Resenha: Métrica - Colleen Hoover @galerarecord

segunda-feira, agosto 26, 2013


O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina.Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.


Levei um tempo para assimilar Métrica. Quem me acompanha pelo Facebook pode perceber que me rasguei em elogios e cheguei a dizer que o livro era muito bom. Bem, se me permitem gostaria de fazer algumas ressalvas e, não são poucas. 
É estranho que por mais que o livro tenha me tocado em determinado momento sinto a necessidade de xingar Colleen Hoover. 

Fã de carteirinha do gênero New Adult, Métrica foi o primeiro livro do gênero que não dei tanta importância. Cometi aquele erro básico e completamente humano de julgar um livro pela capa. Acho a capa feia e acredito que isso é um dos fatores predominantes para que o leitor se sinta atraído. Não estou dizendo que é o mais importante..pelo amor! Se o enredo for ruim a capa é a coisa mais irrelevante. Não sabia bem o que esperar do livro, pois nem sequer li resenhas a seu respeito. Baseie-me, única e exclusivamente na citação feita por Tammara Webber (autora de Easy, que simplesmente sou apaixonada). Tammara disse na capa do livro: “Único, diferente de tudo que se vê por aí...Leia” 

Bem, levei em consideração as suas palavras e decidi dar uma chance ao livro que até o momento não era uma das minhas prioridades. 

Tammara não mentiu em momento algum. Métrica é realmente um livro diferente de tudo que já vi por aí, por isso, ele merece ser considerado único. Acho que esse é o adjetivo mais apropriado para defini-lo, os demais ficam a cargo do estado emocional do leitor. Colleen Hoover construiu uma narrativa com muitos baixos e altos, exatamente nessa ordem, mas tal desequilíbrio é totalmente justificável. 

Aos 18 anos Layken acabara perder seu pai para um infarto. Além da perda do pai, ela tem de se mudar de sua cidade natal, Texas, para a cidade de Michigan. Layken não aceita muito bem a mudança, mas sua mãe Julia não lhe dá outra escolha. Inicialmente Layken sente-se perdida, sua nova casa está longe de ser considerado um “lar” dentro de suas expectativas. Desanimada Layken não espera que nada de interessante possa lhe acontecer, até conhecer seu novo vizinho: Will Cooper. 

Will é um cara muito prestativo, generoso, simpático, e claro, gato, muito gato. A atração entre os dois acontece instantaneamente. Seus irmãos caçulas também se identificam imediatamente e começam uma grande amizade. Kel e Coulder são duas crianças extraordinárias e, cabe aos dois uma grande importância dentro da vida de Layken e Will. 

Will convida Layken para sair e apresenta o Slam Poesia( onde pessoas recitam poesias de sua autoria). Mas não é apenas um simples recitar de palavras, é na performance que está toda a diferença. As cenas onde as apresentações aconteciam são de arrepiar. 

Layken não imaginava que após seis meses de luto e tantas reviravoltas em sua vida pudesse pensar em ser feliz novamente. Tudo acontece muito rápido e como num conto de fadas, até o primeiro dia de aula quando Layken descobre algo que definirá o futuro dos dois como um casal. 

Colleen Hoover não poupou o leitor dos terríveis clichês ao longo da narrativa. Não tenho particularmente nada contra o uso deles. Contudo, é preciso cautela para utilizá-los, senão a narrativa torna-se um tanto repetitiva. 
Métrica é dividido em duas partes: na primeira temos que aturar uma personagem chata, mimada e insegura. Levemos em consideração que a mocinha perdeu o pai, mudou de cidade, está atrasada um ano na escola e etc. Por esse motivo acho que a primeira parte do livro foi a mais chata. Já na segunda parte, Layken já demonstra mais segurança e começa a se tornar um pouco mais simpática. Mesmo assim, Layken leva merecidamente pra casa o troféu “ Kristen Stewart – a mocinha mais sem sal do gênero New Adult”. 
Outra coisa que me intrigou bastante foi o fato da autora unir os dois gêneros: Young Adult e New Adult em sua narrativa. Não aprovei. A ingenuidade e o amadurecimento de Layken se confundem. Em certos momentos a personagem é mais infantil que seu irmão Kel de apenas 9 anos. 

Outro fator que desaponta as leitores fiéis aos estereótipos presentes em livros do gênero é Will. Essa coisa de dizer que o ideal é que o carinha tenha pegada e seja romântico tem o seu lado controverso. No caso de Will, por exemplo, a autora exagerou na dose. Muito certinho, muito politicamente correto, o genro que toda mamãe gostaria de ter. Hum...não sei. Soa falso demais, perfeito demais. Por isso, não me agradou tanto. Faltou mais entrega. Esperava maiores conflitos e atitudes de sua parte. 

Quem realmente me conquistou foi Eddie, a melhor amiga de Layken. A menina é pirada. Simpática, extrovertida, segura, tem atitude, apesar de todas as dificuldades que passou na sua vida e, que não foram poucas. Por isso, acho que se a autora estivesse escrito a respeito de Eddie, aí sim, Métrica seria um bom livro. Teria muito mais a ser desenvolvido e sua trama não pareceria mais umas daquelas novelas mexicanas. O relacionamento de Eddie e seu namorado Gavin é lindo. Romântico na medida. 

As melhores partes do livro incluem os diálogos de Eddie e o momento mais emocionante foi a festa de seu aniversário. O que foi aquilo? #MomentoPartiuMeuCoracao 

Apesar de não ter me identificado com a narrativa de Colleen devo parabenizá-la por sua sensibilidade. Métrica foge aos moldes prontos dos livros do gênero e, por esse motivo ela merece elogios. A ideia de inserir o slam na narrativa foi brilhante. O livro não se resume a apenas conflitos amorosos e diálogos pueris. A importância e o valor da família na vida de Layken e Will é uma das mensagens mais bonitas da narrativa. Achei incrível apresentar a poesia de forma tão inovadora. Muitos leitores que ainda não curtem o gênero podem se familiarizar com ele através do slam. Existem muitos vídeos legais na internet que explicam melhor como funciona e certamente, você irá se apaixonar com algumas apresentações. 

Como havia dito anteriormente, Métrica possui muitos baixos e altos. E uma das escolhas mais acertadas da autora foi incluir quotes das músicas da banda Avett Brothers ao longo da narrativa. Na passagem dos capítulos cada um dos trechos escolhidos traduz o sentimento dos personagens. 


Uma das poucas coisas que me agradaram foi sem sombra de dúvidas a trilha sonora do livro. Gosto muito quando um autor se utiliza de tal recurso para sensibilizar e aproximar o leitor. Assim podemos nos entregar por inteiro as emoções. Sou apaixonada pela banda Avett Brothers e por isso, Colleen Hoover ganha minha admiração. Uma das coisas que mais admiro numa pessoa é o seu gosto musical. Sinal de Colleen pode ainda não ser lá grande coisa como escritora, mas entende muito de música. ("Momento *alfineta porque eu não sou de ferro,né!)

Pra quem curte um bom romance, daqueles bem açucarados, bem “à moda Nicholas Sparks”, provavelmente vá se identificar com Métrica. Mas para quem espera encontrar níveis de testosterona e adrenalina em seus personagens masculinos e mocinhas fortes e decididas, possivelmente irá se decepcionar com o livro. De qualquer maneira, vale a leitura. Costumo dizer que todas as experiências são válidas. Poderia definir Métrica como um livro: bonitinho, fofinho, legalzinho e só. Acho muito “inho! para um livro só. Fechando o livro e apertando o play.

Série Slammed
1- Métrica (2013)
2- Point of Retreat 
3- That Girl 



FICHA TÉCNICA
Título: Métrica
Autor(a): Colleen Hoover
Editora: Galera 
Páginas: 304
ISBN: 8501401862

Você também pode gostar

15 comentários

  1. Eu gostei do livro,mas concordo com a sua resenha ele é fofinho,bom para ,ler numa tarde fria e aquecer o coração,não arrebatador mas é bem legal!!

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oieeee. Entendi tudo!!
    Mas eu gostei tanto. Talvez eu estivesse vivendo um momento clichê da vida. As vezes eu fico assim, você sabe. Até a chapeuzinho vermelho me faz chorar.
    Resenha incrível!!!
    A Eddie realmente é uma figuraça, adorei ela!!!

    Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Oi Zi
    Ele vai ser a minha próxima leitura ;)
    A sua resenha me deixou mais curiosa ainda pra ler
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  4. Preciso ler Métrica o quanto antes! A cada resenha, fico mais animada a conhecê-lo!

    Boas leituras!

    Thaís

    ResponderExcluir
  5. Bem, ele está na fila! Zilda, concordo quando vc fala sobre a capa, que afinal é só o que posso julgar até o momento já que não o li... A capa é feia... Acho que um New Adult merece uma capa mais bonita e prenda o interesse... Tem de começar por ai, para mim começa por aí. O resto das suas críticas são plausíveis! E sim, é fato... Homem totalmente certinha não é real... E muitas vezes um toque bad, um toque cafajeste, sei lá um toque "GABE" ou "GIDEON" deixa o cara irresistível! hahahahahaha Eu vou ler o livro, mas é bom ter lido uma resenha assim, não vou com tanta sede ao pote! Excelente resenha como sempre!

    ResponderExcluir
  6. Bem, eu realmente estou confusa em relação a esse livro. Muitos falam bem, muitos falam mal! Sei lá o que pensar!
    Mesmo assim, gostei da resenha!

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Amiga... Acho que pensando por esse lado você está certa, mas tenho que admitir que comecei a ler Métrica sei lá porque, então não tinha muitos critérios e acabei gostando! Dei nota máxima ao livro!

    Bjsss
    Niii
    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Own!! Que resenha Zilda, tirou meu chão.. hehe
    Acabei de ler uma resenha mais que positiva, e lendo a sua fiquei até em dúvida se irei gostar ou não..
    Mais vou ler e tirar minhas conclusões, e te chamo para dar uma olhada..

    Beijos Mila
    Se der passa no Daily e deixe sua opinião
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/2013/08/um-livro-um-debate_27.html

    ResponderExcluir
  9. Falam muito do livro, morro de vontade de ler, certeza que vou amar.
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Nossa, é a primeira resenha com pontos negativos do livro que eu leio. Estavam falando tão bem da história, eu estava cheia de expectativas.
    Mesmo assim, ainda quero muito ler!!!!
    Beijos.
    Cila- leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Jura que Métrica é assiiiiiim açucarado????? Nossa, achei que fosse menos. Eu me interessei pela história no lançamento, mas vendo agora a resenha, acho que eu não me identificaria muito não. Ah, dei risada no: #MomentoPartiuMeuCoracao HAUEHAUEHUH

    Beijo, gata! :***

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela resenha. Estava pensando em ler o livro mas eu corro dos livros do Nicholas Sparks como o diabo foge da cruz!
    Não suporto esses homens perfeitos. Parei no tempo e prefiro Patrick (10 coisas que odeio em você) ;p
    bjs
    sobrevivendomundomoderno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi, Zilda!
    Eu acho Métrica único tbm, mas de tão ruim que é.
    Concordo com você na maioria dos pontos, inclusive sobre Layken e a narrativa. Mas como um todo o livro é muito ruim mesmo, carece de tudo, mal escrito e tal. Muito clichê e eu to correndo do genero agora rsrsrs
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Entendi bem sua resenha, muito boa por sinal...mas gostei muito do livro!

    ResponderExcluir
  15. Ola, adorei sua resenha, da uma olhadinha no meu blog =)

    http://ccorujaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto