|Resenha| Paixão sem Limites - Abbi Glines @editoraarqueiro

quinta-feira, abril 03, 2014


Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar.
Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara.
Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte.
Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.


Toda vez que ouço falar sobre livros do gênero new adult um alerta soa dentro de mim e começo imediatamente a colher informações a respeito do livro. Quando a editora Arqueiro anunciou que irei lançar a série Too Far muitos leitores se manisfestaram a favor e, isso me causou uma boa impressão. E, é exatamente aí que mora o problema. Depositamos todas as fichas no livro e o que acontece quando ele não consegue corresponder nossas expectativas? Decepção na certa. 

Depositei todas minhas fichas em Abbi Glines, criei muitas expectativas em relação a seu trabalho e o que ela me dá em troca? Um romance água com açúcar totalmente aquém do que se espera de um livro do gênero. Uma história fraca, com personagens frágeis e mal desenvolvidos e como se isso não bastasse, uma narrativa pobre. Ah! Isso é imperdoável! 

Tenho impressão que Abbi Glines teve preguiça ao escrever o livro. O que me leva a tal conclusão é o desleixo com o desenvolvimento da narrativa. A seguir vamos destrinchar alguns pontos importantes do livro. 

Narrado em 1ª pessoa Paixão sem Limites conta-nos a história de Blaire, uma jovem que aprendera desde cedo a lidar com o sofrimento. Aos 14 anos de idade perdera sua irmã gêmea em um acidente de carro e, desde os 16 cuidara de sua mãe vítima de um câncer. Hoje aos 19 Blaire encontra-se sozinha no mundo. Após a morte de sua mãe ela foi obrigada a vender a casa onde morava para pagar as despesas adquiridas desde que a mãe adoecera. Agora, sem ter onde morar a única coisa que resta a Blaire é procurar o pai com quem há tempos não mantém contato. 

O novo lar de Blaire é a praia de Rosemary, na Flórida, local onde seu pai marcara de encontrá-la. Só que o pai de Blaire viajara com sua madrasta Georgianna e, agora Blaire não tem para onde ir. Ao chegar Blaire é recebida por Grant, um dos filhos de sua madrasta e logo Blaire conhece o dono da casa: Rush – o cara! 

Rush é filho de um astro do rock com quem Georgianna já fora casada e dono da mansão onde Blaire pretende ficar por uns dias até que consiga arranjar um emprego. A chegada de Blaire a mansão causa certo desconforto a Rush que não disfarça seu incômodo. Como se não bastasse à hostilidade de Rush, Blaire conhece sua irmã mais nova, Nannette, uma patricinha mimada e repugnante. O circo está armado. Blaire precisa de um local para ficar e a única opção é a casa de Rush. Obviamente que Blaire e Rush sentem uma atração mútua assim que trocaram os primeiros olhares. Ambos estão apaixonados, mas um segredo impede que o casal possa ficar junto. E blá, blá,blá....o mais do mesmo segue adiante. 

Sério? Neste momento estou muito irada com Abbi Glines. De verdade. Se eu pudesse lhe diria poucas e boas. Como ela foi capaz de destruir uma narrativa que tinha tudo para dar certo num fiasco total? Eu não entendo. 

Paixão sem Limites tem os ingredientes certos, mas a mão que preparou a receita errou feio. Uma dos elementos imprescindíveis para o sucesso de uma narrativa é a sua fluidez, a química e a identificação com seus personagens, entre outros elementos que colaboram para seu bom desenvolvimento. E todos esses elementos estão ao alcance da autora e, ela os utilize até certo momento. Só que de repente ela desiste da receita e deixa o “bolo” solar. Não! Não pode! 

Blaire mostra-se uma garota forte, determinada nos primeiros capítulos graças a todo sofrimento que tivera de passar. Resistiu bravamente a perda da mãe e da irmã e quando ela tem a oportunidade de se mostrar tão forte quanto o que ela faz? Abaixa as calças, literalmente. Lamentável! 

Rush faz o tipo gostosão, meio bad boy, meio ursinho Blau Blau. No começo da narrativa ele mantém a pose de durão, mas num passe de mágica ele se torna uma pessoa frágil. Normal, né? Nesse caso, não. O comportamento de Rush soa falso assim como a transmutação de Blaire. De mulher a mocinha. De bad boy a ursinho Pooh. Tudo num simples passe de mágica. 
Tão rápido como o Papa- léguas a narrativa de Abbi Glines passa despercebida. Li o livro em pouco mais de duas horas e tive a impressão que estava assistindo um programa tipo Casos de Família. Mau gosto num curto espaço de tempo. 

Rush e Blaire formam um casal até bonitinho, mas não convence. As cenas do casal também deixam a desejar. Em certos momentos a autora conseguiu transformar cenas de amor em algo patético, digno de boas risadas. O que realmente me incomodou foi à maneira como a autora conduziu a aproximação do casal. Abbi Glines não conseguiu sustentar alguns argumentos ao longo do livro. Até mesmo a grande revelação que impossibilita a união do casal não tem sequer relevância. A ação dos personagens é totalmente exagerada. Enfim, Paixão sem Limites é um conjunto de gafes consecutivas. Personagens mal explorados, narrativa fraca e enredo raso. 

Gostei dos personagens secundários. A começar por Grant, o irmão postiço de Rush. Super simpático, uma graça. Woods, o gerente do clube country onde Blaire trabalha também é um fofo apesar dos pesares. A única exceção é Nan, a irmã caçula de Rush que é uma pessoa intragável. Parece ter saído daqueles filmes chatos da Disney. Superficial, fútil, mimada, irritante. Em determinados momentos tais personagens transitam na narrativa aleatoriamente. Temos a impressão que eles só estão ali mesmo pra encher linguiça. Ou seja, se Abbi Glines não conseguiu se aprofundar nem nos personagens principais, não seria com os secundários que ela os faria. 

O que favorece a leitura é o fato do livro possuir poucas páginas. Sendo a narrativa relativamente curta nem percebemos a aproximação de seu desfecho. 
Abbi Glines não me surpreendeu, muito menos conseguiu me convencer. Porém sou persistente. Irei continuar a leitura da série. Já estou lendo Tentação sem Limites, o segundo livro e, espero sinceramente que ela consiga reverter esta situação. Como fã do gênero ficaria muito triste se esta série fosse a primeira a me decepcionar. Por isso, vamos adiante. Tentação sem Limites está logo ali.





FICHA TÉCNICA
Título: Paixão Sem Limites
Autor(a): Abbi Glines
Tradutor: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro 
Número de Páginas: 192

Você também pode gostar

2 comentários

  1. Sério Zilda? Puxa, eu curti a leitura! Adorei o casal e ainda mais o drama, de alguma forma me identifiquei com o drama vivido pela Blaire! Estou com a continuação aqui e devo ler em breve. Claro que eu não curti tanto como por exemplo curti Belo Desastre... Mas curti... E lerei até o fim.

    ResponderExcluir
  2. Oi Zilda, nossa eu curti tanto este livro, mais literatura é assim mesmo, uns gostam e outros não, no meu caso eu adorei a narrativa da autora e gostei muito dos personagens..

    Beijinhos Mila
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto