|Resenha| Apenas um Ano - Gayle Fornam @Novo_Conceito

quinta-feira, junho 18, 2015


Alguns dias atrás conclui a leitura de Apenas um Ano com um aperto no coração. Fiquei tão íntima de Willem e Allyson que não queria deixá-los partir. Foi difícil dizer adeus, apesar de torcer para que a editora Novo Conceito publique o conto Apenas uma Noite aqui no Brasil. O conto seria uma espécie de desfecho para a história de Willem e Allyson já que o final de Apenas um Ano deixa margens para tal conclusão. 


Em Apenas um Ano vamos dar início à saga de Willem em busca de sua Lulu (apelido carinhoso que dera a Allyson). Em Apenas um Dia ficamos a par de tudo o que aconteceu com Willem e Allyson. O romance vivido em Paris foi marcante para ambos, mas no primeiro momento é Allyson que disserta sobre a transformação que Willem causara em sua vida. Agora, é a vez de Willem descobrir a si mesmo. 

Neste segundo momento iremos conhecer os motivos que levaram Willem a se tornar uma pessoa tão perdida. No primeiro livro cheguei a acreditar que Willem tinha algum distúrbio emocional para se comportar como tal e...bingo! Ao iniciarmos a leitura de Apenas um Ano já conseguimos perceber que a vida do cara é bem problemática. E por conta disso, já conseguimos ligar algumas pontas soltas que foram deixadas em aberto no primeiro livro. 

O início do livro começa com Willem hospitalizado e com pequenas falhas na memória. Willem não se lembra de praticamente nada, nem mesmo de Lulu. Perdido e totalmente confuso, Willem sente que deixara alguém à sua espera. Com o passar dos dias a memória de Willem vai sendo retomada e o desespero em reencontrar Allyson é angustiante. Aparentemente recuperado Willem parte em uma jornada para reencontrar Allyson, mas o que Willem ainda não sabe é que terá de superar muitos obstáculos à sua frente, principalmente àqueles que dizem respeito a sua própria história de vida. 

Se no primeiro livro acompanhamos o amadurecimento de Allyson e toda sua peregrinação em cidades como Paris, Holanda e Amsterdã em busca de repostas; em Apenas um Ano é Willem que nos conduz a lugares paradisíacos e exóticos em países como México e Índia. 

Acompanhar a história de Willem e Allyson é como ingressar em uma aula de literatura inglesa através das peças de Shakespeare. Neste livro conhecemos um pouco mais sobre a história de Willem e o que o levou a viver tão longe de sua família. Assim como aconteceu com Allyson, a viagem de Willem representa muito mais do que um simples desejo de reencontrá-la. Willem precisa reencontrar a si mesmo, contudo, o amadurecimento de Willem demora um pouco mais a se tornar evidente; até porque sua bagagem é muito maior do que a de Allyson. Os problemas que envolvem o convívio com a mãe, por exemplo, são bem mais complexos. 

Não se iluda ao imaginar que Apenas um Ano é um livro romântico sobre o reencontro de dois pombinhos apaixonados. Gayle não é dessas. Em nenhum dos seus livros ela se deixa levar pela superficialidade. Gayle gosta de se aprofundar em suas histórias, expondo as transformações e o amadurecimento de seus personagens. Por isso, em nenhum dos dois livros encontraremos frivolidades e diálogos bobos em consequência do sentimento que os envolve. 


É claro que o amor é peça fundamental para que a história se desenvolva, mas não é o desejo que o move. Gayle faz com que o leitor possa interagir com o personagem colocando-se diante dos mesmos conflitos. A relação de Willem com a mãe representa um dos momentos mais marcantes da história. A partir dela que começamos a encaixar o quebra-cabeça que é a vida de Willem. 

"Às vezes o destino ou a vida, ou seja lá como queira chamá-lo, deixa a porta entreaberta e você simplesmente entra. Mas, às vezes, ela tranca a porta e é preciso encontrar a chave, ou arrancar o cadeado, ou colocar a porcaria da coisa para baixo. E, outras vezes, nem mesmo lhe mostra a porta, e é necessário construí=la por conta própria. Mas, se ficar esperando as portas serem abertas para você..."

Apenas um Ano é um livro adorável assim como seu anterior. O que lhes diferencia é a profundidade que ambos tem sobre o mesmo acontecimento. A perspectiva de Willem é bem mais sucinta do que a de Allyson. Aqui a existência dos personagens secundários é de extrema importância, já que todos contribuem de alguma forma para o crescimento de Willem. Gayle sabe como ninguém criar núcleos que tornam a narrativa mais rica. Não existe aquilo de estar presente apenas para preencher espaço. Os personagens transitam com naturalidade e vão deixando sua marca ao longo da narrativa. 

Apenas um Ano é um livro repleto de mensagens enriquecedoras. É um livro que permite o leitor ter uma visão mais ampla sobre as escolhas de cada um. Gayle Forman nos faz perceber que sentimentos como mágoa, insegurança e medo podem influenciar negativamente nossas decisões. Para amar alguém verdadeiramente, acima de tudo, é preciso amar a si mesmo. 

"Há uma diferença entre perder algo que sabia ter e perder algo que se descobriu ter. Uma é decepção. A outra é perda de verdade." 

É com pesar que termino essa leitura desejando ter mais um pouquinho de Willem e Allyson. Que a Novo Conceito ouça as súplicas dos fãs de Gayle Forman que, assim como eu, deseja o quanto antes ler o conto que encerraria essa história. 


Me acompanhe também nas redes sociais: FacebookTwitterInstagramSkoobGoogle+



Sinopse: Em Apenas um Dia, os momentos de paixão entre Allyson e Willem foram interrompidos de maneira abrupta, lançando a jovem em um abismo de questionamentos e dor. Agora a história é contada pela voz de Willem. Sem saber exatamente o que o atraiu na garota de olhos grandes e jeito comportado, o rapaz inicia uma busca obsessiva por pistas que levem até a sua Lulu mesmo sem saber sequer o seu nome verdadeiro.

Enquanto tenta compreender o mistério que os separou, Willem se esforça para costurar relacionamentos desgastados e procura respostas para o futuro. Mais do que uma aventura de verão, o encontro em Paris significou para ele o início da vida adulta. 



Título: Apenas um Ano
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352


Você também pode gostar

4 comentários

  1. Oi Lindona!
    Esse livro é ótimo, mas foi uma tortura para mim que queria ver os dois juntos, achei que ia começar do ponto que o primeiro parou e eu quero mais, quero um terceiro para ver o casal, mas a obra é incrível e gostosa como os outros livros da autora! Eu amei! Linda resenha! <3
    Beijos
    Paulinha Juliana - Overdose
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/06/resenha-herdeira-selecao-4-kiera-cass.html

    ResponderExcluir
  2. Zilda,

    Da Gayle só li "Se eu Ficar" e "Para Onde ela Foi" e me encantei mais com o segundo do que com o primeiro, gosto da escrita da autora e estou louca para ler essa outra duologia, até porque seus comentários sobre ela me motivam bastante a largar todos os outros livros e me jogar nessa leitura.
    Percebi que temos gostos literários tão similares que a gente seria capaz de brigar pelo mesmo livro se ele fosse o único exemplar numa livraria. Hahahahahaha

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    www.delivroemlivro.com.br

    ResponderExcluir
  3. oi flor, eu tinha muitas expectativas com a história, nem todas foram supridas entretanto, não que o livro seja ruim, ao contrário, mas algo faltou para torná-lo ainda mais especial
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/2015/06/resenha-vencedor-do-coracao.html

    ResponderExcluir
  4. Essa autora é fantástica! Já li todos os livros dela que foram lançados no Brasil (apenas um dia, apenas um ano, se eu ficar, pra onde ela foi e eu estive aqui - este último surpreendentemente envolvente!), e agora estou torcendo para que a Nova Conceito publique "apenas uma noite". Vamos fazer pressão no site da editora, meninas! :)

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto