Resenha: “Como Dizer Adeus em Robô” - Natalie Standiford @galerarecord

quinta-feira, junho 20, 2013


Com um toque melancólico, o livro conta a singular ligação entre Bea e Jonah. Eles ajudam um ao outro. E magoam um ao outro. Se rejeitam e se aproximam. Não é romance, exatamente mas é definitivamente amor.
E significa mais para eles do que qualquer um dos dois consegue compreender...Uma amizade que vem de conversas comprometidas com a verdade, segredos partilhados, jogadas ousadas e telefonemas furtivos para o mesmo programa noturno de rádio, fértil em teorias de conspiração. Para todos que algum dia entraram no maravilhoso, traiçoeiro, ardente e significativo mundo de uma amizade verdadeira, do amor visceral, Como dizer adeus em robô vai ressoar profunda e duradouramente.


Uma das tarefas mais difíceis para um leitor é expressar com precisão o quanto um determinado livro pode mexer com suas emoções. Sendo assim, esboçar em poucas palavras o efeito causado por “Como dizer adeus em robô” é algo praticamente impossível.

Ao longo de 344 páginas, Natalie Standiford nos apresenta uma história emocionante e muito original para falar de amor. Deixando de lado os recorrentes clichês ao falar de bullying, amizade e solidão, a autora discorre sobre a fragilidade dos relacionamentos entre pais e filhos.

"Há uma separação entre pais e filhos que não deve ser violada quando as crianças são pequenas. As loucuras adultas dos pais são particulares. São perturbadoras e difíceis de entender. Mas, em algum momento, as crianças ficam espertas, as loucuras começam a vazar e os pais são revelados em toda sua humanidade e imperfeição."

Narrado em 1ª pessoa o livro conta a história de Beatrice Szabo (Bea- a garota robô) e Jonah Tate(o garoto fantasma). Ambos têm um motivo peculiar para se intitularem dessa forma. Apesar de Bea não concordar com tal denominação, ela adota o codinome e passa a se indagar a respeito sobre como demonstra suas emoções. Bea está acostumada a mudar frequentemente de cidade e, por isso não estabelece vínculos com ninguém. Suas amizades tem prazo de validade e assim, ela vai levando uma vida solitária. 

"A experiência me dizia que poucos caras curtiam palitos sem peito com cabeçonas redondas como pirulito e cabelo escorrido, a não ser que, por algum milagre, fosse a definição regional de bonitinha. Se isso existisse, eu ainda não encontrara essa região em particular."

Seu relacionamento com a mãe é algo extremamente delicado devido à inconstância emocional de sua mãe. O mesmo não ocorre com o pai com quem mantém diálogos, apesar de sua ausência cada vez mais frequente.

Recém-chegada a Baltimore Bea conhece Jonah, denominado por seus colegas desde a terceira série por Garoto Fantasma. Jonah é um garoto muito tímido e observador que possui uma aparência muito frágil. A identificação de ambos é imediata já que todos os dois demonstram certa insatisfação com o mundo que os cercam. Bea e Jonah começam a construir uma relação de amizade muito forte. E tal aproximação se dá a partir do momento que ambos passam a ouvir e participar do programa de rádio The Night Lights, um programa que se inicia à meia noite e que começa a fazer parte da vida dos dois.

A bordo de um Tapete Voador, Bea e Jonah são convidados a conhecer cada um dos personagens que dão vida ao programa. O The Night Lights é como se fosse uma válvula de escape para cada um dos ouvintes que participam. Uma espécie de terapia de grupo onde cada um expõe suas aflições, devaneios e todo tipo de sentimento. Nele Jonah pode utilizar o codinome sem que tenha que se expor verdadeiramente fazendo com que Bea fique ainda mais intrigada.

Bea e Jonah são dois adolescentes que estão passando por uma fase de muitas mudanças. O último ano colegial, a dúvida sobre qual faculdade cursar, entre outros fatores que desestabilizam o emocional de cada um. Natalie soube conduzir a história de Bea e Jonah com muita maestria inserindo elementos marcantes que tornam a narrativa singular. Os diálogos entre os ouvintes que participam do programa são incríveis e bem inusitados. O seu tom mórbido e melancólico traduz um perfil disforme do que estamos acostumados. Bea e Jonah são personagens marcantes, mas os personagens secundários colaboram com o sucesso da narrativa. 

"Como dizer adeus em robô" é um livro que envolve o leitor desde o início. Com uma narrativa singela e ao mesmo tempo mórbida, a autora nos convida a refletir sobre questões importantes e fundamentais na vida de cada um de nós. Caracterizado como um romance o livro apresenta uma forte carga dramática sem deixar de lado a leveza quando necessária.

"— Por que está com tanto ciúme? — perguntei. — Não é como se você fosse meu namorado nem nada. Você é?

— ”Namorado” é uma palavra tão idiota — falou Jonah. — Não, não sou seu namorado. Achei que estávamos muito além disso. O que somos não pode ser descrito por palavras triviais como “namorado” e “namorada”. Até mesmo “amigos” não chega nem perto de descrever."

Natalie nos apresenta uma forma diferente de representar o amor. Como dizer adeus em robô descreve de maneira peculiar o quanto somos frágeis. Até que ponto estamos dispostos a amar o outro, a nos aceitar como somos e fazer algo que nos possa libertar de certas conveniências. O leitor irá se identificar facilmente com qualquer um dos personagens, sejam por um dos protagonistas ou pelos demais personagens que compõem a narrativa.

A diagramação do livro é outro ponto favorável a destacar. Os capítulos são iniciados por meses do ano. Neste caso, Agosto quando se inicia o ano letivo. Apesar das folhas brancas, a editora utilizou um tom de rosa bem forte para contrastar com o branco. O resultado ficou muito bonito. A fonte utilizada também facilitou a leitura tornando-a bem agradável.

"Como dizer adeus em robô" é uma leitura crua, forte, doce e triste. É o tipo de leitura que deve ser feita com cautela para que o leitor possa abstrair toda a emoção contida em suas páginas. Não é uma leitura difícil. Pelo contrário. É uma leitura de fácil compreensão, porém com uma linguagem mordaz.

Ao final o leitor é pego de surpresa. Quem espera previsibilidade da parte da autora irá se decepcionar porque é exatamente o contrário que a autora nos reserva. Assim como realmente é a vida, não é mesmo? E por esse motivo eu apreciei ainda mais a narrativa de Natalie.
Como dizer adeus em robô é um livro para ser lido, relido e apreciado. Leitura recomendada e sem contra indicações.




FICHA TÉCNICA
Título: Como dizer adeus em robô
Autor: Natalie Standiford
Editora: Galera Record
Páginas: 344

Você também pode gostar

19 comentários

  1. O livro parece ser diferente do que eu costumo ler,mais um motivo para eu apostar na leitura,além de que sus resenha me deixou bastante curiosa.

    adorei a dica.

    bjkss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie :)

    Nossa sua resenha me deixou sem palavras parabéns...esse livro já está na lista espero poder comprá-lo o mais breve possível :D

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  3. Nossa que interessante... Quem olha a capa não faz idéia do tipo livro. Adorei a resenha e pelo visto vc se emocionou muito lendo. Sei como é isso... Com certeza eu leria... Esse é o tipo de livro que gosto de intercalar com livros fofinhos... Gostei!

    ResponderExcluir
  4. Minha linda, pra variar mais uma belíssima resenha que me deixa roxa de curiosidade. Adorei e apesar da capa ser simples é fantástica. ;)
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  5. Amei a sua resenha Zilda! Sou uma apreciadora de narrativas que envolvem 'conflitos' familiares e tenho certeza que irei me surpreender com este livro!
    Provavelmente será um dos próximos livros solicitados para a Manu da Galera!
    Parabéns pela resenha e por indicar a leitura!

    Sucesso com o blog!
    Beijos! :*

    Adriana Souza
    http://umbestsellerchamardemeu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Zilda linda, haha! Eu li um livro que era mais ou menos assim. O título era: Pássaro contra a vidraça. Você deve não conhecer, pois é um livro desses que tem nas bibliotecas escolares. A resenha está magnifica, adorei mesmo!

    Bjs, te adoro!
    http://likelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente eu preciso te agradecer por ter me chamado para ler esta resenha incrível!! Estou encantada!! Linda, perfeira e maravilhosa. Se eu tinha alguma dúvida na leitura deste livro, elas foram todas embora agora mesmo!!
    Gosto de livros assim, mas doloridos e que tem amor envolvido. Me apaixonei por Jonah e Bea só pela resenha, não vejo a hora de ler o livro!!

    Bjkasssssss

    ResponderExcluir
  8. Oi Zi
    Gostei da sua resenha e não imaginava que esse livro seria tão interessante assim. Valeu a dica e já coloquei ele na minha listinha ;)

    Beijinhos
    Renata
    Escuta

    Essa

    ResponderExcluir
  9. Oi amiga!

    É primeira resenha que eu leio do livro e adoreii a temática, parece ser muito bom o livro. Estou curiosa para ler.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  10. Oi Zilda, comecei a ler sua resenha meio receoso por causa da capa, que não curti, achei simples e um pouco sem graça, mas gostei do que você escreveu. Gosto de livros que prendem minha atenção e que me fazem refletir um pouco sobre a vida.. Achei legal o fato da diagramação ser diferente, isso ajuda muito :) Enfim, curti o livro..

    Abraços
    www.entrepaginasdelivros.com/

    ResponderExcluir
  11. Desde que foi lançado eu tive vontade de ler. Adorei a sinopse dele e fiquei super curiosa.
    A sua resenha é a primeira que leio sobre o livro e tenho certeza de que quero muito ler! Ainda mais com o final surpreendente! Eu gostei da capa dele também, simples e bonita. :)

    ResponderExcluir
  12. Essa é a primeira resenha que li sobre esse livro, mas ele já tinha chamado minha atenção por motivos fúteis: vi a menina mostrá-lo em um dos videos Caixinha de correio e achei a capa, diagramação e cores tão linda que desejei tê-lo em minha estante. E depois de ler essa resenha, a vontade só aumentou, dessa vez pela historia!

    Beijokas
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. cara sou mega curiosa para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  14. Hummm... muito instigante essa resenha Zilda, não é o tipo de livro que costumo procurar, mas fiquei bastante interessada mesmo! Também achei a capa linda com o contraste do rosa no preto ;)
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Assim que vi esse livro nos lançamentos fiquei intrigada com a capa e o título! Primeira resenha que leio e já me deixou curiosa a respeito dos personagens e da narrativa! Estou precisando ler um livro assim, tem tempo que não leio!! Parabéns pela resenha!!

    Beijos,
    lovesbooksandcupcakes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Quem diria que um livro desse tipo físico seria tão profundo e permeado de emoções? Fico chocada com isso, e só me prova que a capa não diz nada, achei que fosse um livro fofinho, cheio de beijinhos e pegações, mas apenas isso. E claro, mais uma vez me enganei.


    Ps: Vou te vistar pq tu sumiste. Vou na polícia local e apareço por aí. Fuiii

    ResponderExcluir
  17. Oi, Zilda!
    Eu adorei a resenha, acho que esse livro é bem emocional mesmo (:
    Eu achei, pela resenha, que o menino pode ser o personagem com o qual eu possa me identificar. Sua resenha está clara, essa sinopse que eu achei confusa rsrsrs Adorei e agora eu quero mesmo ele ><
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá Zilda,

    Muito curioso em relação a esse livro, vejo muitos falarem bem e aqui ocorreu o mesmo...vai para a listinha...parabéns pela sua resenha....abraços.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Poxa, eu li tanta coisa a respeito do livro e nunca tinha conseguido entender do que se tratava. Sua resenha sanou minhas dúvidas. Achei a capa do livro graciosa, e o trecho que li na época do lançamento era legal.

    Fiquei curiosa pra saber o final, já que ele é surpreendente e tal. Vou atrás desse livro, obrigada flor!

    Beijo,

    Raquel Moritz
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto