Resenha: A Peculiar Tristeza Guardada num Bolo de Limão- Aimee Bender @EditoraLeya

sexta-feira, maio 31, 2013


O que você faria se pudesse sentir o gosto das emoções? Rose Edelstein é uma menina que descobriu ter um talento incomum: ela sente o sabor das emoções das pessoas que preparam aquilo que come.
E tudo começou semanas antes de seu aniversário quando, depois de uma briga com seu pai, sua mãe resolveu fazer um delicioso bolo de limão. Imagine o que você faria se seu paladar pudesse decifrar o gosto das emoções? É com isso que Rose tem de conviver daqui para frente. Com apenas nove anos, a curiosa menina sabe o que cada um sente secretamente e percebe que nunca mais comerá seus pratos preferidos do mesmo jeito. E o que ela pode fazer para lidar com isso?


Desde seu lançamento, “A Peculiar Tristeza Guardada num Bolo de Limão” atraíra minha atenção. A peculiaridade não está somente presente no título, mas em toda a sua composição. Com uma narrativa gostosa e envolvente Aimee nos presenteia com um dos livros mais bem escritos dos últimos tempos.

Narrado em 1ª pessoa, o livro conta a história de Rose Edelstein, uma garota que aos nove anos sente pela primeira vez o gosto das emoções em suas refeições. Para comemorar seu nono aniversário sua mãe prepara uma de suas receitas prediletas: bolo de limão com cobertura de chocolate. O que Rose não esperava era sentir um gosto acentuado de tristeza e solidão entre os ingredientes do bolo.

“[...] enquanto eu saboreava aquele primeiro pedaço, quando aquela primeira impressão desapareceu, senti uma mudança sutil por dentro, uma reação inesperada. Foi como se um sensor, instalado bem no fundo, dentro de mim, erguesse sua antena para vasculhar ao redor, chamando a atenção da minha boca para alguma coisa nova. Porque a qualidade dos ingredientes _ o bom chocolate e os limões frescos_ parecia cobrir algo maior e mais sombrio, e o sabor do que estava escondido estava começando a sobressair naquele pedaço. Eu podia sentir claramente o sabor do chocolate, mas nos recantos da boca , e, como se estivesse se expandindo e abrindo, parecia que ela também se enchia com o sabor da pequenez, da sensação de encolhimento, de irritação, um sabor de distanciamento que eu de algum modo sabia que estava ligado à minha mãe.”

Entre fatias de ausência, desejo, solidão, raiva e tantos outros sentimentos reprimidos, Rose vai descobrindo o quão dolorosa pode ser uma simples refeição.

A premissa do livro baseia-se na construção afetiva estabelecida entre pais e filhos. Rose é uma menina muito inteligente, mas é seu irmão Joseph a criança prodígio da família. Cinco anos mais velho que Rose, Joseph é um menino extremamente introvertido. Completamente absorto Joseph vive recluso no seu mundinho particular. Seus pais o consideram apenas um menino reservado, mas Rose é a única que percebe o quanto seu irmão precisa de ajuda. 

Em alguns momentos a narrativa torna-se densa, pois o tema abordado pela autora é extremamente delicado. Mas é preciso cautela para não condenar o enredo como um todo. O livro aborda diferentes temas relacionados à constituição familiar e a socialização do indivíduo. 

O livro é dividido em quatro partes tendo Rose como personagem central estabelecendo conexões com o drama vivenciado pelos demais personagens. Vamos acompanhando a trajetória de Rose desde os nove anos, período onde seu dom fora descoberto até seus 22 anos de idade. Cada período é detalhadamente explorado. Vamos estabelecendo uma relação de intimidade com a personagem através de pequenos relatos de sua infância. 

O talento de Rose vai além de sentir o sabor das emoções. Com seu jeito dócil e inocente vamos acompanhando uma evolução paulatina de seu crescimento. Quando iniciei a leitura imaginei algo completamente diferente. Fui surpreendida por uma história onde a personagem principal destaca-se pela sua maturidade, apesar de sua pouca idade e aparente fragilidade. A capa nos dá uma impressão um pouco equivocada. E não pensem que o drama toma conta das páginas com descrições lamuriosas. Não. É exatamente o contrário. 

Aimee constrói uma narrativa fascinante capaz de enfeitiçar o leitor desde o primeiro momento. Porém, é importante frisar a sua complexidade. O leitor deve atentar-se as minúcias presentes na narrativa que conectam os personagens. Rose é o grande elo entre eles, porém cada personagem se destaca por sua particularidade. Cada um enfrenta um problema específico e cabe o leitor discernir a transição dos acontecimentos. 

Descrever sensações e emoções sem recorrer à banalidade usual é tarefa difícil, mas Aimee conseguiu estabelecer essa tarefa com afinco até a última página.
A linguagem utilizada pela autora é de fácil entendimento. É praticamente impossível não se conectar com os personagens. Em alguns momentos sentimos-nos inebriados com as divagações de Rose, em outros, a confusão entre seus pensamentos e atitudes tomam conta da narrativa. Mas, nada que comprometa o seu bom desenvolvimento.

A Peculiar Tristeza Guardada num Bolo de Limão é uma leitura que nos fará refletir sobre a relação que estabelecemos com aqueles que consideramos mais importantes em nossas vidas. O drama que envolve cada um dos personagens nos fará enxergar a família de um modo especial, como ela realmente deve ser enxergada. A relação de autoconfiança é outro ponto memorável a ser destacado. 

Recomendo a leitura a todos os leitores. Mas atenção! Saboreie o livro como se estivesse diante de uma fatia de bolo, sinta o aroma dos sentimentos e se deixe envolver por cada uma das emoções adicionadas nesta mágica receita literária.





FICHA TÉCNICA
Título:A Peculiar Tristeza Guardada Num Bolo de Limão
Autor(a): Aimee Bender
Editora: Leya
Nº de páginas: 304
Onde comprar


Você também pode gostar

16 comentários

  1. Toda leitura que me faz pensar no que verdadeiramente importa me marca. Não conhecia esse livro, mas a resenha fez eu me interessar. Gostei.

    P.S: Participa dos sorteios de aniversário do blog

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Zilda, leitura diferente e pelo jeito empolgante. Eu não conhecia o livro e sua resenha me deixou bastante interessada. Se tiver uma oportunidade, vou ler com certeza.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga!
    Nossa, não imaginei que o livro fosse assim, que tivesse esta temática.
    Parece ser um livro bonito, emocionante, gostei.

    Adorei sua resenha!

    Beijinhos*
    Tem resenha lá no blog.

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o título, mas fiquei curiosa demais com a sua resenha e vim ler. A proposta do livro é boa... Estou bastante curiosa para ler <3

    Camila Márcia
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  5. Eu devo dizer que imaginava uma outra coisa em relação ao livro, não que tenha me decepcionado com a resenha, na verdade, só fiquei com mais vontade de ler ainda rs

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha Zilda! Não conhecia o livro e olhando para a capa e para o título nunca iria imaginar algo parecido com o que você descreveu! Parece ser um livro marcante e intenso! Gosto de livros também em alguns momentos. Me chamou muito a atenção!

    ResponderExcluir
  7. Fiquei curiosa para saber como a menina lidou com todos os sentimentos que sentia, porque mesmo sendo madura, como você descreveu, as pessoas tem sentimentos confusos demais.
    Bjus
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  8. Zilda, meu amore!
    Muito interessante essa analogia (sou apaixonada por analogias) entre uma simples receita de bolo, o bolo, e a vida dela. aliás, a relação entre pais e filhos.
    Quando li o título eu achei ridículo, mas quando comecei a conhecer mais através da sua resenha, eu fui me apaixonando. Adorei!

    Deve ser um livro bom.
    http://clicandolivros.blogspot.com.br/
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  9. Juro que eu não imaginava nada disso!!! Apesar da palavra tristeza na capa, eu achava que teria aí um pouco de comédia. Me enganei profundamente, e gostei de ter me enganado assim.
    Pois pela sua resenha a história me pareceu lindíssima, encantadora e do tipo que eu sei que vou chorar!!
    E que dom mais sofrido dessa menina!!!
    Fiquei realmente encantada com a resenha e com a premissa do livro!!

    Bjkassssss

    ResponderExcluir
  10. Oi Zi
    Que fofo esse livro *-*
    A sua resenha me fez lembrar de um filme que eu vi chamado "O Sabor de Uma Paixão (The Ramen Girl)" que possui um pouco desse mesmo tempero ;)
    Parabéns pela resenha

    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  11. Achei interessante a ideia do livro, parece ser lago qe realmente nos faz refletir, entao acho q vou deixar entre as minhas possiveis próximas leituras... mesmo nunca tendo ouvido falar deste livro! :D
    Beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Nhoooon o livro parece muito interessante e sua proposta é muito legal!
    Curti!
    Ótima resenha. Beijo

    ResponderExcluir
  13. Oieee

    Nossa adorei a sua resenha e me deixou com muita vontade de ler o livro já adicionei na minha lista!

    Beijos

    Andressa
    http://livrosechocolatequente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Ziiil, que amor essa tua resenha! Eu confesso que não tinha ouvido falar desse livro, mas achei o contexto dele muito criativo e já fiquei imaginando com seria ter esse "dom" na vida real.
    Já entrou para a lista de desejados, beijocas ;*
    @pirulitolimao

    ResponderExcluir
  15. Oi Zilda, que livro diferente! O título, a sinopse, o achei bem curioso. Mas o principal são os questionamentos que o livro parece proporcionar ao leitor, deve ser uma obra especial.
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto