[Resenha] Três - Melissa P. @Suma_BR

quinta-feira, agosto 02, 2012


Depois de 100 Escovadas Antes de Ir Para a Cama, ousado e bem-sucedido relato autobiográfico sobre a descoberta do sexo, a autora italiana Melissa Panarello retorna à polêmica em seu novo romance com a história do amor heterodoxo de Gunther, Larissa e George, para quem a busca da felicidade no amor e na cama não passa pelos caminhos óbvios. Três é a consagração de um triângulo amoroso. Ambientado entre Itália, na França e Argentina, a escritora apresenta uma novela erótica em que a experiência do prazer a três é retratado como um caminho possível para a realização, sem tabu, do desejo.


Gunther, já com mais de 40 anos, é alcoólatra, tem sérios problemas familiares e vive de pequenos bicos. No entanto, sabe disfarçar a falta de perspectivas de sua vida atrás de uma boa aparência física e uma lábia excepcional, que lhe garantem uma série de relacionamentos e encontros fugazes. Em Roma, ele conhece Larissa e seu marido, Leo - e, embora se interesse pelos dois, é com Leo que se envolve a princípio. 

Larissa é uma moça sensível, amante da astrologia e da poesia, de vida aparentemente mais centrada do que Gunther. Mas ganha menos do que gostaria, se droga mais do que deveria, não tem apoio da família - financeiro ou emocional - e o casamento já não satisfaz a ela ou ao marido. O divórcio é inevitável e a faz afundar ainda mais nos seus problemas. 

Gunther, passando por Paris, conhece o fotógrafo George num ponto de ônibus. O que parecia mais um numa longa série de encontros acaba virando a relação mais estável de Gunther em muito tempo. O que não o impede de, no retorno a Roma, fazer do reencontro casual com Larissa o estopim de um novo caso. Não que isso seja um problema para George: ele vai a Roma, conhece Larissa e os três passam a viver juntos. 


O cotidiano hedonista do trio só é abalado quando Larissa se descobre grávida. A dúvida sobre a identidade do pai, no entanto, é só mais um desafio para o relacionamento improvável em que a moça e os dois rapazes desenvolvem sem pretensão de questionar modelos afetivos. "Não queriam mudar o mundo, sabiam que aqueles que tentaram antes deles haviam fracassado. Queriam mudar-se a si mesmos", descreve Melissa. 


Quem já teve a oportunidade de ler 100 Escovadas antes de ir para cama conhece bem o estilo de Melissa P. A jovem italiana que possui apenas 2 livros publicados no Brasil embarca em mais um livro cujo tema é o erotismo. A sexualidade é explorada sem pudor fazendo com que o leitor imagine situações e construa em sua mente um universo onde o sexo é totalmente banalizado.

Em 100 Escovadas, Melissa apresenta-nos um relato autobiográfico onde narra suas experiências sexuais, suas relações desastrosas e revela a face ousada de sua adolescência. Em seu novo romance, “Três”, a autora aparentemente com uma narrativa um pouco mais madura tenta nos envolver com um romance ficcional onde três pessoas buscam a felicidade em um relacionamento poligâmico. Os personagens que compõem o trio buscam a sua própria identidade e se envolvem numa aventura erótica nada convencional. 

Larissa é uma jovem poetiza que recorre à astrologia para guiar sua vida. Seu mapa astral e suas cartas estão sempre em sua companhia para explicar-lhe sua vida infeliz e mal resolvida. Como poetiza decadente e sem muitos recursos, Larissa com seus 18 anos casa-se com Leo, 22 anos. Tudo era morno e sem graça na vida de Larissa. Mas, após conhecer Gunther, um poeta e criador de papagaios, sua vida nunca mais será a mesma.

Gunther é amigo de Leo e ambos passam a andar juntos. Inicialmente, a história é narrada na cidade de Paris, ou seja, a cidade da liberdade e dos vícios permitidos. É nesse cenário de muito sexo e drogas que desencadeia o relacionamento que dá nome ao livro.

A poligamia é prática comum entre os personagens do livro. Eles acreditam que todos seus problemas serão minimizados se todos estiverem felizes, independente de quantos parceiros se relacionem. Gunther é um autêntico libertino, um quarentão que não aparenta sua idade e que se comporta como um adolescente de 15 anos em plena puberdade. Sua única ocupação é cuidar de papagaios, e desse ofício tira alguns trocados para alimentar seus vícios: drogas, álcool e orgias.

George é amigo de Gunther. Ele é fotógrafo e vive uma conturbada relação com sua família. Sua mãe após um grave acidente vive numa cadeira de rodas e sua irmã exige que ele compartilhe a responsabilidade. Só que George não consegue conviver com esse trauma. Por isso, decidi ganhar o mundo e coloca o pé na estrada deixando tudo para trás. 

Gunther e George mantêm uma amizade colorida. Pois, ambos se relacionam com mulheres.  O livro não aborda o homossexualismo. Pelo contrário, enfatiza que as relações sexuais sempre buscam o prazer da alma independente da opção sexual de cada um. Depois de um fracassado casamento, Larissa se junta aos dois para compor o triângulo amoroso. Entre muitas cenas de sexo, uso excessivo de álcool e muitas drogas, o relacionamento dos três vai se fortalecendo e criando laços que vão além do simples ato de copular.

O livro é bem escrito e Melissa P. mostra sua maturidade no decorrer do livro. Apesar de o tema principal ser a poligamia, ela consegue inserir uma leveza ao romance com pequenas passagens poéticas. Porém, senti falta de mais “naturalidade” na relação dos personagens, já que os três encaravam a poligamia com o algo normal e aceitável. 

As cenas de sexo e embriaguez do trio em alguns momentos são frágeis e pouco explorados. Se um livro que aborda o tema quer falar sobre sexo, drogas, poligamia acredito que ele deva ser chocante, polêmico e muito, mais muito ousado. Considerando-o um livro direcionado ao público adulto, Melissa P. teve uma boa idéia, uma boa intenção, mas não passou disso. Faltou-lhe mais ousadia.

A proposta do livro é interessante e bem construída. Melissa tenta descrever como relacionamentos fracassados como o de Larissa e Leo se mantém ancorados no comodismo e fatalmente caem na rotina. Os personagens secundários auxiliam e mantém o ritmo acelerado da narrativa.

Comparando os dois livros de Melissa P. eu prefiro a ousadia e a loucura da protagonista de 100 Escovadas antes de ir para cama do que a volúpia desregrada e sem propósito de Larissa que faz parte do trio poligâmico em “Três”. Os livros adultos que abordam temas polêmicos são bem mais prazerosos e interessantes do que os juvenis que tentam falar a respeito, mas “Três” permanece em cima do muro. Com pequenos deslizes, Três transmite sua mensagem direta, porém superficial.

Indico a leitura de “Três” apesar de preferir a originalidade e ousadia que possuem 100 Escovadas antes de ir para cama. É preciso citar o livro anterior para que o leitor tenha conhecimento da evolução e distanciamento das obras de Melissa P.

A capa do livro é linda e foi a primeira coisa que me chamou atenção no livro. Mas, ao conferir que se tratava de mais um livro de Melissa P. não perdi tempo e o adquiri imediatamente. Tudo bem que esperei muito mais do livro, mas continuo a admirar Melissa P. por escrever sobre temas tão polêmicos com tanta naturalidade. Numa sociedade cada vez mais preconceituosa e hipócrita isso faz toda a diferença.

Se você gosta de romances eróticos, “Três” é uma boa indicação de leitura. Mas, lembre-se: não vá com muita sede ao pote. “Três” é um bom livro, mas infelizmente superficial. Tratando-se de um tema tão polêmico, nós esperamos sempre mais. Detalhes sórdidos sempre dão um toque a mais. Eis a lacuna de “Três”. 

"Se nos acostumamos a comunicar mais coisas a mais pessoas ao mesmo tempo, por que querem nos convencer de que é impossível amar várias pessoas ao mesmo tempo? - perguntaram-se, certa madrugada, várias horas depois da meia-noite, enquanto esperavam o amanhecer numa janela..."- Três, de Melissa P. 

FICHA TÉCNICA
Título: Três
Autora: Melissa P.
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 173
ISBN: 9788560280988 
Onde comprar: | Livraria Cultura | 
Adicione-o no Skoob

Você também pode gostar

14 comentários

  1. Legal a frase, mas é o tipo de livro que eu não teria coragem de deixar alguém ler a sinopse se eu estivesse lendo. kkkk'
    Gostei da sua resenha, descreveu muito bem o livro ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu queroooo esse livro. amei tudo, amei tudo!
    Dá pra mim, Zilda!
    Fiquei com água na boca!
    Um grande teórico da área de humanas diz que todos os problemas sempre voltam para superficialidade!

    ResponderExcluir
  3. Oii Zilda
    nunca tinha lido nenhuma resenha ou qualquer outra coisa desse livro antes, mas quando li a sua resenha, fiquei louca para lê-lo.
    A capa não me atraiu muito..mas quem precisa de capa quando o livro parece ser maravilhoso?
    Adorei a sua resenha, bjs
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie, Zilda |õ|
    menina é a primeira vez que vejo e leio a respeito desse livro e me interessou, quero ler! |õ|
    Máh- Felicidades nos
    Livros


    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
  5. Oi Zilda,
    já li o 100 Escovadas e gostei bastante, já faz um tempo que fiquei sabendo desse outro livro.Mas ainda não tive a oportunidade de ler ele.
    Eu tenho curiosidade sobre esse, vou procurar ler ele.


    @Agda01

    ResponderExcluir
  6. Saleta de Leitura2 de agosto de 2012 17:14

    É sempre uma boa leitura e entre triângulos amorosos, sexo e relacionamentos tudo pode acontecer e aos leitores cabe mil emoções.
    Parabéns pela resenha e a Suma de Letras pela edição de mais uma obra de sucesso.

    ResponderExcluir
  7. ainda não li um romance voltado mais para o lado erótico,mas o livro parece ser bem legal. Não conhecia e nem a autora,mas acho uma boa obra para experimentar.
    Beijocas!
    http://palomaviricio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Nossa!
    O livro deve ser bem diferente e ousado! Fiquei curiosa para ler, pois deve ser uma leitura empolgante,
    Beijos*


    http://luahmelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Boa noite :)
    Não conhecia a obra
    Não me lembro de ler livros com conteudo assim..sexual >.<


    Beijos e cuide-se

    ResponderExcluir
  10. Eu não conhecia nem o livro nem a autora!! Nossa, que absurdo!! rs
    Eu gosto de romances eróticos. Pena que esse é superficial como vc disse!

    Mesmo assim acredito que vou gostar de leitura!!!

    Bjkasssssssssss mil

    ResponderExcluir
  11. Zilda, uma vez, por curiosidade, comecei a ler "100 escovadas antes de ir para a cama" sem saber o tema principal dele e acabei me surpreendendo com a vida polêmica de Melissa. Mas não gostei, em geral, pois apesar de tudo, achei a protagonista muito cheia de dúvidas e insegura.
    "Três" não tem uma temática que me chame a atenção, tampouco, mas gostei da sua resenha e, talvez, futuramente, eu o leia.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. Não tenho nenhum tipo de preconceito com minhas leituras, leio de tudo mesmo e estes livros devem ser bem interessantes, gostaria de ter a oportunidade de ler estes dois.

    ResponderExcluir
  13. Oi Zilda!
    Que pena que a autora não ousou, já que o livro é adulto, livre de restrições e o tema permitia mais. Não conheço a autora, e sua resenha me deixou curiosa para ler o livro anterior, 100 escovadas.
    Beijos... Elis Culceag.

    ResponderExcluir
  14. Desejos de Sábado5 de agosto de 2012 10:41

    Oi, Zilda!
    O livro parece ser realmente forte, não sei se chamou minha atenção, ainda mais com você dizendo que faltou naturalidade. Não sei se estou pronto para encarar leituras tão maduras, mesmo estando na era dos 50 Tons. Talvez eu o leia, mas não é prioridade para mim.


    Beijos,
    Gabriel
    http://desejosdesabado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto