Dominação e opressão: uma crítica à sociedade industrial avançada

sexta-feira, outubro 28, 2016


A democracia cria uma não-liberdade confortável? A sociedade extremamente industrializada interfere no direito e liberdade do homem? Se o indivíduo não fosse forçado a ter cada vez mais sucesso, ele morreria de fome? Essas questões são discutidas pelo Herbert Marcuse, no livro 'O Homem Unidimensional', publicado pela Edipro. A obra tem como intuito demonstrar os pontos negativos e positivos da sociedade industrializada.


Considerado um dos livros mais importantes da década de 60, O Homem Unidimensional, de Herbert Marcuse, reeditado pela Edipro, é considerado uma obra atemporal.

O livro disserta sobre a sociedade industrial avançada e as mudanças de produção, consumo, cultura, pensamento e organização social; que integra o indivíduo de forma mecanizada e muda suas perspectivas de forma negativa.

Douglas Kellner revela, na introdução à segunda edição, que o livro expõe o conformismo da sociedade diante de todas as formas de dominação e controle social. Kellner pontua que atualmente a teoria do autor continua procedendo, considerando que as formas de poder estão cada vez mais fortes e dominantes.

O livro trata de certas tendências básicas da sociedade industrial contemporânea que parecem indicar uma nova fase da civilização. Essas tendências engendraram um modo de pensamento e comportamento que mina os próprios fundamentos da cultura tradicional. A característica principal desse novo modelo de pensamento e comportamento é a repressão de todos os valores, aspirações e ideias que não podem ser definidos em termos de operações e atitudes validadas pelas formas dominantes de racionalidade. – Hebert Marcuse

O Homem Unidimensional analisa a sociedade altamente industrializada, independentemente da forma de governo, comunista ou capitalista. O autor acredita que ainda não foi alcançado um sistema que possa fornecer condições iguais a todos os membros participantes da sociedade. Embora Marcuse projete revelações pessimistas, ainda sim, expressa a esperança de um filósofo radical que almeja a liberdade e felicidade.

Ficha Técnica:
Editora: Edipro
ISBN: 9788572837620
Tradução: Robespierre de Oliveira, Rafael Cordeiro Silva e Deborah Christina Antunes
Número de páginas: 248

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto