|Resenha| Colin Fischer - Ashley Edward Miller e Zack Stentz @Novo_Conceito

quarta-feira, abril 30, 2014


Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. 
Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…


O que esperar quando dois nerds decidem se juntar para escrever um romance? Um livro repleto de diálogos e situações inusitadas? Personagens dotados de inteligência, sarcasmo e ironia? Uma trama palpável, real, capaz de despertar os sentimentos mais conflitantes? Se existem pessoas consideradas “normais” que conseguem tal façanha imagine o que dois nerds são capazes de fazer quando se propõem a escrever um livro. Em Colin Fischer dois nerds absolutamente geniais constroem uma narrativa ímpar e indiscutivelmente bem desenvolvida. 

Ashley Edward Miller e Zack Stentz se conheceram através da internet, em consequência da paixão em comum por Jornada nas Estrelas e de lá pra cá veem trabalhando juntos. Recentemente colaboraram no roteiro de filmes como X-Men: Primeira Classe e Thor. Ou seja: os rapazes não são fracos. Por isso, não espere uma narrativa previsível, muito menos clichê da parte deles, pois Colin Fischer é diferente de tudo que você possa imaginar. 

Colin Fischer é um garoto de apenas 14 anos que está iniciando o ensino médio. Como podemos imaginar essa é uma fase de muitas mudanças na vida de qualquer adolescente, mas para Colin essa é uma fase ainda mais complicada já que seus colegas não conseguem compreendê-lo. Colin é portador da Síndrome de Asperger, uma condição neurológica relacionada ao autismo, ou seja, Colin possui um QI altíssimo, porém tem dificuldades em se relacionar com as pessoas. Colin tem problemas com ruídos, em hipótese alguma gosta de ser tocado ainda que seja pelos próprios pais que devem de antemão avisá-lo a respeito da aproximação.

Obcecado por expressões faciais Colin toma nota em seu caderno a expressão facial de todos que o cercam. O caderno possui anotações, esquemas, tabelas comparativas aonde Colin costuma fazer suas respectivas anotações. Ele aprendera a avaliar a reação e o sentimento das pessoas de acordo com sua expressão facial esperando sempre que ela correspondesse o seu critério de avaliação. 
Fã de Sherlock Holmes, Colin tem a oportunidade de solucionar o seu primeiro caso utilizando-se do mesma tática: observar e registrar tudo à sua frente. Uma arma é disparada em plena cantina do colégio e Colin fora o único aluno que permanecera no local do suposto crime. Ninguém foi atingido, porém as suspeitas caem sobre o seu arque-inimigo Wayne Connely. 

Wayne é o típico brutamonte que persegue e inferniza a vida de Colin, mas apesar da perseguição Colin não acredita que Wayne tenha cometido tal delito. A partir daí, Colin passa a investigar o caso sem ter ideia que ele pode estar se envolvendo numa grande enrascada. 

Com muito bom humor e uma abordagem sutil, os autores vão construindo uma trama bem amarrada e muito bem estruturada. Uma das coisas que mais chama a atenção é a inserção de várias notas de rodapé ao longo da narrativa. Todas estão relacionadas a algum tipo de informação extra que os autores acharam que poderia ser relevante; incluindo ações, escolhas e preferências de Colin em cada uma delas. Achei interessante este recurso, pois assim podemos compreender certos acontecimentos da vida de Colin. Nada passa despercebido. 

Outro fator positivo foi a maneira que os autores encontraram para falar sobre o transtorno de Colin. Sabiamente eles não fizeram de Colin um menino frágil, esquisito, ainda que suas manias possam parecer contrárias. Colin convive muito bem com isso e, por mais que tenhamos noção de quanto é difícil para um garoto de sua idade enfrentar a ignorância e rebeldia de muitas pessoas que não o compreendem, a narrativa é leve. Os autores abordam o assunto com bastante seriedade conduzindo a narrativa com muita habilidade. Colin não é um “pobre coitado”. Ele sabe o que quer e nos prova que o fato de não ter a facilidade em se relacionar pode ser contornada desde que as pessoas parem de agir como ele fosse um extraterrestre. 

Colin Fischer é um personagem incrível, astuto, inteligente e muito simpático, por isso, o livro que tinha tudo para ser mais um entre tantos que abordam assuntos sérios como transtornos e bullying merece figurar como um dos melhores livros que discutem o tema. 
O final do livro deixa uma brecha para uma possível continuação, mas infelizmente nenhum dos autores se pronunciou para dar maiores informações a respeito. É uma pena porque Colin é um personagem adorável e seria maravilhoso dar continuidade a mais uma de suas aventuras. 

O livro é bem curtinho e pode ser lido rapidamente. A leitura é fluida, leve e muito prazerosa. Ao término você provavelmente irá sentir falta de Colin e suas “esquisitices”.
A edição do livro está impecável. A editora Novo Conceito fez um excelente trabalho ao confeccionar a capa do livro. As feições contidas na capa nos dá uma boa noção do que esperar de Colin e suas manias. 

Colin Fischer vai pra listinha de favoritos do ano que por sinal, não para de crescer. 

"_Pronto para um contato?
Isso era um aviso, informando a Colin que estava prestes a ser tocado. Ele não gostava de ser tocado por nenhuma pessoa, nem mesmo pelos pais, embora fosse tolerante quando devidamente informado. Em algum nível entendia a necessidade de contato. Lera sobre isso em um livro.
Colin abraço a si mesmo enquanto o pai estendia a mão e lhe tocava o ombro. Um aperto suave.
_ Tenha um bom dia na escola.
Colin assentiu em silêncio e saiu do carro. O Sr. Fischer observou-o enquanto caminhava pela passarela, cabeça baixa e corpo curvado. Sentiu uma pontada de preocupação, depois de impotência, o reconhecimento de sua parte de que, não importava o que acontecesse, durante oito horas por dia, nos quatro anos seguintes, Colin estaria sozinho".



Título: Colin Fischer
Autores: Ashley Edward Miller e Zack Stentz 
Número de Páginas: 176 
Editora: Novo Conceito

Você também pode gostar

5 comentários

  1. Olá, tudo bom?

    Gostei da resenha, posso até pensar a respeito em comprar pois parece ser um livro legal haha!

    Beijos e um ótimo feriado :)
    Lu do Blog: Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Já aqui na estante esse livro ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga!
    Eu não havia me interessado no livro até ler sua resenha, parece ser um bom livro, gosteii.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Zilda, primeira resenha que li deste livro, e estava doida para ler sua resenha, confio muito no que vc diz..
    Estou louca para ler e olha que não tinha nem lido a sinopse..
    Depois que ler, te falo o que achei, será minha próxima leitura!


    Beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/2014/05/resenha-quando-tudo-volta.html

    ResponderExcluir
  5. Estou terminando de ler este livro agora.
    Também achei ótimo não tratarem o Colin como um coitadinho, doente e que sofre na escola. Ele é o oposto de tudo isso!!
    Estou amando!!

    Bjkas

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto