Resenha: Tudo o que Mãe diz é Sagrado - Paula Corrêa @EditoraLeya

quarta-feira, abril 24, 2013



O que pode restar de uma pessoa que doa parte de seu corpo para salvar a mãe que morre em seguida? O que se passa nas entranhas de alguém que sente a vida de forma intensa é o que se lê em Tudo o que mãe diz é sagrado.As amarguras da vida deixam feridas profundas às vezes, e conviver com uma dor que parece infinita é só o que se pode fazer. A autora passou por um longo período de luto e foi por meio da escrita e da companhia de seu fiel cachorro, Astor, que ela - aos poucos - voltou a viver. Paula Corrêa é visceral, densa e doce ao mesmo tempo. Este livro leva a uma viagem vertiginosa, mas bela! Vertiginosa e bela como a própria vida.


Em Tudo o que Mãe diz é Sagrado, a jornalista Paula Corrêa descreve a dor causada pela morte de sua mãe. O livro é um relato poético sobre um período de solidão profunda. A autora nos apresenta inicialmente toda sua agonia em ver sua mãe na UTI de um hospital. Sua mãe sofria de uma doença crônica no fígado e precisava de um transplante. Paula é compatível, mas sua mãe não resiste após a cirurgia. 

“Quem não daria um pedaço de si para salvar a vida de quem lhe carregou na barriga e lhe gerou, num sacrifício que é a gestação, os primeiros meses, a dor no peito, a perda da privacidade e a doação infinita de amor que é a maternidade?”

Através de uma narrativa visceral e sufocante Paula expõe toda sua agonia e descontentamento com o mundo. Sob uma visão crítica, a autora relata situações cotidianas que a tormenta. A correria da cidade grande, o comportamento das pessoas diante do sofrimento alheio, entre outros fatores que colaboram para que o indivíduo se distancie das pequenas coisas valorosas. 

O processo de aceitação é doloroso, porém necessário. A morte também é renascimento. É uma forma de enxergar o mundo por um ângulo diferente. É como se Paula tivesse frente a um espelho tentando se reconhecer. A sensação é que estamos lendo uma poesia em forma de prosa e vice-versa. 

A relação de sacralidade não está presente apenas no título do livro, mas em todo o seu conteúdo. Ele está presente em todos os momentos, seja nos pequenos gestos protetores de sua mãe, como em situações corriqueiras do dia-a-dia. Seu cachorro Astor, amigo fiel e inseparável, tem deveras importância durante esse período de solidão. Após a perda, Paula redescobriu nas pequenas coisas o sentido de estar vivo e o valor que isso representa. 


"Sinto que vivemos em meio à barbárie num mundo de selvagens, onde a delicadeza definha. Ninguém ouve. O barulho das buzinas é alto demais." 
[...] Estou fora do mundo. Não tenho mais com quem conversar. As pessoas querem ouvir somente o que lhes cabe. Prefiro então, ficar sozinha e calada. Há um vendaval lá fora. São os loucos do trânsito, os loucos do metrô, os tratores do mercado de trabalho que trituram qualquer sensibilidade todos os dias, e nada sobra para pensar."
(pág.68)

Mesmo tratando-se de um livro que fale de perda e solidão, a leitura não se torna exaustiva. O livro é curto e, em poucas horas é possível terminá-lo. Contudo, ele também pode ser “consumido” em pequenas doses diárias. Basta abri-lo em qualquer página. E o resultado é instantâneo. Emoções à flor da pele.

Apesar do sofrimento causado pela perda, Paula encontra nas palavras a maneira de expressar o seu devotamento, o amor incondicional que sentia por sua mãe. Tudo o que mãe diz é Sagrado é um livro que versa poesia e desabafo. Sua escrita é agressiva, impactante e ao mesmo tempo sensível.


"Eu escrevo. Não existe nada no mundo. A palavra é única. E ainda assim é pouco"
(pág.37)

A autora ainda possui mais dois livros publicados, o primeiro, In Vitro, lançado em 2004, e o segundo As calotas não me protegem do sol, edição de autor costurada à mão e com desenhos da artista Amanda Justiniano, em 2010. Visite seu blog As Calotas não me protegem do sol.

Gostei muito da experiência e deixo um lugar reservado com muito carinho para esta obra. Leitura prazerosa e recomendada!





FICHA TÉCNICA
Título: TUDO O QUE MÃE DIZ É SAGRADO
Formato: ePub
Autor: Paula Corrêa
Editora: Leya Brasil 
Ano de Lançamento: 2013



Você também pode gostar

10 comentários

  1. Nossa Zilda, primeiro parabéns pela resenha! Segundo deve ser fantástica a leitura! Porque o livro, mesmo quando é pura ficção, nos transmite aprendizados. Quando é então uma realidade vivenciada e contada por quem vivenciou é lindo, é nobre e aprendemos e sentimos... Adorei! E vai pra lista com certeza, adoro livros assim!

    ResponderExcluir
  2. Será que eu vou gostar deste livro?? Adorei sua resenha, mas tô sofrendo só de ler a resenha, imagina se eu ler o livro.
    Vou esperar um momento mais leve, que eu não tenha vontade de cortar os pulsos ao ler.
    Esses dias tenho chorado até com comercial de margarina!!

    Amei amore!

    Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Só de ler a resenha eu já chorei... acho que vou desidratar quando ler este livro.
    Lindo o tema!!!

    ResponderExcluir
  4. Realmente é um livro que promete derrubar muitas lágrimas, fiquei curiosa e pra variar a sua resenha está primorosa nos detalhes, mas sem entregar a obra. Ah sou sua fã, né?! Pra mim você é a melhor blogueira que faz resenha no meio literário. Fato.
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  5. Uma ótima resenha e um lindo tema! Tenho certeza que iria me desmanchar lendo este livro...
    leituras assim, com drama, e com sofrimentos reais, me deixam esgotada emocionalmente. No momento não leria um livro assim, mas com certeza a dica está anotada e pretendo ler futuramente. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa Zilda o livro parece ser ótimo, mas não tinha ouvido falar. Sua resenha me deixou bem curioso, ficou muito boa!

    Jean
    www.cabanadoslivros.com.br

    ResponderExcluir
  7. Hey
    Imagino como esse livro deve ser emocionante.
    E também difícil.

    Esse tipo de leitura gosto de pegar especificamente, haha não gosto de chorar lendo livros :x

    Adorei a resenha.

    beijinhos
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Não me interessei muito pelo livro, mas, amei os quotes *-* Amei mesmo!
    A partir dele se tira várias reflexões e conceitos que são levados para vida toda.
    Amei a resenha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Oi Zilda,
    Por suas palavras me parece que o livro é intenso, triste e cheio de emoções. Fiquei curiosa, mas não é uma leitura pro meu momento.Mas gostei da dica.

    Beijokas Elis!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Zilda,
    Parece ser um belo livro repleto de emoções, gostei de saber mais sobre ele, mas não sei se leria ele no momento.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto