|Resenha| Todo Dia - David Levithan @galerarecord

terça-feira, agosto 20, 2013


Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia.
Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


Desde o anúncio do lançamento do livro que venho segurando minha ansiedade. E como era de se esperar cá estou: completamente extasiada diante tamanha grandiosidade de David Levithan. Penso que descobrir um livro que toque profundamente nossa alma é como ganhar na loteria, aliás, é algo muito melhor. Só quem já teve essa experiência sabe do que eu estou falando.

David Levithan me impressiona com sua genialidade. Sinto-me estranha. É como se perdêssemos o controle de nossas emoções a partir do momento em que adentramos em sua narrativa. É como andar de bicicleta pela primeira vez ou como quando conseguimos algo que desejávamos muito e por fim conseguíssemos realizar. Sinto a necessidade de esboçar os sentimentos que a leitura de “todo dia” me causara. 

Meu primeiro contato com Levithan foi através de”Will & Will, Um Nome- Um Destino”, outro grande sucesso lançado recentemente pela editora Galera Record, escrito em parceria com John Green. Quem teve a oportunidade de ler o livro sabe do que estou falando e, quem ainda não leu precisa urgentemente adicioná-lo a sua lista de compras. Em Will & Will, David já dera o gostinho do que poderíamos encontrar em um livro onde ele pudesse explorar todo seu talento. Por esse motivo gerar expectativas sobre qualquer trabalho que leve sua assinatura é completamente compreensível. Fico muito feliz em dizer que as minhas expectativas foram preenchidas e digo mais, “todo dia” transcende a perfeição.

Como homossexual assumido Levithan tende a abordar o assunto em suas narrativas com toda a naturalidade e delicadeza que lhe competem. Num primeiro momento fiquei um pouco confusa em relação à identidade, ou melhor, o gênero de seu personagem.

Em determinados momentos pude configurar A. como um individuo ora do gênero masculino, ora do gênero feminino. O que percebemos é que A. não necessariamente precisa se enquadrar em nenhum dos dois. A todo o momento Levithan enfatiza que não importa o corpo a qual A. esteja hospedado. E de fato isso realmente não importa porque o amor vai muito além de uma mera classificação. A. é um personagem “sem gênero”. Levithan expõe isso claramente: não importa se você é menino e gosta de menino. Ou se, é menina e gosta de outra menina, ou se é um menino que se sente menina ou vice-versa; o que importa é o amor. Esse sentimento que nos une e que tanto nos completa.

Gosto da maneira como Levithan discorre sobre a homossexualidade. É evidente que o autor não tem intenção de fazer apologia ou levantar qualquer bandeira, pois “todo dia” é um livro que tem como único objetivo encantar o leitor.

Todos os dias A. habita um novo corpo e tenta não interferir na vida das pessoas. Não se sabe direito como A. chegara nessa situação. A única coisa que sabe é que durante 16 anos de vida ele habita um corpo diferente todos os dias. Apesar de já ter “vivido” muitas vidas A. nunca se conectara a ninguém. Não até ser Justin por um dia e se apaixonar perdidamente por sua namorada Rhiannon. A. nunca sentira nada igual e não sabe muito bem lidar com a situação. 

Rhiannnon é obcecada por Justin e não consegue enxergar o quanto seu namorado é frio e distante. Juntos há um ano, Rhiannon não consegue imaginar sua vida longe de Justin. Até uma pedra de gelo seria uma companhia muito mais interessante para Rhiannon. Por esse motivo, A. decide presentear Rhiannon com algumas horas de felicidade. Um simples passeio à beira-mar está prestes a alterar a vida de ambos. A. sente-se conectado a Rhiannon e sabe que não será nada fácil levar essa história adiante. Como seria possível amar alguém sendo uma pessoa diferente todos os dias? 

Levithan já fora genial em criar um personagem que não têm nome, corpo e gênero, mas sua criatividade vai além ao criar tantos personagens “secundários” que na verdade atuam como primários ao decorrer da leitura. A cada corpo habitado A. nos relata como é acordar todo dia em um corpo diferente, mas as características físicas estão muito longe de ser o foco principal. São os sentimentos, anseios, angústias e conflitos pelos quais todos estão envolvidos que nos chamam a atenção. São histórias paralelas que se confrontam e possuem muitas características em comum. Em cada uma delas Levithan nos convida a refletir sobre um determinado assunto, alguns leves outros nem tanto, como: depressão, alcoolismo, religião, trabalho escravo, bullying entre outros. Contive-me em segurar as lágrimas em determinados momentos. Não há como não se identificar em algumas das histórias narradas por A. Sempre muito objetivo em ilustrar situações corriqueiras, Levithan disseca sobre situações que qualquer adolescente de 16 anos poderia vivenciar. A maneira como o autor escreve é muito peculiar. 


"Ao longo doa anos, fui a muitas cerimônias religiosas. Cada uma que frequento apenas fortalece minha impressão geral de que as religiões têm muito, muito mais em comum do que gostariam de admitir. As crenças são sempre praticamente as mesmas; apenas as histórias diferem. Todas as pessoas querem acreditar num poder superior. Todas querem pertencer a algo maior do que elas mesmas, e todas querem companhia ao fazer isso. Querem que haja uma força do bem na Terra; e querem um incentivo para fazer parte disso. Querem ser capazes de demonstrar sua crença e sua participação por meio de rituais e de devoção. Querem tocar o que é grandioso.
É somente nos pontos mais delicados que fica complicado e controverso, a incapacidade de perceber que, não importa qual seja nossa religião, sexo, raça ou localização geográfica, todos nós temos cerca de 98 por cento em comum com todos os outros. Sim, as diferenças entre homens e mulheres são biológicas, mas se você observa a biologia como mera questão de porcentagem, não há muita coisa diferente. A raça é diferente apenas como construção social, e não como uma diferença inerente. E quanto à religião, quer você acredite em Deus, Javé, Alá ou qualquer outra coisa, é provável que, em seu coração vocês queiram a mesma coisa. Por uma razão qualquer, nós nos concentramos nos dois por cento da diferença, e a maior parte dos conflitos que acontece no mundo é consequência disso.

É difícil optar por apenas um corpo pelo qual A. tenha habitado, pois cada um preencheu um espaço importante mesmo não sendo esse o foco principal do livro. Foi difícil segurar as lágrimas e conter o riso por diversas vezes. O pior é que li grande parte do livro durante uma viagem de trem e, imaginem o quanto foi complicado disfarçar minhas emoções. No começo foi estranho porque algumas pessoas ao meu redor simplesmente me olhavam com uma cara bem esquisita, achando no mínimo que eu era louca por estar falando ou rindo sozinha. Bem, Levithan é desses que nos faz corar facilmente. Depois desencanei. Deixei-me levar pela emoção e fiquei pensando em quanto esse momento era único.

Levei muito mais tempo do que o normal para finalizar a leitura, pois não conseguia me desligar de A. Prolonguei ao máximo esse momento para guardá-lo em minha memória, pois não é todo dia que nos deparamos com histórias tão intensas. 
Marcado de post-its do início ao fim, “todo dia” é um livro para se ler em doses homeopáticas. Todo dia uma dose diária de amor, em contas gotas, para que seu efeito seja duradouro.


"Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho. 
Ele depende de nós para conquistar em seu nome."

O desfecho da narrativa é simplesmente perfeito. Por mais que as coisas parecem óbvias, Levithan nos surpreende a todo o momento. Afirmo que “todo dia” é um dos melhores livros que li até o momento. Se houvesse uma classificação acima de favorito certamente ele a levaria. Por isso, recomendo a leitura a todos mesmo que isso pareça redundante. Como diz minha amiga Lele: Levithan é vida. Eu acrescentaria: Levithan é amor.





FICHA TÉCNICA
Título: Todo Dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
N° de Páginas: 280
Skoob
Onde comprar

Você também pode gostar

42 comentários

  1. Zildaaa eu amei!! Levithan é vida ♥
    Eu imaginei que você iria amar. Você precisa ler NICK E NORAH, também é perfeito!!!

    Sou como você, fico enrolando na leitura, chego a ler o mesmo parágrafo mais de uma vez, só pra leitura durar mais, curtir mais um pouco do autor.

    Não vejo a hora de conhecer A. e suas aventuras em corpos diferentes.
    Quero conhecer Justin e Rhiannon, quero saber tudo sobre eles!!

    Começo hoje a noite a ler este livro (se tudo correr bem, rs).

    Amei-adorei-apaixonei pela resenha!!

    Bjkassss

    ResponderExcluir
  2. Porra, que resenha perfeita Zilda! Adorei! Não conhecia o livro e nunca li nada do autor! Com certeza vai para a listinha de leituras futuras... Nem tem o que questionar... É ler ou ler...

    ResponderExcluir
  3. Amiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiga *-*
    Que saudade, poxa!
    Eu fiquei assim :O lendo a resenha livro. Não vi divulgação do livro, não vi nada ainda dele e me deparo com uma resenha dessas? Ah, por favor, isso deveria ser proibido, fica aí instigando a curiosidade (leia-se dinheiro) do outros. Agora deixando de palhaçada...

    Esse livro me fez pensar em um outro livro que li recentemente, esse jogo psicológico que causa em nós, sem bem como é isso.

    Beijos e saudade de ti, doidinha!

    ResponderExcluir
  4. Nossa Zilda, que resenha apaixonada heim?! Confesso que não tava dando muita bola pra esse livro não, mas acho que depois de tudo que eu li aqui vou dar uma procurada por ele. Só estou um pouco receoso de estranhar essa narrativa com um personagem sem gênero, sem corpo, quase abstrato, rsrss. To com 'will e will' aqui e vai ser uma das próximas leituras. Parabéns pela resenha encharcada de paixão!

    www.cabanadoslivros.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Zilda, você já leu este livro?! hehe
    Haa acredito que seja de mesma magnitude que Will & Will, surpreendente até..
    Eu amei sua resenha e cada palavra e cada Quote..
    Já folhei o livro e amei o que li, agora é pegar novamente e me entregar a leitura!!

    Beijos Mila
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie miga, tudo bem?

    Adorei a resenha, série, amei você dizer que esse livro seria classificado acima de favorito, também li uns livros que me deixaram desta maneira. É tão bom quando um livro preenche suas expectativas, né?

    Esse livro já vai para a minha listinha (bem pequena rs) de livro que desejo, espero adquiri-lo em breve !

    Sua resenha me surpreendeu, pois imaginava que o livro tinha outro enredo.

    Beijus

    Renata Sara

    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Bem, estou curiosa pra ver como essa história se desenrola. Me lembrou um pouco o amor impossível de "A mulher do viajante do tempo"... Vou procurar o livro :D

    ResponderExcluir
  8. OMG.. eu ando percebendo que muitos na blogosfera estao lendo esse livro. Mas eu não imaginava que ele fosse assim: lindo, perfeito.
    Eu não li Will & Will, simplesmente nao me atraiu, mas já posso me dizer apaixonada por Todo dia =)
    Sua resenha me cativou muito, e mal posso esperar para conhecer A. =)
    Anotado no topo da lista =D

    Beeijos, Dreeh.
    Livros e tudo que há de bom

    ResponderExcluir
  9. Quando recebo a noticia de que tem resenha nova no cachola, corro para ler, sei que vou amar a resenha, pois a dona do blog sabe escrever perfeitamente!
    Hehe! - Zildaa <3

    Então, li sua resenha e a pesar de ter sido atrapalhado duas vezes, achei ótima. Mas vou ser sincero, não tenho vontade de ler o livro, assim como também não tenho vontade de ler Will & Will ( Preconceito literário ) rsrs.

    Mas confesso que ao finalizar a leitura da sua resenha, pensei: acho que vale a pena arriscar e conferir a obra. Se por um acaso surgir uma oportunidade, eu leio.

    Parabéns pela resenha, parabéns pelo blog.

    Ah e para não esquecer: Eu ♥ O Cachola Literária (assim como também amo a dona).

    Beijos, Érick: www.likelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Esse livrito não me interessa tanto. A capa dele não é nem bonita... kkk
    A história não me convenceria no decorrer da leitura.
    De qualquer modo, ótima resenha. Muito bem escrita

    ResponderExcluir
  11. Oi Zilda

    Adorei que você expressou a sensação da leitura em si, não são tantos livros
    que causam efeito assim, é bom saber os que realmente se destacam.
    Eu não gostei tanto de Will & Will, porém isso não me desanimou a ler Todo dia, é o
    próximo da minha lista. Que curiosa essa ideia do personagem sem gênero, quero ver como ele desenvolveu.
    Maravilhosa a sua resenha <3

    ResponderExcluir
  12. GEEEEEEEENTE, estou tão ansiosa pra ler esse livro! Depois de Will Grayson, Will Grayson, passei a observar melhor o trabalho dele e achei ótimo. Só acho que a capa não faz jus a história :~ Quando eu ler, vou pegar tua dica das doses homeopáticas, pra curtir bastante ♥

    Beijinhoooos!

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  13. Nossa Zilda, o relato que você fez desse livro ficou extremamente convidativo e interessante. Ainda não conheço a escrita do autor, mas fiquei completamente tentada com a sinopse de Todo Dia.
    Mas deve ser difícil demais ficar em um corpo diferente todo dia...
    Sua resenha ficou perfeita.
    Beijos.
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu acho que começarei a ler esse no fim de semana, eu juro por Deus que tô me segurando pra não pegar e ler agora, eu tenho muito o que fazer com relação a escola e tudo o mais, que merda de época do vestibular! Eu tô morrendo de ansiedade pra ler esse livro e conheci o Levithan da mesma maneira que você, hahaha. Sua resenha me animou (e me machucou) ainda mais, hahahaha. Boa semana!
    http://literallypitseleh.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Esse livro mexeu comigo e abalou minhas terias sobre a vida, o amor e a família... Adorei a premissa e o que o autor quis passar com esta história maluca, mas muito forte! Adorei do começo ao fim!!! E a maneira que o A encontrou para fazer a Rhiannon feliz foi muito bonita...

    ResponderExcluir
  16. Gente, cada resenha desse livro positiva que dá sempte vontade de ler e ter na estante. Amei sua resenha e não vejo a hora de ter a oportunidade de ganhar esse livro para mim kkk
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Ansiosa pra ler esse romance. Fiquei curiosa a respeito de A e sua história de viver em um corpo diferente todo dia. Deve ser uma coisa de louco. Amei.

    ResponderExcluir
  18. Quero muito esse livro ,estou super curiosa !

    ResponderExcluir
  19. Olá! Li sua resenha e fiquei ansiosa para ler este livro. A história é emocionante e ao mesmo tempo meio louca, mas que nos prende do início ao fim da leitura.Nota 1000!

    ResponderExcluir
  20. O livro parece ser muito bom, realmente diferente de qualquer livro que eu já tenha lido. Uma ideia bem criativa do autor fazer uma história como essa. Sem falar na resenha que ficou maravilhosa!!!!

    ResponderExcluir
  21. Nossa, to doida pra ler esse livro, apesar de não ser o meu gênero de livro favorito, esse livro me chamou muito a atenção pela sinopse e pelas resenhas que venho lendo (inclusive a sua). A história parece ser muito boa, diferente de tudo que já li, mas muito boa. (:

    ResponderExcluir
  22. Já havia lido algumas resenhas, mas através da sua fiquei muito interessado pelo livro, sendo sincero a primeiro momento não tinha gostado da capa, mas quando eu li a sinopse fiquei louco para ler, a história é muito louco, o enredo dele me envolveu, espero ser o sortudo da vez!!

    ResponderExcluir
  23. Eu nunca li nada do David. Mas só de ler a sua resenha dessa história, já deu pra perceber que o cara é genial!
    Nunca vi uma história tão diferente assim, inusitada. O autor foi muito criativo ao pensar em uma história assim, me surpreendeu!
    Espero ler muito em breve!

    ResponderExcluir
  24. Nossa, eu fiquei imaginando como que é esse negocio de todos os dias estar em um corpo diferente, kkkkkk.
    Nunca li nada parecido, então pretendo ler esse livro :D

    ResponderExcluir
  25. Admito não conhecer o livro, depois que li esta resenha, fiquei super, ultra curiosa. Muito criativo, intrigante, inteligente, e me faz querer ler o quanto antes. Obrigada pela excelente resenha.

    ResponderExcluir
  26. SEGUIDORA: ANDRESSA NUNES

    Resenha bem escrita, abordando o conteúdo de forma simples e inteligente, despertando o interesse dos leitores

    ResponderExcluir
  27. Fascinante é a palavra que resume esse livro, a oportunidade de poder viver varias vidas e como isso é colocado pra nos leitores é incrível, amei a resenha.

    ResponderExcluir
  28. Quero muito ler esse livro. Achei a premissa super interessante, de um ser sem gênero que muda de corpos todos os dias, sem saber se é homem ou mulher, idoso, adulto ou jovem.
    Ainda não li nada do autor, mas estou curiosa para ler Todo dia.

    ResponderExcluir
  29. Nossa gostei muito da resenha, o livro deve ser muito bom! :D

    ResponderExcluir
  30. me enteresso mt por esses generos de livros, na verdade uma historia bem parecida é a do livro Àurica, que ainda n li mas ja vi resenhas de que é uma menina que vai para o corpo de um menino, em fim acho esse tipo de historia mt interessante

    ResponderExcluir
  31. Ouvi uma amiga falando sobre esse livro, fiquei super curiosa e por esta resenha acho que vou gostar muito, assim que eu ler eu volto aqui para deixar a minha opinião.

    ResponderExcluir
  32. Já estou apaixonada antes de ler o livro suas palavras fizeram isso e não vejo a hora de ler Todo dia, eu passaria fácil por uma esperiência assim , por pouco dias é claro, gosto de saber o que se passa no mundo das pessoas e seria interessante pra mim.
    Esse livro está na minha cabeça desde que foi lançado fico lendo tudo a respeito e gostei muito da sua resenha, mais explicativa, os cotes são muito bons, parabéns pela escolha.Gostei muito da capa.

    ResponderExcluir
  33. SEGUIDOR: WILLIAN

    Resenha bem elaborada, abordando pontos relevantes do livro, despertando o interesse dos leitores, fazendo um convite à leitura.

    ResponderExcluir
  34. Nossa menina, fiquei impressionada com a resenha! Esse livro parece ser lindo!!! A linguagem parece ser fantástica, adulta, poética. As palavras de autor parecem ser intensas, profundas e nos levam a variadas reflexões sobre a vida e o ser humano. Outro ponto que notei é que em Todo dia os personagens são maduros, coerentes e intensos.
    A premissa do livro é GENIAL! De onde David Levithan tirou essa ideia de um personagem acordar a cada dia no corpo de um ser ser humano diferente? Com certeza será prazeroso acompanhar tantos personagens em seu cotidiano.
    Acredito que Todo dia nos leva também a refletir sobre nossa própria vida, sobre nossos próprios sentimentos e relacionamentos.
    Quero muito esse livro!
    Adorei a resenha
    Bjus

    ResponderExcluir
  35. Eu estou simplesmente impressionado com a quantidade de resenhas positivas que li em relação a esse livro. De início, achei bem estranha essa questão da personagem principal não ter uma personificação física. Depois, passei a analisar mais a fundo o que o David quis passar com isso. Achei sua ideia muito criativa e ousada, e só posso dizer que, se ele conseguiu te emocionar assim, está a meio caminho andado para gostar do livro também.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  36. Adorei o livro, quero ler ele, pois parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  37. NOSSA! Estou impressionada, Zilda!
    Minha amiga ganhou este livro na cortesia do Skoob, li a sinopse dele e APAIXONEI, querendo muuito ler!
    E agora, vendo sua resenha, nossa, simplesmente PERFEITO, você conseguiu me deixar looouca para ler o livro!
    Sabe quando você termina de ler algo e sente que aquilo que leu foi perfeito? Senti isso agora com sua resenha! Quero ver agora com o livro!

    ResponderExcluir
  38. Esse é um dos livros que eu mais quero ler no momento. Apesar do toque sobrenatural, detalhe que nunca me agrada, em "Todo Dia" parece diferente, é o que torna a história singular e extremamente interessante. Todas as resenhas que eu li até agora foram muito positivas, inclusive alguns resenhistas, assim como você, o consideram um dos melhores livros que já leram e eu espero gostar tanto assim, também. Resenha perfeita, me deixou com ainda mais vontade de ler esse livro, espero fazê-lo logo. ;D

    ResponderExcluir
  39. Nossa esse livro parece bastante diferente e interessante, cada resenha que leio fico ainda mais ansiosa pra ler!

    ResponderExcluir
  40. Adorei a temática de Todod Dia, totalmente inusitada. Acho q poucas pessoas poderiam ter imaginado uma prisão tão diferente como essa q é estar preso ao corpo de pessoas diferentes a cada 24 horas. Bela resenha. Merece sim, ser lido!

    Adriana Medeiros

    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  41. Nunca dei muito por esse livro, fosse pela capa ou pela sinopse que embora me intrigasse nunca foi o bastante pra me fazer ir além e comprar o livro. Mas agora, depois dessa declaração de amor que tu fizeste ao livro? Bom, acho que já tenho uma compra garantida para a Bienal!

    Att.,
    Eduarda Henker
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto