|Resenha| Eleanor & Park - Rainbow Rowell @NovoSeculo

quarta-feira, março 12, 2014


Eleanor é a nova garota na cidade e ela nunca se sentiu tão sozinha. Vestida com peças de roupas que não combinam, cabelo vermelho bagunçado e uma vida caótica em casa, ela não poderia chamar mais atenção.
Então ela se senta ao lado de Park no ônibus escolar. Quieto, cuidado e – nos olhos de Eleanor – impossivelmente descolado, Park decidiu que voar fora do radar é o melhor jeito de sobreviver na escola. Devagar, constante, com conversas até tarde da noite e uma grande quantidade de mixtapes, Eleanor e Park se apaixonam. Eles se apaixonam da mesma forma que você se apaixona pela primeira vez, quando você tem 16 anos e nada e tudo a perder. O livro se passa ao longo de um ano escolar em 1986. Engraçado, triste, chocante e verdadeiro, Eleanor & Park é uma viagem nostálgica para aqueles que nunca esqueceram seu primeiro amor.


Meu coração ainda está em “frangalhos”. E não poderia ser diferente já que Rainbow Rowell nem sequer avisou que chegaria assim “de supetão”. Tirando as coisas do lugar, desconstruindo conceitos e fazendo com que o mundo simplesmente parasse de girar a partir do momento que você se predispõe a conhecer a história de Eleanor & Park. 

Não se assustem com as possíveis metáforas que poderão vir a surgir ao longo desta breve resenha porque como eu dissera anteriormente as ideias ainda estão desconexas tamanho o efeito devastador que esse livro é capaz de causar. 

Tem gente por aí dizendo que Rainbow seria o John Green de saias. Podemos dizer que, ambos escrevem sobre amores imperfeitos. Seus personagens normalmente são jovens desajustados que enfrentam dilemas comuns a sua faixa etária e que lutam bravamente para ocupar seu lugar ao sol. Porém, isto nem sempre é possível já que tanto John quanto Rainbow mostram o lado imperfeito das coisas, muitas vezes omitido por outros autores. Pessoas como John, Rainbow, Levithan não seguem um roteiro. Seus romances vão além do previsível, aliás, palavra esta totalmente desconhecida por eles. Eu diria que Rainbow é tão genial quanto John. Cada um a sua maneira sabe como impactar o leitor. John agrada os feios, gordos, geeks, nerds, branco, preto e colorido. E Rainbow surge para reafirmá-lo só que de um jeito peculiar, único, especial. 


Comparações feitas e devidamente esclarecidas, vamos ao que interessa. Se lhes dissesse que Eleanor & Park é um livro lindo e perfeito eu provavelmente estaria dizendo o óbvio e, espero sinceramente que todos tenham a oportunidade de conhecê-lo para chegar a tal conclusão. 


Eleanor & Park é um livro sobre dois jovens que não tinham aparentemente nada em comum, mas que ao se conhecerem descobrem que um é o reflexo do outro. Eleanor é o retrato da desordem em pessoa. Sempre muito mal vestida e com cabelo desgrenhado, Eleanor é alvo de chacota por onde passa. Não que isso a incomode de fato já que aprendera a conviver com a indiferença das pessoas. Porém, ela não imaginava alguém pudesse lhe enxergar de outra maneira, que a visse com outros olhos, além das aparências. Eleanor não sabia que alguém enxergaria a sua alma. Até que Park surgisse em sua vida. 

Park era bem diferente de Eleanor. Não era o garoto mais popular da escola, mas aprendera a conviver em meio aos leões. A escola era composta por negros em sua maioria, ou brancos e Park era coreano. Só por isso ele já se destacava. Mas Park não queria ser “diferente”, por isso, encontrara um meio de se relacionar com todos tratando-os com a mesma indiferença. A rotina de Park sempre fora a mesma. Ia à escola sempre de ônibus e sentava-se à janela com seus inseparáveis fones de ouvido. 


Park fazia o mesmo trajeto todos os dias e desligava-se completamente. Assim como o interior da escola, o transporte escolar também era um ambiente hostil. Os alunos ao fundo sempre gritando, falando baboseiras, ofensas gratuitas, ou seja, tudo que se espera de pessoas que desejam chamar a atenção, ainda que suas atitudes pudessem ferir outra pessoa e Park sabia muito bem como essas pessoas poderiam ser cruéis. Eleanor senti na pele o que isso significava deste o primeiro momento. Ao entrar naquele ônibus estava prestes a encarar o que fosse preciso para sobreviver ainda que sua intenção fosse contrária. Ela acostumara a se passar por “invisível”, porém o que Eleanor jamais conseguiria era “ser” invisível. 
E foi Park que percebera de imediato o quanto Eleanor era diferente, no sentido literal da palavra. Não eram apenas as roupas ou a cor do cabelo. Era ela. Tudo em sua dimensão. Ela era especial e Park teve a certeza ao tocá-la. 

Rainbow deixa claro desde os primeiros parágrafos que se você espera por frivolidades não é em Eleanor & Park que as encontrará. Não espere uma Eleanor boba, frágil. Não espere que ela se comporte como uma menina de 16 anos que acabara de descobrir o primeiro amor. Na verdade, Eleanor é uma menina de apenas 16 anos que já sofrera o suficiente para ser capaz de encarar a vida como um adulto. E Park não é aquele que surge para resgatar a mocinha indefesa em seu cavalo branco. Park não é americano. É asiático. Curte New Age. Gosta de ler quadrinhos do X-Men e Watchmen. Apesar de parecerem tão diferentes Eleanor e Park são bem mais parecidos do que se imaginam. 

Uma das coisas que mais aprecio em romances do gênero é a capacidade que certos autores têm de nos surpreender ao longo de suas narrativas. E com Rainbow não seria diferente. Eleanor & Park é um livro que desperta em nós o desejo de libertar-se. Rainbow faz com que sejamos um pouco Park, um pouco Eleanor, outrora alguém capaz de mudar o destino das coisas. É angustiante e ao mesmo tempo libertador. 

Rainbow disserta sobre assuntos polêmicos, porém comuns a qualquer narrativa do gênero. Falar sobre jovens que sofrem bullying não é novidade pra ninguém, mas o que diferencia Rainbow dos reles mortais é a maneira como o apresenta. Sabemos o quanto é traumático, mas o que me incomoda de fato é a passividade imposta por determinados autores a seus personagens. Pode ser difícil lutar contra isso, mas não é impossível e Rainbow dá voz a Eleanor. Ela é o que é e isso não a torna pior do que ninguém. Por mais que as coisas na realidade não ocorram desta maneira, sempre esperamos o contrário e, Eleanor não nos decepciona. 

Eleanor é encantadora. A personagem gordinha, de cabelos ruivos e que curte Beatles cativa nossa admiração desde o início. Com sua aparência desastrosa e seu jeito de ser ela rouba a cena com sua ingenuidade. 

E o que dizer de Park? Lindo, sensível, amoroso, frágil, determinado. Perfeito? Não. Como nada é na narrativa de Rainbow. Tantas vezes nos pegamos esperançosos com o dilema vivido por Eleanor, a mais velha de uma família de cinco irmãos, de pais separados e que enfrenta dificuldades em se relacionar com o padrasto. Rainbow apresenta-nos a um retrato comum a muitas famílias, mesmo assim ela consegue nos comover com sua descrição fria e cruel. 

Não é a toa que Eleanor & Park é um dos livros mais cobiçados e comentados do momento. É um acerto de boas escolhas. Uma diagramação linda, uma escrita impecável e uma narrativa incontestavelmente magnífica. A escrita da autora é fluída e viciante. Não dá pra desgrudar por um só minuto. A apresentação dos capítulos também coopera para o seu bom desenvolvimento, pois eles são relativamente curtos. Eles se alternam entre os sentimentos de Eleanor & Park sobre suas descobertas, todos na visão da autora sobre seus personagens. 
O tamanho da fonte escolhida, o papel impresso, todo o projeto gráfico é excelente fazendo com que Eleanor & Park seja a grande aposta da editora. 


E como se o livro por si já não fosse perfeito o suficiente ainda existe a escolha de uma playlist que dispensa apresentação. Ao som de The Smiths, U2, The Cure, Beatles, entre outros a galera dos anos 80 poderá relembrar vários do rock. E quem não pode vivenciar essa época pode aproveitar para conhecer canções inesquecíveis que até hoje fazem parte do repertório musical de muita gente. 
Caramba! É bom demais! Foi difícil escolher apenas uma, então decidi postar algumas músicas que inspiraram a autora durante o processo de criação de seus personagens. Vale a pena conferir a playlist completa. O grande barato é que no site da autora ela apresenta o clipe da música e situa o leitor dentro da narrativa. Cada música representa uma determinada cena do livro e, com isso podemos compreender todo seu processo de criação e idealização de cada cena e personagem. 



Acho melhor parar por aqui senão é bem provável que eu fique aqui compartilhando todas as músicas da playlist já que não consigo 
Quero dizer que por mais que eu tivesse mil expectativas sobre o livro confesso que não imaginava o quanto ele se tornaria necessário, vital, imprescindível. Nada do que eu dissera anteriormente conseguirá dimensionar o quanto Eleanor & Park realmente significa. O que me resta é indicá-lo. Dizer que se você passar por essa vida sem ter conhecido Rainbow Rowell ela terá sido em vão. Compreende? 

Eleanor & Park é leitura obrigatória a todos que curtam livros desconcertantes e imprevisíveis. E atenção: se você sofre de problemas cardíacos é melhor se precaver, pois somente pontes de safena poderão suportá-lo. 
Posso voltar a suspirar agora? Eleanor & Park...ai...ai.






FICHA TÉCNICA
Título: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell 
Páginas: 328
Editora: Novo Século



Você também pode gostar

15 comentários

  1. Olá Zilda,

    Essa resenha é a primeira que leio e me deixa de boca aberta e com uma vontade imensa de ler....faz meu estilo e com uma trilha sonora que tem The Smiths e The Cure pra melhorar é só incluir U2....abraços.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhh já estava com vontade de ler esse livro, agora então, só aumentou!

    Bjs
    Niii
    http://amordelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Esse livro só tem recebido bons comentários, o que me deixa cada vez mais ansiosa para realizar esta leitura. A capa já é fofíssima e sua resenha me deixou encantada, da forma que, se tivessem livrarias em minha cidade eu iria comprá-lo agora. Pelo visto, este livro é muito amor <3' Falando em amor, amei sua resenha ^^

    Beijos!
    Polly - Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  4. Ameiiii a sua resenha!! Parabéns!! Deu super vontade de comprar AGORA eleanor & park e cair com tudo na leitura!! Bjinhuuuss!! ;)

    ResponderExcluir
  5. Caraca!!! Tipo, já tô amando o livro e nem li ainda.
    Pretendo ler muito em breve, ainda mais agora com tudo que você disse!!!!
    Estou ouvindo a playlist e entrando no clima!!
    Amei Zilda!!

    Bjkas

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ai Zildaaaaa, que vontade você me deixou de ler esse livro! Eu não conhecia, achei a capa simples e em tons pastéis linda!!! E essa trilha sonora então??? Vai para a lista! Não tem como deixar passar uma dica dessas!

    ResponderExcluir
  7. Tenho muita vontade de lê-lo. Tua resenha fez aumentar ainda mais essa vontade.

    ResponderExcluir
  8. Esse livro está na minha lista de desejados antes mesmo de chegar ao Brasil kkk e quando chegou, eu gritava pela casa, mas ainda não comprei, não vejo a hora de comprar hahaha.
    Adorei sua resenha e as imagens, muuuita lindinhas haha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/03/resenha-como-eu-era-antes-de-voce-jojo.html
    Comente ;)

    ResponderExcluir
  9. Zilda, Zilda até hoje não me esqueço de que foi por "culpa" sua que eu li Como dizer adeus em robô, e aquele livro acabou comigo. Mas agora lendo essa resenha e sabendo que em breve irei ler, ahhh sinto que outra vez e mais uma vez sendo uma "indicação" sua, irei sofrer e amar ao mesmo tempo. Só tenho a dizer que ele será um dos próximos e minha vida não terá sido em vão, tenha certeza disso, vou conhecer essa autora e também Eleanor & Park.
    Parabéns pela ótima e maravilhosa resenha...você como sempre arrasou.

    Beijos!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi! Preciso ler esse livro tipo JÁAAAAAAA!!!! É a primeira resenha que eu leio, mas já tinha visto um vídeo sobre ele e me interessei bastante pela capa e sinopse, tava esperando só a Novo Século trazer pro Brasil. Próxima leitura do mês, com certeza \o/

    Bjs, viverserfeliz-renata.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá! Vc acha que esse livro é pesado pra uma garota de 11 anos ou é pesado? Obrigada!

    ResponderExcluir
  12. Oi Zilda, tudo bom?
    Nossa que resenha maravilhosa!Eu estava louca para ler esse livro antes mesmo do lançamento aqui no Brasil. Essa semana eu vi a capa em uma livraria física e a mão coçou para comprá-lo. Sem dúvida alguma esse livro entra para a lista de próximas leituras porque não me aguento de curiosidade para conhecer esses protagonistas e também a escrita da autora.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie!

    Aiiii amiga, depois de ler essa resenha fiquei louca para ler o livro.
    O post ficou maravilhoso!!!

    Beijos*

    ResponderExcluir
  14. Caramba Zilda, minha parceira leu este livro e fez uma resenha tão boa quanto a sua. Acredito que os livros despertam isso nas pessoas, já que toca em feridas que muitos de nós sofremos durante esse período da vida. Ele já está na fila para ser a próxima leitura, na verdade, estou me preparando psicologicamente para ler. Resenha muito boa e completa. Valeu.

    P.S.: tô tentando seguir, mas acredito que tenha algum problema no Google, já que não consigo adicionar ninguém.

    Visitem: www.amantesporlivrosefilmes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Zilda,
    Nossa estou com essa resenha aberta no meu navegador a dias...porque sempre que começo a ler o telefone toca ou outra fato do cotidiano me distrai, mas hoje consegui...=)...e bem o que posso dizer é que eu não seria uma boa leitora se não tiver a oportunidade de realizar a leitura dessa obra....conseguiu, ele acaba de subir para os meus tops desejados. Obrigado pela dica....vou ler assim que possível...e claro bela resenha...bjus elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto