|Resenha| Condenada - Chuck Palahniuk @EditoraLeya

quarta-feira, agosto 07, 2013


A filha de uma estrela de cinema narcisista e de um bilionário, Madison, é abandonada em uma escola interna na Suíça durante o Natal enquanto seus pais estão divulgando seus novos projetos e adotando mais órfãos.Ela morre de uma overdose de maconha– e a próxima coisa que sabe é que está no inferno.
Madison compartilha sua cela com um grupo heterogêneo de jovens pecadores que é quase bom demais para ser verdade: uma líder de torcida, um atleta, um nerd, e um punk, unidos pelo destino para formar a versão “six-feet-under” do filme favorito de todos. Madison e seus amigos caminham através do Deserto de Caspas e escalam a Montanha Traiçoeira de Unhas para enfrentar Satanás em sua cidadela. Todos os doces, que servem como moeda no inferno, não poderão comprá-los.


Pra começar vou logo dizendo que me sinto outra pessoa após a leitura de Condenada. Se antes eu já me sentia esquisita, meio fora do esquadro agora, as coisas pioraram. É sério. Chuck Palahniuk despertou em mim uma sensação bem estranha, uma vontade de libertação, de desapego, sabe. Pode parecer confuso, mas o que de fato quero externar é o meu desequilíbrio emocional após a leitura. 

Ao receber o review do livro por e mail foi amor à primeira vista. Primeiramente pela capa que é simplesmente linda e expressiva. Depois a sinopse me conquistou de vez. Normalmente quando me apaixono logo de cara por um livro não procuro por nenhuma informação extra. Nada de resenhas alheias. Vou ao encontro do inesperado. Às vezes o resultado é positivo. E foi acreditando nisso que me aventurei a conhecer o inferno criado por Palahniuk.

Sabe aquela ideia que temos de inferno? Labaredas, criaturas demoníacas e coisas do gênero? Bem, o inferno descrito pelo autor segue uma linha paralela. Alguns elementos permanecem, outros fogem totalmente do “real”. Por um acaso você imagina que o chão do inferno seja repleto de doces? Do tipo pipoca doce e jujuba? Pois bem, até que o inferno parece um lugar bem interessante, não é mesmo? Mas espere! Antes de sair por aí achando que o inferno pode parecer um lugar tão legal para se passar a eternidade quanto o céu espere por informações preciosas. 

Madison Spencer está condenada a passar o resto de sua eternidade no inferno. Madison vai parar no inferno por uma causa completamente absurda. Acredita ter morrido por overdose de maconha. Imagina só! Seria possível uma coisa dessas? Com certeza não. Mas os absurdos de Palahniuk não param por aí.

Madison é uma garota rica de 13 anos. Sua mãe, atriz de cinema e seu pai, roteirista não dão a mínima para a filha. Aliás, os pais de Madison são adeptos da erva milagrosa e acreditam que todos os problemas possam ser resolvidos com uma boa chapada. Madison é muito careta. Sempre recusara a ervinha e ainda sentia-se solitária por não receber o carinho e a atenção dos pais. Madison vive reclusa num colégio interno na Suíça. Rica, boca virgem, fora dos padrões de beleza ditados pela sociedade, e apaixonada por seu irmão de criação Goran, definitivamente Madison não tem a vida que gostaria. E por esse motivo a morte pode significar um alívio.

No inferno Madison conhece quatro adolescentes que ao seu lado irão desbravar o inferno. Leonard, o nerd que conhece todos os jogos e por esse motivo conhece a hierarquia dos demônios; Patterson, um jogador de futebol americano; Archer, um punk de cabelo moicano azul e Babette, uma patricinha que curte usar bolsas e sandálias de grife “falsas”.

Desbravar o inferno requer muita coragem já que no inferno de Palaniuk não encontramos apenas fogo, lama e larvas. Que tal começar a desbravá-lo pelo Lago de Vômito Fervente? Dar um role pelo Rio de Saliva Quente? Com certeza você não gostaria de ir ao Lago de Merda. Outras paisagens exóticas estão por vir como: o vasto Vale das Fraldas Descartáveis Usadas, As Grandes Planícies de Caco de Vidro, o Pântano de Abortos dos Semiformados, o Mar dos Insetos e o desprezível Grande Oceano de Esperma Desperdiçado. Se minhas descrições não lhe agradaram que tal você pensar em onde despejar suas unhas sujas cortadas e caspas? Tudo isso vai parar no inferno.  
Se soubéssemos o que deveríamos evitar para não garantir nosso futuro nesse ambiente, tenho certeza que faríamos de tudo. Mas caso você pratique as seguintes ações, CUIDADO! Você está ferrado!
"A maioria das pessoas não tem a menor ideia de como é fácil ser condenado, mas, se alguém disser porra pela 701a vez, ele ou ela será condenado(a) de modo automático. Regras similares se aplicam à higiene pessoal; por exemplo, na 855a vez que você deixar de lavar as mãos depois de esvaziar os intestinos ou a bexiga, está condenado. A 300a vez que você usar a palavra neguinho ou a palavra bicha não importa sua raça ou preferência sexual, você acaba comprando aquele temido bilhete só de ida para o submundo." 

Até outro dia eu só conhecia Chuck Palahniuk por seu célebre e memorável Clube da Luta (o filme). Não sei por que cargas d'água nunca me arrisquei a ler o livro. Enfim, isso é praticamente uma heresia se tratando da obra mais importante do autor. Mas o fato é que a partir de Condenada o equivoco será corrigido. Toda e qualquer obra que esse carinha, digo “gênio” vier a publicar não passará em branco. Com seu humor sardônico e sua toda sua escrita mordaz e desconfortante, Condenada é a prova de que existe salvação nesse mundinho de narrativas com fórmulas prontas. 

Ler Condenada foi uma experiência surreal. Condenada é um livro altamente corrosivo. Feito pra impactar, feito pra tocar na ferida. Um livro que fala da fragilidade das relações, da busca infindável pela perfeição e acima de tudo ela fala de verdades absolutas fajutas impostas por essa sociedade preconceituosa na qual vivemos. E por aí. Perdoem minha vã filosofia. Madison é apenas uma menina de 13 anos, tímida e que sofre bullying. Dos pais, dos colegas da escola, e que busca respostas para compreender a si mesmo. 

O que mais me chamou atenção no livro foi a maneira como Palahniuk construiu essa atmosfera. Alguns elementos inseridos no contexto pareciam desconexos. E cheguei a pensar que o cara era meio louco. Bem, fui á procura de resposta para tentar sanar minhas dúvidas. Descobri que de louco o cara não tem nada. Ele é apenas um gênio que decidiu escrever sobre um inferno que muitos de nós já conhecemos. 

Em suma, Condenada é um livro que fala especificamente sobre dor e perdão. Utilizando uma linguagem sarcástica, Palahniuk prende o leitor a cada parágrafo.

"E aí, Satã? Sou eu, Madison. Por favor, não fique magoado, Satã, mas meus pais me criaram para que eu não acreditasse em sua existência. Minha mãe e meu pai disseram que você e Deus foram inventados pelo cérebro de ervilha, atrasado e supersticioso, de pastores caipiras e republicanos hipócritas."

Gosto dessa abordagem. Gosto de autores ousados, provocadores, que nos tiram da zona de conforto. Autores que se propõem a escrever sobre coisas desconfortáveis, que aos olhos da maioria são considerados extravagantes, esquisitos. Palahniuk é tudo isso e Condenada é o seu retrato.

Condenada é o primeiro livro de uma trilogia. O segundo, Doomed (Sentenciada) tem previsão de lançamento nos EUA para o dia 8 de outubro deste ano. E para os fãs que curtem seu trabalho, Palahniuk anunciou na Comic-Con, evento sobre cultura pop em San Diego, que está trabalhando em uma continuação em quadrinhos de seu maior sucesso: Clube da Luta.
Segundo Chuck o projeto já foi apresentado a Marvel, DC e Dark Horse. A série de livros vai atualizar a história, contando o que aconteceu 10 anos após o fim aparente de Tyler Durden. O livro já foi adaptado para o cinema em 1999 pelas mãos de David Fincher.

Nem preciso dizer que recomendo a leitura. É óbvio que sim! Não basta lê-lo. Condenada é um livro para ser relido. Grifado. Cinco estrelas é pouco. Muito pouco. Uma temporada no inferno vai ser no minimo interessante.

“Sim, todos parecemos um pouco misteriosos e absurdos uns aos outros, mas ninguém parece tão estrangeiro quanto alguém morto. (...) Pior do que alcoolismo ou vício em heroína, morrer parece ser a maior fraqueza; e, num mundo onde as pessoas dizem que você é preguiçosa por não depilar as pernas, ser morto parece ser a derradeira falta de caráter.”




FICHA TÉCNICA
Título: Condenada 
Título Original: Damned 
Autor: Chuck Palahniuk 
Editora: LeYa 
ISBN: 9788580448214 
Páginas: 229 
Ano: 2013 

Você também pode gostar

15 comentários

  1. Nossa! Nunca tinha visto uma resenha sobre esse livro, mas gostei da sua. Entretanto, não consegui me decidir se quero ou não lê-lo, apesar de você ter adorado, rs.
    Beijos,

    Letícia
    http://www.odomdaescrita.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Me pareceu um livro diferente... kkk
    Não sei se leria, mas parece bem legal.
    Não gostei da capa. Parece aqueles baners de circo. kkk
    O legal da leitura e que viajamos para os cenários relatados e nesse nós vamos para o inferno. kk
    Ótima resenha!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. To rindo do boca virgem porque fazia anos que eu não escutava essa expressão. Mas poxa, 13 anos é normal né? Nem sabia que a protagonista era TÃO NOVINHA. #choquei

    Leia Clube da Luta. Ele tbm é ousado e corajoso. O filme e o livro só divergem no final, eu acho. Mas ficou bem fiel. O Chuck tem prazer em chocar. Quando ele fez a leitura de um conto dele para uma platéia, teve gente que saiu vomitando. For real. Ele é muito tenso, hehehe.

    Beijo, ótima resenha. Meu namorado está lendo o livro e curtindo muito. Acho que vou por na minha listinha desse ano :)

    Rachel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  4. Uau! Mas que sensacional e criativo, fiquei curiosa... amei a resenha e me diverti contigo!
    Beijo, beijo
    She

    ResponderExcluir
  5. Bem Legal, não conhecia esse livro dele, li Assombro, e o livro é ótimo. Uma overdose de narrativa contemporânea, da narrativa desconstruída a fim de dedilhar uma nova forma de narrar.

    ResponderExcluir
  6. Amei a resenha Zilda!
    Adorei: 'Uma temporada no inferno vai ser no mínimo interessante!'
    :))

    Beijos!
    :*

    Adriana Souza
    http://umbestsellerchamardemeu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. E eu não sei por que cargar d'água esse livro ainda não está na minha estante.
    Pelamor eu enlouqueci aqui!!!
    A resenha tá incrível Zilda, mas tem uma coisa que preciso dizer, a resenha ficou linda porque o livro me parecer maravilhoso!!
    Não esperava tudo isso que você disse. Até porque O Clube da Luta é um livro bem pesado, enfim, esse é diferente.
    E eu amei!! Vou amar a leitura, tenho certeza.

    Bjkasssss

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Esse eu ainda não conhecia mais já lhe garanto que necessito ler ele.
    Não gostei muito da capa, mais depois que li sua resenha tem tudo a vê. É que resenha em? Amei! Agora não tem como não desejar ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Não sei, posso estar errada, mas acho que o livro tenha um pouco de ar cômico. Acho que tirei isso por causa dos nomes das áreas do inferno. Bem, eu não li o livro porque o julguei pela capa e a capa me assusta então fiquei receosa. Entretanto, após sua resenha fiquei curiosa em relação ao livro. Não li nenhum trabalho do autor, mas conheço ótimas críticas sobre ele.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Porra, me deixou curiosa... Parece ser O LIVRO!!! Vou colocar na lista. A capa dele nunca me chamou a atenção e nunca li nenhuma resenha... Gostei!

    ResponderExcluir
  11. Quando vi a o lançamento desse livro fiquei mega curiosa, me pareceu ser bem diferente de tudo o que estamos acostumados a ver por aí. Mas depois dessa resenha, eu tenho certeza de que esse é um livro marcante que eu vou querer ler e reler e grifar e citar em todos os lugares. Adorei!
    B-jussss!

    ResponderExcluir
  12. Oi Zilda, te confesso que não dava nada pelo livro e nem teria vontade de ler a sinopse só pela capa, ela não me agradou como a vc!!
    Mais ler sua resenha não só me fez mudar de opinião como me fez ler a sinopse tb!!
    Agora eu desejo ler o livro ^^
    Adorei sua resenha!!

    Beijos Mila

    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/2013/08/novidades-editora-arqueiro-e-sextante.html

    ResponderExcluir
  13. Oi Zilda
    Esse livro do Palahniuk, já está na minha lista de desejados *-* Adoro os livros dele e esse não pode ficar de fora ;)
    Parabéns pela resenha!
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  14. U-A-U que resenha Zilda, eu não dava muita coisa para esse livro, a capa eu não curti muito, mas depois da sua resenha com certeza irei ler, quero sim com certeza descobrir sobre esse inferno que o autor descreve no livro e assim sair de minha zona de conforto, espero assim como você gostar muito do livro.

    BjOs!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Estou terminando esse livro hoje.
    Deus como a leitura foi diferente para mim...ops falei a palavra com D. (quem leu entende)
    Aprendi a gostar da Madison, mas é uma narrativa que não foi feita para mim.
    ;)
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto