|Resenha| Porque o céu é azul - Keila Medeiros

quarta-feira, outubro 26, 2016


Recebi o convite para resenhar esse livro há poucos dias atrás. Assim que li a sinopse fiquei bem curiosa para saber qual seria a abordagem da autora já que o livro era indicado para o público jovem. Foi meio que um Déjà Vu. Ao ler o primeiro capítulo é como se eu estivesse de volta ao colegial. A linguagem utilizada pela autora é um dos grandes acertos do livro, assim como a escolha do enredo.


Em Porque o céu é azul somos apresentados à Gabriele, uma jovem de 17 anos que está enfrentando o terror do primeiro dia de aula numa nova escola. Gabi já deveria estar acostumada, já que ela já passou por várias escolas ao longo dos anos. Morar em estados diferentes e começar tudo de novo fazia parte de sua rotina já que o pai era da Marinha. Contudo, Gabi não se sentia confortável com essa situação. Ela não conseguia fazer amizades e se relacionar com ninguém já que não sabia por quanto tempo ficaria naquela cidade.

A mãe de Gabi falecera quando ela tinha apenas quatro anos de idade e, desde então, era somente ela e o pai e, por conta disso, Gabi não tinha com quem dividir seus medos, dúvidas e aflições. Desde que sua mãe falecera, seu pai tornara-se um homem muito fechado. A relação de Gabi com o pai era de muito respeito, mas eles não eram muito próximos. Depois de morar em São Paulo, Gabi está de volta ao Rio de Janeiro, mas precisamente à cidade de São Gonçalo. Gabi não curtia muito a ideia já ela ficava muito distante do centro do Rio e não tinha muitos atrativos. (dica anotada)

Conhecer nova pessoas era um grande desafio já que Gabi era uma garota muito reservada e não se enquadrava em nenhum dos grupinhos da escola:

"Nas primeiras carteiras, os alunos popularmente conhecidos como CDFs ou nerds, aquele grupo de garotos e garotas que gostam de tomar banho de cuspe do professor; no meio, as descoladas, igualmente lindas e insuportáveis; no fundo, os garotos barulhentos divididos em atletas, retardados e palhaços, aqueles que sempre fazem piada, mas nem sempre têm graça. E, é claro, nos cantos da sala, escondidos feito sombras, o grupo misto dos nem-fede-nem-cheira, os que não são incomodados porque simplesmente ninguém os considera suficientemente interessantes pra isso."

O primeiro dia de aula de Gabi é aquele inferno que todo novato sabe exatamente como é. Tem sempre aquele pentelho que te inferniza, aquela galerinha do mal que decide pegar no pé dos novatos. Já nos primeiros minutos em sala de aula Gabi sofre bullying na frente de todos os colegas. Envergonhada, Gabi é só constrangimento até Lucas estender a mão para ajudá-la.

Lucas é o carinha mais gato e cobiçado de toda a escola e, Gabi sente um pequeno arrepio assim que ele a toca. Além de lindo, Lucas é gente boa, gentil e muito querido por todos. O único problema é que Lucas namorou com a garota mais nojenta da escola: Kátia – a capitã do time de vôlei. 

Gabi passa a ser alvo de bullying e Lucas decide fingir ser seu namorado. Mas Gabi nunca namorou ninguém na vida e não sabe lidar com a situação. Gabi não vê outra saída a não ser embarcar nessa mentira para que ela consiga sobreviver ao último ano do ensino médio.

"Antes de me sentar, olhei em direção ao meu defensor. Agora ele tinha mãos amigáveis, voz charmosa e o rosto mais impressionante que eu já tinha visto, um dos atletas com certeza...Ele é gaaato!Gato, com G maiúsculo, não pude deixar de pensar..."

Vamos agora analisar alguns pontos importantes que me chamaram bastante atenção. O livro é totalmente voltado para o público juvenil. A autora criou um universo muito particular e trouxe para o leitor o que de fato acontece dentro do ambiente escolar. Keila tem propriedade pra isso já que ela é professora de língua portuguesa e tem o contato direto com os alunos da faixa etária descrita no livro. A fala dos personagens, as gírias, o comportamento em sala de aula, tudo é muito real. Me peguei rindo de algumas situações porque lembrei da época em que estudava e tudo era exatamente igual.

Keila torna a narrativa tão agradável que é como se estivéssemos realmente vivendo tudo aquilo. Gabi é uma garota muito inteligente, bonita, mas que enfrenta um problema de autoestima recorrente da idade. A insegurança, o medo e todos os problemas que afetam os adolescentes são colocados de maneira muito objetiva fazendo com que o leitor possa compreender melhor esses desafios mostrando- lhes que existe uma maneira de superá-los.

A narrativa construída por Keila é bem simples e de fácil entendimento. O livro é repleto de mensagens positivas que enfatizam a importância e valorização da autoestima. Keila foi muito cuidadosa na escolha dos temas que serviram de base para a construção da narrativa. O livro vai abordar assuntos sérios como: bullying, sexo na adolescência, bulimia, o relacionamento entre pais e filhos e a expectativa e cobrança que os pais exercem sobre seus filhos.

Confesso que fiquei muito irritada com Gabi. Achei ela muito imatura, insegura, chata de galocha. Mas com o passar do tempo fui percebendo e compreendendo melhor seu comportamento. É interessante que a primeira coisa que a gente faz é justamente julgar a pessoa e suas escolhas não respeitando sua individualidade. O legal é perceber que todos agimos dessa maneira e por esse motivo acho que esse livro deveria ser distribuído em todas as escolas. É uma lição, um aprendizado para que jovens como Kátia possam aprender a lidar com as diferenças. 

Gostei muito do livro e adorei todas as citações e referências feitas por Keila ao longo da narrativa. Revivi minha adolescência e me senti um pouco próxima de cada personagem. Quero agradecer a confiança e dizer que foi delicioso conhecer o seu universo. Sortudos são seus alunos que tem uma professora incrível, sensível e talentosa para ensiná-los os verdadeiros valores da vida. Que todos tenham a oportunidade de conhecer essa linda história de amor, superação e autoconhecimento e que possam se reconhecer em cada um dos personagens. 

Foram muitos os trechos destacados ao longo da leitura, mas esse em especial, faz todo o sentido. Amei Keila! 

"Eu até gosto muito de ler. Na verdade, sou uma leitora compulsiva. Quando começo a ler um livro, me envolvo na história, me apaixono pelos protagonistas e não sossego até saber o final. Se nas aulas de Português falássemos mais de leituras e menos de objeto direto e indireto, com certeza seria muito mais interessante."

Porque o céu é azul é um romance com muitos clichês, previsível até certo ponto, mas indiscutivelmente bem construído e elaborado. E aquele final? Surpreendente, de arrepiar. Fez valer cada minuto. Recomendo a todos que curtam histórias românticas com uma boa dose de humor. Um livro leve, gostoso de ler e que merece um lugar especial na sua estante.

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto