|Resenha| The 100, Os Escolhidos - Kass Morgan @galerarecord

terça-feira, maio 27, 2014


“Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. Cem delinquentes juvenis – considerados gastos inúteis para a sociedade restrita – serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles... ou uma missão suicida.”



Depois um longo período de boas leituras eis que me deparo com uma história insossa e extremamente cansativa. Até o momento The 100 é sem dúvida um dos piores livros que li durante o ano. Muito burburinho se fez por causa desse lançamento e, confesso que não fiz parte da galerinha que aguardava ansiosamente por ele. Não tenho o costume de acompanhar séries de TV e, assim que tomei conhecimento da sua existência cheguei a pensar que talvez fosse uma boa oportunidade de conhecer o livro. Porém, acho que o projeto do livro em si é um equívoco, pois The 100 é aquele tipo de história que funciona somente para as telas da TV, no máximo para o cinema. 

A premissa do livro em si é interessante, mas Kass Morgan se perdeu ao longo da narrativa. Por um momento cheguei a pensar que se tratava de uma história pós-apocalíptica, mas com o decorrer da leitura identifiquei pequenos desvios que se perpetuaram ao longo da narrativa. A começar pelo foco principal do livro. 

Após uma guerra nuclear a Terra foi devastada e deixou de ser a morada dos humanos que passaram a viver em naves espaciais. Cem jovens considerados delinquentes e um estorvo para a sociedade são escolhidos para retornar a Terra com o intuito de reabitá-la. Dentre os cem escolhidos, quatro histórias se cruzam e passam a fazer parte da novela mexicana de Kass Morgan. Talvez se Kass tivesse focado nos conflitos entre os tripulantes já seria um bom começo, mas não, ela simplesmente esquece o seu propósito e passa a narrar conflitos amorosos de seus protagonistas. Pouco importa se fulano gosta ou não de ciclano quando o objetivo principal é retornar a um planeta que fora devastado. 

Outro “câncer” provocado por Kass é a maneira como ela construiu seus personagens. Num primeiro momento esperamos que os delitos cometidos pelos tais delinquentes sejam explicados, ou pelo menos apresentados com clareza e, mais uma vez o que Kass faz? Ela simplesmente lança algumas informações soltas no ar e no espaço para que o leitor tente encontrar algum sentido. Ainda bem que não criei nenhuma expectativa em relação à leitura, pois seria ainda mais difícil de encarar a decepção. 

O livro é apenas uma breve introdução. Nele conhecemos a história de quatro personagens que foram escolhidos para retornar à Terra como uma segunda chance, já que todos os jovens que tivessem cometido algum tipo de delito tinham como única opção o julgamento e a morte após completarem seus 18 anos de idade. Pode-se dizer que não era lá uma das melhores opções, já que muitos não acreditariam sobreviver num planeta que fora completamente dizimado. 

Como se não bastasse Kass criou seus personagens sem fugir do modelo estereotipado. Clarke é a figura emblemática da mocinha perfeita, inteligente, perspicaz, aquela que busca por justiça e pelos direitos dos outros. Wells é o mocinho, o partido cobiçado por todas as meninas da Colônia. Filho do Chanceler, oficial da Colônia que tem a sua frente um futuro brilhante, mas que decide deixar tudo isso para trás para proteger sua amada dos perigos que a cercam. Oh!!! Wells nem de longe convenceu como figurinha moldada a príncipe encantado das galáxias. 

Bellamy é um dos poucos personagens que justificam sua existência na narrativa fazendo jus ao perfil “encrenqueiro sim, mas sou do bem”. Finalizando a trupe da nave temos Glass que também deveria fazer parte do grupo que foi enviado a Terra, mas que por motivos óbvios conseguiu fugir a tempo. É através dos seus relatos que passamos a conhecer melhor os pormenores de se viver dentro da nave. Nesse ínterim, a narrativa segue rumo à total escuridão. Pouca ação, trama rasa, personagens mal desenvolvidos. Ou seja, resquícios de um projeto a ser melhorado a partir dos próximos volumes da série. 

O engraçado nisso tudo é que tive uma leve impressão que já tinha “visto” esse mesmo enredo ambientado em algum desses realitys shows da vida, quase que uma mistura de Lost e No Limite. Bizarro, né? Enfim, previsibilidades à parte hei de se seguir adiante. 

Vamos acompanhando a história sob a perspectiva dos quatro jovens. Dos 100 escolhidos passamos a entender a razão pelo qual eles se encontram nesta situação e, isso se deve aos inúmeros flashbacks contidos ao longo da narrativa. Aliás, não gostei e achei totalmente inapropriado e cansativo tal recurso. Acredito que bastaria apenas a autora apresentar os personagens cada um a seu tempo, ou ainda que ela os apresentasse separadamente, mas essa coisa de narrar no presente e voltar a todo momento ao passado é como andar dentro de um labirinto. Fora o fato de que alguns personagens ficaram à deriva completamente somente para justificar a existência de outro. 

Para um livro do gênero a única coisa que se espera é muita ação, a não ser quando essa falta seja intencional para que no próximo volume da série ela seja inserida dentro do contexto, mas acredito que este não é o caso. Poxa vida! Cem jovens são escolhidos para retornar à Terra sem saber o que os aguarda e na chegada o que acontece? Nada? Um ou dois corpos sem vida? Dãh... 
Kass Morgan estava muito mais preocupada em narrar o coração partido dos tripulantes do que relatar a viagem e os perigos em si. Agora, não se sinta desestimulado a ler o livro, pois nos últimos quarenta e cinco segundos da trama Kass dá um "up" e deixando o leitor com cara de paspalho, desejando mais do que tudo por sua continuação. Nessa hora tudo o que eu mais desejei, de verdade foi jogar o livro na primeira fogueira que surgisse a minha frente. Pra quê? Por quê? Kass poderia ter me poupado pelo tempo de leitura desperdiçado. 

The 100 tinha tudo para ser um livro interessante, legal, mas deixou a desejar. Depois dessa experiência frustrante nem sei mais se quero assistir a série ou se irei continuar acompanhado a continuação da série nos livros. Acho que prefiro continuar em terra firme e deixar a história de Kass Morgan, literalmente ir para o espaço. Acho que é lá o seu lugar.





Título: The 100 - Os Escolhidos - Livro 01
Autor(a): Kass Morgan
Editora: Galera Record
Número de páginas: 287
Gênero: Distopia
Skoob


Você também pode gostar

12 comentários

  1. Bom dia Zilda,

    O marketing nesse livro é grande e esperava coisa melhor, bom saber dos detalhes dessa obra, se não tinha me animado muito, agora menos ainda...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Marco!
      Você disse tudo. The 100 é puro marketing. Nada além disso..rs
      Bjs!

      Excluir
  2. Oi Zilda!
    Estava até interessada em ler The 100, mas depois da sua resenha... bem... não mais! A primeira resenha que li dele já era negativa, mas achei que talvez fosse uma opinião isolada... mas, pelo jeito, o livro só é ruim mesmo! Que pena, porque a trama tinha tudo para dar certo... Esses recursos de flashback devem ser cansativos mesmo, e a falta de ação é inaceitável! Já vou riscá-lo de minha listinha! o.O
    Bjus,
    Paty Algayer - magicaliteraria.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Amiga!

    Esse livro já não tinha chamado minha atenção, ai li algumas resenhas e percebi que não fazia meu estilo. Hj sua resenha so me confirma que não devo ler.
    Boa resenha*

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ai graças a Deus!! Achei que eu era a única que não tinha gostado :P
    Achei tudo isso que você disse, resenhei assim mesmo, mas sem ferir ninguém. Já sei que teve quem adorou o livro, mas não funcionou.

    A premissa é incrível se você parar pra analisar, porém a autora usou algum tipo de entorpecente, só pode ser!!

    Amei sua resenha! Nisso concordamos e temos gostos parecidos!!

    Bjkssssss


    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Nossa, vi tantos comentários positivos que até estranhei quando já no primeiro parágrafo você diz que não gostou. É bem frustrante quando a gente espera uma coisa e vem algo bem diferente. =/
    Não é o tipo de leitura que me interessa, e agora não pretendo dar uma chance a esse livro nem tão cedo.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  6. Eu até que estava com vontade de ler esse livro porque sou completamente apaixonada pela série. Mas depois que li numa outra resenha que alguns personagens da série não existem no livro (que, por sinal, são os meus favoritos), desanimei na hora. Agora vejo que não vou perder muita coisa. Vou ficar só com a série mesmo. Poderia dar uma chance, talvez acabe gostando. ;)

    ResponderExcluir
  7. Oi Zilda, sua resenha para mim não foi nenhuma surpresa pois o Rafa leu e resenhou para o blog e a opinião dele foi a mesma que a sua, ele estava tão ansioso e criou expectativas para a história e no fim não passou de marketing, é tão ruim quando isso acontece...mas no mundo literário estamos sujeitos a encontrar de tudo né...eu não tinha curiosidade com a história e depois dessas opiniões...literalmente vou deixar o livro de lado. Como sempre você arrasou com a ótima resenha.

    Beijos!!!
    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não é o estilo que gosto. E pela resenha eu não leria. Você não é a primeira com opinião semelhante! Infelizmente esse tipo de livro se não tiver uma pegada do autor se torna um pouco massante! Excelente resenha como sempre Zilda!

    ResponderExcluir
  9. Oi Zilda?
    Sempre fico com um pé atrás com livros muito divulgados pelas mídias, dá um medo e é inevitável criar expectativas. Mas, confesso, que em nenhum momento tive vontade de conhecer esta história. Acho que nada me chamou atenção.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  10. Estava pensando em comprar o livro, mas, depois dessa resenha eu desanimei... A série é muito boa (na minha opinião) e não quero estragar com o livro...

    ResponderExcluir
  11. Pelo que eu estou vendo o livro realmente não é bom. Já a série, é fantástica. O foco é na situação e não em conflitos amorosos. Todas as pessoas q eu vi q leram o livro e q viram a série, a consideram anos luz melhor... seria uma injustiça desprezá-la por um livro ruim, até mesmo p quem n gosta de séries.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto