Jane Austen dá surra de chicote em ’50 Tons de Cinza

terça-feira, março 05, 2013

A trilogia erótica Cinquenta Tons de Cinza (Intrínseca), criada pela escritora britânica E. L. James, não é só um fenômeno pelos números que possui. 


Depois de vender 70 milhões de cópias no mundo (3,5 milhões no Brasil) e ter garantida uma adaptação para o cinema que recheou em 5 milhões de dólares a conta bancária da autora, a série se multiplica em referências, títulos de oportunistas de plantão e paródias divertidas da quente relação sadomasoquista entre Christian Grey e Anastasia. Entre as paródias, merece destaque o livro Cinquenta Tons do Sr. Darcy(tradução de Natalie Gerhardt, Bertrand Brasil, 307 páginas, 27 reais), lançado em dezembro no Brasil. O título combina um dos maiores clássicos da literatura britânica de todos os tempos, o oitocentista Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, com aquele que é o maior best-seller britânico da história. E não é só isso. São duas representações antagônicas do feminino, que aqui se chocam para ridicularizar o pornô de menininha que vem dominando a lista dos mais vendidos. E também para lembrar como é mal escrito o livro de E. L. James.



Feito por uma pessoa que não quer se identificar – talvez por ter vergonha de assumir que leu a obra de E. L. James –, o livro é assinado por pseudônimos. Quem dá nome ao autor na versão brasileira é Emma Thomas e, na americana, William Codpiece Thwackery. Como no Cinquenta Tons original, a protagonista da paródia é virgem e pobre e se apaixona por um rico e charmoso sadomasoquista. A diferença é que a mocinha é Elizabeth Bennet e o rapaz, Fitzwilliam Darcy, o casal do romance de Jane Austen. Lizzie, como é chamada a protagonista, é uma mistura equilibrada da heroína do clássico e de Anastasia Steele, a personagem insossa da trilogia erótica do século XXI.

Ela é apresentada ao ricaço Darcy e, ao mesmo tempo em que não consegue tirá-lo da cabeça, não quer se deixar envolver por considerá-lo pretensioso e orgulhoso – além de pervertido. O tempo todo, a mocinha se vê nesse conflito entre a sua consciência, que lhe diz para não ceder aos encantos de Darcy, e a sua “deusa interior” (detalhe vergonhoso emprestado por pilhéria do Cinquenta Tons original), que tenta convencê-la a se entregar a ele. A história se passa à época de Orgulho e Preconceito, na Inglaterra do começo do século XIX. E, por saber que nesse período as mocinhas não se submetiam tão facilmente aos prazeres da carne, o autor da paródia não é tão explícito quanto E. L. James é na obra que o inspirou.

As conexões entre os dois livros se acentuam ao longo da história, o que dá a impressão de que o autor de Cinquenta Tons do Sr. Darcy de fato leu cada volume de James. Mas, desde as primeiras palavras, a paródia deixa claro o que é: uma grande piada. O problema é que, de tanto insistir na graça e nas frases de duplo sentido, que se repetem sem parar, a leitura se torna cansativa.

Ainda assim, o livro tem o trunfo de tornar patente, de forma bem-humorada, a duvidosa qualidade literária de Cinquenta Tons de Cinza. Durante uma discussão acalorada com Darcy, Lizzie admite: “Pois saiba que o senhor é um personagem mal desenvolvido e unidimensional. Cinquenta tons? Está mais para dois: desesperado por sexo e mal-humorado”. Precisa dizer mais?


Você também pode gostar

10 comentários

  1. Não é o tipo de leitura que gosto, mas vale pra quem aprecia e ajuda no sucesso da autora.
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Oiii amigaa...
    Estes dias divulguei o livro, e de cara achei que iria ser uma piada só. Li algumas passagens e achei muito "nada a ver" sabe. Tipo, muita coisa não era engraçada, chegava a ser idiota. Mas como tu mesmo disse, quando uma coisa vira fenômeno, mesmo que não tenho sido aquiloo de bom, todo mundo quer pegar onda no sucesso. Não sei, não fez meu tipo...

    Beijão

    TeLa
    Penseira Literária

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkk, esses livros são só sacanagem, tipo, pow, pq ficar avacalhando algo que vc não gostou? Opúsculo é um grande exemplo desse gênero. Fala sério!
    clicandolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei! kkkkk' Parece bem legal esta paródia do pior livro que já abandonei. Rsrsrsrsrs' E olha que nem foram tantos. :D
    Outra paródia que parece legal é Cinquenta Vergonhas de Cinza publicado pela editora Novo Século.
    Beijo
    Gabriel - Corações de Neve

    ResponderExcluir
  5. rsrsrs

    Deve ser divertido!! :D
    Beijinhos
    Renata 
    Escuta Essa
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
  6. oie!!!!
    Leria com certeza esse 50 tons do mrs Darcy, que mistério esse autor neh????
    Fiquei doida pra saber hahahaha
    ]bjosss

    ResponderExcluir
  7. cara eu gosto de coisas com duplo sentido, mas muito disso cansa mesmo
    eu quero ler esse livro pra ver se eu gosto sabe xp

    ResponderExcluir
  8. Oi, não gostei dessas "cópias" que foram surgindo no embalo de 50 Tons. 
    Beijinhos para ti.http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    No dia que eu vi esse livro entrei em crise de risos, juro. Antes eu tinha interesse de ler 50 tons mas hoje essa vontade foi embora e espero que ela não volte tão cedo D: Parabéns pela resenha!

    Até mais!Entre Livros e Livros.http://musicaselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi amiga!
    Achei interessante o livro, mas não me chama atenção para ler.
    Falta eu ler o ultimo da triologia!
    Adoreii o post.

    Bjinhs*

    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto