 

    ResponderExcluir
  7. Ah verdade hein cada dia que passa penso mais sobre isso, as crinaçs de hoje não são como a de antes isso é fato, mas não falo só na aparência, mas sim nas brincadeiras, os pensamentos que cada vez eu me assusto mais a respeito

    ResponderExcluir
  8. Adorei! 

    infelizmente é verdade! A vida hj nao é mais como antigamente... se hj as nossas crianças já estao assim, imagina como serao nossos netos?!
    Venho tentando a cada dia viver a minha vida da melhor forma possivel...
    Certa vez li uma pergunta que me deixou intrigada: vc esta vivendo ou apenas existindo?
    Nao podemos desistir dos sonhos e muito menos da felicidade ;DBeijos, 
    parabéns :D

    http://naspaginasdeumlivro.blogspot.com/ 

    ResponderExcluir
  9. Zilda
    Realmente lendo o seus post nos obriga a parar e rever nossas ações, mas também me fez ver que os tempos mudarem e que tive a felicidade de viver um pouco em uma época que se tentantava melhorar a cada dia. Hoje estamos sufocados por nós mesmos e salve-se quem puder.

    Sempre bom estar por aqui e ler temas como estes. parabéns ao Kleverson e com calma estarei lá em seu blog conhecendo este homem que fala o que sente.

    Beijos
    Irene 

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Concordo com algumas coisas do texto, outras não.

    Fico pensado, que m acha que estamos melhorando? Como "humanidade" certamente não. Talvez na área do conhecimento científico, mas nem de perto como seres humanos, pelo contrário, chegamos cada vez mais próximos da frieza das máquinas... Por isso, uma das coisas das quais discordo é sobre "dó", "pena", pois acho que muitos tem perdido a capacidade de sentir tais coisas, de se impressionar, estão sim inertes em sua própria dor, mais interessado em seu próprio bem estar, logo indignar-se ou sofrer pelo outro, para mim, é realmente louvável nos dias de hoje.

    Concordo que nossa vida é feita de escolhas, e lamento que tantas escolhas erradas estejam sendo feitas, e mais, mesmo sendo individualistas, egocêntricas, algumas pessoas insistem em fazer escolhas que lhes faze mal, e o pior de tudo, ecoam, são levadas como fumaça, sufocando não só si, mas a toda uma sociedade, que tenta respirar em meio  a tantas escolhas nocivas tanto para o corpo, quanto para a alma.

    Enfim, o  assunto vai longe ^^ 
    Não se limitar 'ao papel', expandir as ideias ao plano da ações, é muuuito importante, mas refletir sobre o que há nele já é um bom começo :)

    Obrigada pela reflexão! ^.~

    Até mais!!

    www.aoleitor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. O Mundo pode evoluir. Talvez? Mas uma coisa que sempre me pego pensando... A cabeça das pessoas parece regredir.

    ResponderExcluir
  12. Nossa que texto! É  um tapa para sair da bolha em que estamos,eu sempre falo que  crescemos,mas não progredimos,apenas trocamos de brinquedo....Um texto para se refletir! 
    Gostei,são raros os textos que fazem pessoas perguntarem o que esta acontecendo com a humanidade...Parabéns como sempre.
    beijos...
    http://fomesedeevontadedeler.blogspot.com 

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo texto! Muito bom, Kleberson. Muitas vezes nos acomodamos, achamos que o que foi decidido pelos outros está bom. Vivemos o que os outros escolheram. Quando nos damos conta do que está realmente acontecendo pensamos em mudar, mas temos medo de agir e não ter apoio. Não queremos mudar sozinhos, com medo de parecermos loucos, então preferimos continuar fazendo o que os outros fazem.
    Ótimo texto! Faz repensarmos o que estamos fazendo, ou "não-fazendo".

    Mateus Noremberg - Livros Preciosos

    ResponderExcluir
  14. Os textos dele são lindo.
    A coluna é maravilhosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito do texto e apesar de ser um pouco triste, tenho que admitir que é tudo verdade. o blog está ótimo, parabéns!
    Tem resenha nova no meu blog, passa lá.
    Bjs
    Ca
    http://mromances.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto