|Resenha| Os Adoráveis - Sarra Manning @Novo_Conceito

quarta-feira, outubro 02, 2013


Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “;Melhor Blog sobre Estilo de Vida”; pelo ¬ e Guardian e um Bloggie Award.
Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos...
Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável...
Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane.
Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossu¬ ciente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso.)
Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “;ex”; — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.


Sabe aquele tipo de livro que você já imagina o que vai acontecer? Que antes mesmo de lê-lo você já fica com o pé meio atrás porque imagina que seja tão previsível que nada poderá lhe impressionar? Então, Sarra Manning em Os Adoráveis conseguiu me enganar direitinho. Não é que dei um tiro no escuro e o tiro acertou o alvo, digo meu coraçãozinho. 

Foi o título da obra em si que me chamou a atenção primeiramente, tendo em vista que detesto livros com ilustrações de seus respectivos personagens. Tira todo o brilho da coisa, bloqueia minha imaginação na construção física do personagem, salvo quando o livro já possui uma adaptação cinematográfica e cada personagem já possui uma identidade visual. 

Todos os elementos previsíveis estão presentes na obra de Sarra Manning, e digo: TODOS. Porém, Sarra sabe como inseri-los e como destrinchá-los ao longo da narrativa. 

Os Adoráveis conta a história de Jeane Smith, uma jovem de 17 anos muito excêntrica no seu modo de vestir e que possui um gênio muito difícil. Jeane é uma garota muito, muito irritante e que não mantém vínculo com ninguém, exceto com seu namorado Barney, é o único que suporta suas excentricidades e seu mau humor em relação a todos que a cercam. Jeane possui um blog, o Adorkable. Para Jeane, o blog é uma filosofia de vida. Somente blogar e tuitar freneticamente todos os seus passos a cada cinco minutos lhe basta para ser feliz. Barney é apenas uma sombra de Jeane que o trata como se fosse um mero objeto. Arredia, grosseira, mal humorada, sarcástica, e por vezes cruel com seu temperamento Jeane não possui amigos, exceto seus milhões de seguidores do Twitter. Todos na escola repudiam Jeane e a ignoram completamente, mas a única pessoa que realmente incomoda Jeane é Michael Lee, o garoto mais cobiçado da escola. 

Michael é o típico carinha que arranca suspiros de todas as meninas, estudioso, líder do time de futebol e super popular entre os alunos da escola. O bom moço e a rebelde são colocados pra escanteio depois que seus companheiros, Barney namorado de Jeane, e Scarlet- namorada de Michael começam a flertar. Tanto Jeane quanto Michael mantêm seus relacionamentos por mero status e não conseguem lidar com o fracasso de uma relação. Por isso, eles descobrirão que ambos possuem muito mais coisas em comum do que imaginam. 

Os Adoráveis segue uma linha muito parecida com tantos outros romances que descrevem os conflitos vividos por qualquer adolescente. Sarra Manning aborda de maneira clara e objetiva a complexidade e superficialidade que a internet ocupa dentro das mentes de jovens como Jeane. O perfil traçado por seus personagens são bem construídos e faz com que possamos identificá-los facilmente em nosso dia-a-dia. Quem não conhece aquela pessoa que tem um blog de moda, de livros, de culinária, seja qual for o segmento que passa horas tuitando, postando fotos no Instagram ou Flickr? 
O estilo de Jeane será facilmente aceito por todos aqueles que tingem seus cabelos com as cores mais inusitadas e se vestem com roupas muito coloridas e que adoram tudo que está ligado ao estilo mais vintage de ser. Mesmo com toda a parafernália que encobre Jeane, o leitor poderá identificar algo de “bom” na personagem, por isso, não cabe aqui julgar a personagem pelo seu comportamento arredio. É preciso compreendê-la, aceitá-la do jeito que ela é, já que o livro bate muito nessa tecla: aceitar a si mesmo e principalmente, aceitar o próximo. Essa coisa de repudiar o outro pelo que ele fala, veste e come não é novidade pra ninguém. O tema da vez é falar de bullying. Descrever como o jovem convive com tal conflito e, Sarra Manning aborda o tema com muita propriedade. 

Jeane é o retrato fiel daqueles que sofrem com o bullying. Muitas de suas atitudes são resultados do preconceito que sofre por causa de sua aparência e personalidade. Além do bullying sofrido na escola, Jeane tem de conviver com problemas de relacionamento com os pais. Mas, apesar de tantos problemas, Jeane não fica se lamentando pelo leite derramado. A personagem é forte, decidida, corre atrás dos seus sonhos e busca o sucesso de sua marca: o Adorkable. 

O livro é narrado em primeira pessoa intercalando-se com as vozes dos protagonistas. O leitor pode acompanhar a visão diferenciada de Jeane e Michael sobre aspectos inerentes à narrativa. A leitura transcorre tão rapidamente que nem se percebe quando chegamos ao fim. A escrita de Sarra Manning é muito peculiar e deliciosamente envolvente. Sarra possui um jeito sarcástico, cortante, quase gritante de escrever. O mais engraçado é que Jeane Smith aflora os sentimentos mais ambíguos que um leitor pode sentir. O amor e ódio caminham lado a lado sem que possamos dissociá-los. Ela é irritante, pedante, insuportável, mas sua personalidade é tão brilhante que ofusca todo seu lado negro. 

Michael Lee também merece os louros. Só o fato de o personagem fugir aos moldes do galã loiro, de olhos verdes e saradão já ganha minha admiração. Essa coisa de todo adolescente americano possuir a mesma cara, seguir o mesmo modelo físico já deu o que tinha que dar. Fora a descaracterização do personagem, as demais características são totalmente comuns e previsíveis. Bom moço, aluno nota 10, filhinho da mamãe, não fuma e não bebe, ou seja, nada foge ao esperado. 

Os personagens secundários também ganham destaque ao longo da narrativa. Melly e Alice, irmãs caçulas de Michael são duas menininhas adoráveis e muito inteligentes. Sempre com suas tiradas constrangedoras elas ganham o leitor imediatamente. Scarlet e Barney transcorrem na narrativa sem muito alarde. Como é característico em toda turma colegial encontramos o chato de galocha, Heidi, a garota burra e superficial, entre outros tipos já conhecidos. Bethan, a irmã mais velha de Jeane é apenas um borrão na narrativa. Ela surge em momentos decisivos da narrativa, mas nada que possa ser considerado tão relevante. Talvez, esse fora o único vácuo que encontrei. Confesso que esperava muito mais da personagem, já que Bethan é a única referência familiar de Jeane. 

Entre tantos pontos positivos na narrativa de Sarra Manning uma das coisas que mais me chamou a atenção e fez com que me simpatizasse tanto com a escrita da autora foi a inserção de elementos característicos da internet. Os usuários do twitter poderão se sentir on line..rs, já que ao longo da narrativa podemos acompanhar todos os tuites de Jeane. Outras ferramentas também são utilizadas para construir o universo de Jeane, como e mails e postagens do seu blog. 

Provavelmente, você irá identificar um ou outro elemento bem característico daqueles que vivem 'da" e "para" internet. Vai me dizer que Jeane não lembra uma tal blogueira de moda que já escreveu livro, que posta tudo que lhe vem à cabeça, dita seus modelitos como algo transado e super descolado? Aliás, acho crueldade comparar Jeane com a tal blogueira porque apesar de Jeane ser bem insuportável e arredia, acho ela muito mais autêntica e interessante. Enfim, fora tal comparação leviana, voltemos ao que realmente interessa. (*me sentindo totalmente dork) 

Aliás, me identifiquei totalmente com a personagem no que diz respeito ao seu jeito esquisito de ser. Apesar de nunca ter tingido o cabelo e de não usar vestido de tule e botas de montaria e, muito menos comprar minhas roupas em brechós, Jeane Smith virou uma referência. Fora que não tem preço você encontrar quotes que definem exatamente seu estado de espírito ou quem sabe a sua filosofia de vida. É mais ou menos tudo o que você queria dizer em tão poucas palavras.


"Não fazia muito sentido. Mas o Twitter não faz muito sentido para mim. Todas aquelas pessoas postando sobre o que comeram no café da manhã ou o quanto não desejam fazer sua tarefa de casa de alemão pareciam indulgente demais. Tipo, cada pensamento aleatório deveria ser tuitado para a posteridade. É óbvio que eram pessoas completamente estúpidas que não tinham amigos, então iam ao Twitter e falavam besteiras com um monte de outros rejeitados sociais que também não tinham nenhum amigo."



"[...] Aqueles eram meus sentimentos e eu tinha o direito de expressá-los da maneira como quisesse. As pessoas têm medo de dizer a verdade porque a verdade é caótica e complicada, e, decididamente, nada legal, mas nada legal era o jeito que eu estava. Na verdade, eu estaria nada legal se usasse frases velhas e clichês, como "Esse é o meu jeito", o que realmente não ia combinar."


Ouso dizer que todo jovem que enfrenta algum tipo de preconceito deve ler Os Adoráveis. A mensagem final é algo transcendental. Vale muito a pena dedicar-se ao livro. Descrevi a minha experiência com Sarra Manning como uma viagem psicodélica tamanha transformação que o livro é capaz de provocar no leitor.
Sarra dá vida e voz a todos que se sentem desajustados de alguma maneira. Aos nerds e aos geeks e, a toda uma legião de pessoas que buscam ser reconhecidos e principalmente, aceitos. As mensagens são inúmeras e cada uma é explorada brilhantemente pela autora. O comportamento da tal geração Y é explorado minuciosamente por Sarra e, toda sua disformidade é acentuada quando necessário. Essa geração que busca ostensivamente por fama, sucesso e reconhecimento a todo custo. Que se mantém conectada diariamente, 24 horas por dia, mas que se mantém distante do contato real com as pessoas que a cercam.

Em relação à diagramação o livro manteve um parâmetro de qualidade. A editora Novo Conceito sempre atenta para os mínimos detalhes e isso torna a leitura ainda mais agradável. O único problema é mania de colocar imagens dos personagens em suas capas. Jeane Smith não é tão bonitinha quanto sua imagem na capa. E o que dizer daquela cara "boi lambeu" de Michael Lee? Pelo amor...fugiu totalmente da descrição feita pela autora. Enfim, tem gente que curte, acha interessante essa coisa de identificação visual, mas eu ainda prefiro construir cada personagem a minha maneira. 

Quero antes de finalizar dizer o quanto somos cruéis, preconceituosos, maldosos, arredios, intempestivos, arrogantes, e tantos outros adjetivos “adoráveis”. Não se assuste com tal afirmação. Pare um pouquinho de olhar para o próprio umbigo e se aceite. Agora, nada de conformismo. Se algo lhe incomoda vá à luta. Sempre é tempo de mudar e você pode começar agora. Quer uma dica de como começar? Leia Os Adoráveis. Provavelmente você irá se reconhecer ao longo da narrativa. E se a mudança não vier, não tem problema. Já valerá a experiência. Ser dork é que há. Seja feliz do jeito que for. Viu? Nem precisa gastar dinheiro com terapia. 


"Adorkable dá voz a quem está sentado em seu quarto ou pelos cantos, ou quem está tentando arduamente apenas se ajustar. Mas, adivinhem? Vocês não têm que se ajustar. Vocês não precisam ser ninguém além de quem vocês realmente querem ser. Algumas vezes, nós nos esquecemos de que não há nenhuma lei que diz que é preciso ser o que os outros esperam que venhamos a ser." 





FICHA TÉCNICA
Os Adoráveis
Autora: Sarra Manning
Editora Novo Conceito
Páginas: 384


Acompanhe a editora Novo Conceito nas redes sociais

Você também pode gostar

13 comentários

  1. Hehehehe, achei bonita a tua resenha. Aceitação é sempre uma coisa complicada em determinadas fases da nossa vida (e algumas vezes nem é fase).

    PS: DIRETAÇA PRA BLOGUEIRA HEIN? Haheuaheuhaehueauhea :P

    Esse livro me chamou a atenção pela capa, mas nenhuma pela sinopse. Tive a mesma impressão que você no começo: previsível. Ainda assim, fico feliz que tenha sido proveitoso pra você. :))))

    Beijoca!

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  2. Tive o mesmo "problema" com o livro. Fiquei com o pé atrás, mas depois devorei ele... Gostei muito dele mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, você escreve muito bem, parabéns pela resenha!!
    Fiquei com muita vontade de ler, já tinha lido a sinopse do livro mas não sabia nada da história ainda.
    beijos.
    Cila- Leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga!

    Sabe que estou de olho neste livro, mas estava com um pé atrás. Sua resenha me deixou mais curiosa e com vontade de ler. adoreii.

    Beijos*

    ResponderExcluir
  5. Ah! Ela pinta o cabelo? Colorido? Já me identifiquei.
    Mas pelo menos nunca sofri bullying, quando criança costumava praticá-lo, rsrs. Sim, eu fui terrível, kkkkkkkkk.

    Amei a resenha, ouso dizer que foi uma das melhores que li no blog.
    Todas são incríveis, acho que a próxima será melhor que esta!!!
    Ele vai pular na frente já!!

    Bjkasssssssssss

    ResponderExcluir
  6. Amigaa
    Devo dizer que este é um dos primeiros lançamentos da NC que eu vou ler. Isso quando eles chegarem. Acho que vou me identificar...hahha
    Amei a resenha amiga, mais um super texto... Os quotes que tu escolheu também estão demais. Não me importei com a capa, mas fico de cara quando a apresentação fisica da autora nao corresponde à figura da capa.

    Beijoss

    TeLa
    http://www.penseiraliteraria.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Esperando meus lançamentos de setembro chegarem e eu poder ler esse livro. A capa dá a impressão de romance barato, mas a estória parece ser bem legal.

    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Gostei da resenha. Pena que não faça meu estilo momento. Nem pedi ele para a editora.

    ResponderExcluir
  9. Amei a resenha, parece super interessante! Adoro livros que não são muito grossos porém tem uma história divertida.
    Dá uma passadinha?
    http://comportamentorosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Zilda!
    Gostei da resenha! Mais um livro que quero ler após ler sua opinião...

    Quando vi que esse era o lançamento, li a sinopse e me interessei por falar de uma blogueira de moda, achei diferente... Mas fiquei com um pé atrás por achar que o livro seria superficial, e por ter essa capa e títulos 'super chamativos' só teria beleza, não conteúdo... Mas, pelo visto, tem algo mais na história escrita pela Sarra :)
    Vou querer lê-lo em breve!

    Beigos,
    Maura - Blog da /mauraparvatis.

    ResponderExcluir
  11. Ahhhhh! Esse livro é um amorzinho!

    Acho que o descobri na semana passada, mas desde então tô louca pra ler e saber como é. Achei tão diferente o fato da protagonista ser blogueira, não costumamos achar isso nos livros. A capa também é uma fofura e super chamativa, acho que é isso que atrai as pessoas a conhecerem a história.

    Adorei a resenha!

    P.S: Tô fazendo um Amigo Secreto Literário entre blogueiros lá no blog, se quiser, passa lá depois pra conferir. :D

    Beijo!

    http://viciadas-em-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu infelizmente não me apaixonei pela premissa do livro :S Apesar de ter super adorado sua resenha...
    Quem sabe mais pra frente hein?

    Beijo
    http://heysisteraj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Zilda, eu não pedi este livro, mais estou começando a achar que devia ter pedido, só vejo resenhas positivas..
    Jeito esquisito, também me identifico as vezes, já ouvi falar que ser esquisíto está na moda!! hehe
    Adorei sua resenha!!

    Beijos Mila
    Pássa lá..
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto