|Resenha| Amor à segunda vista - Mhairi McFarlane @HaperCollins

segunda-feira, novembro 21, 2016


E se a pessoa de quem você mais fugiu no passado fosse agora de quem você precisasse? Anna era o patinho feio da escola, mas seguiu em frente e hoje, apesar de uma vida amorosa tragicômica, é feliz e realizada. Amor à segunda vista é sobre aceitar quem somos de verdade e ficar feliz com isso. Os leitores vão rir e lembrar que o mundo dá voltas, queridinha; afinal, tudo é possível, no amor e na vida.


Esse é o meu primeiro contato com a escrita de Mhairi McFarlane, apesar de ter outro livro dela aguardando pacientemente pela leitura na minha estante. Confesso que, o primeiro livro não me chamou atenção quando o recebi porque simplesmente, eu o julguei. Sim, confesso isso descaradamente. Achei que a trama parecia meio boba e tal e fui deixando o tempo passar até que, num belo dia vagando pela Amazon vi e me encantei pela capa de Amor à Segunda vista.

Antes que eu pudesse torcer o nariz, pois já sabia que se tratava da mesma autora, dei uma chance, li a sinopse e voilá! A trama era interessante e tinha toda a pegada de um chick-lit. Enfim, depois de quase um mês de leituras tensas que me fizeram chorar horrores eu precisava exatamente de uma leitura leve como esta. E vou contar um segredinho pra vocês: o livro é maravilhoso e me surpreendeu muito além do que eu esperava.

Sei que tem muita gente que torce o nariz e fala: _Ah!!Eu não gosto desse tipo de livro. A mocinha é sempre frágil, atrapalhada, chora demais pelo mocinho e blábláblá... Entendo perfeitamente esse tipo de julgamento porque, na grande maioria, é exatamente esse roteiro que encontramos em diversos livros do gênero. Mas, gostaria de dizer que como fã de carteirinha de gênero, posso afirmar-lhes que esse livro segue uma linha bem menos tendenciosa.

A história é iniciada com uma apresentação na Escola de Ensino Médio Rise Park, no último ano letivo de Aureliana Lessi. O Mock Rock era para ser uma simples apresentação escolar onde os alunos deveriam se vestir como um astro de rock, ou seja, era pra ser zoação mesmo, quanto mais idiota a fantasia melhor e, como se não bastasse o mico, o aluno ainda tinha que fazer uma dublagem. Esse tipo de atividade não era comum à Aureliana já que ela era a esquisita da escola. Era tida como a feia, gorda, desengonçada, sempre com o cabelo rebelde e esvoaçante, ou seja , Aureliana era o retrato da pessoa que sofria bullying desde que se entendia por gente. Mas era o último ano, todos estariam fantasiados e, essa era a chance dela participar das risadas em vez de ser o alvo delas.
Mas, as coisas não saíram como o planejado e, isso graças a James Fraser, o garoto mais lindo e cobiçado por todas as meninas da escola, inclusive de Aureliana.

James Fraser era o próprio rock star. Estiloso, popular entre as meninas e muito metido, isso fazia dele um verdadeiro idiota, pois para ser aceito ele andava com a galerinha podre que não media esforços para humilhar os excluídos. Sabendo da quedinha de Aureliana, James viu a oportunidade certa para colocá-la numa situação muito difícil. No dia da apresentação Aureliana sobe ao palco ao lado James e no momento em que o show começa Aureliana é atacada por toda a platéia com vaias, além de arremessaram doces na sua cara. Aureliana amava James, acreditava que ele estava ali por ela e que jamais seria capaz de humilhá-la de tal forma, mas agora já era tarde. Não havia mais o que ser feito. Era o último dia de aula, o último dia de humilhação da sua vida. Dali pra frente Aureliana tornaria-se uma pessoa muito diferente daquela ingênua garota do ensino médio.

Após essa breve passagem pelo ensino médio, Aureliana torna-se Anna, uma mulher linda, que superou a fase mais difícil da sua vida, deixando para trás o cabelo desgrenhado, o sobrepeso, os aparelhos no dente, ou seja, Aureliana agora, já adulta, é uma nova mulher. Apesar da transformação na aparência, Anna ainda é muito insegura com sua aparência mesmo que o espelho lhe mostre que ela se tornara uma linda mulher. 

Anna tornou-se uma mulher bem sucedida. Leciona História da Arte numa universidade, tem uma família muito unida e amigos leais. Contudo Anna ainda não encontrou o amor verdadeiro, a tal da cara metade, e olha que ela não poupa esforços para encontrar o verdadeiro amor. Anna participa de sites de encontros pela internet, mas isso não garante sucesso, óbvio. Os encontros e diálogos são sempre bizarros como é de se esperar e nos proporcionará momentos de boas risadas.

A mudança de James também é notória. Ele tornou-se uma pessoa apática, fria, e todo aquele brilho da juventude se esvaiu com o tempo. Hoje James trabalha numa agência de marketing com uma galera que ele mesmo descreve como hipsters livres, uma galera bem diferente de James. Mas certos hábitos não mudam nunca, pois  James continuam julgando as pessoas pela aparência. O fato é que James é um homem infeliz. Odeia trabalhar com aquelas pessoas, a mulher dos seus seus sonhos o abandonou e ele não quer que ninguém do trabalho saiba que ele foi abandonado pela esposa.

No meio de tudo isso uma recepção é organizada para reunir os ex-alunos da Rise Park. É aquele tipo de encontro que só acontece para constranger ainda mais as pessoas envolvidas. Todas as mulheres ficam reparando umas nas outras e todos ficam a se lamentar pelas mudanças drásticas que o tempo causara na aparência de cada um. mas o que todos não contava é que uma linda mulher misteriosa, vestida de preto chegaria à festa para arrancar suspiros e a admiração de todos os homens presentes.

Anna chega lacrando, mas o que ela não contava é que encontraria James, o seu grande amor da juventude. A tira colo de James está Laurence, seu amigo escroque dos tempos da escola. Ele é o primeiro a notar a presença de Anna que ao perceber se retira da festa o quanto antes, já que James continua a ignorá-la com tamanha arrogância. Já Laurence, como mulherengo de carteirinha irá fazer de tudo para descobrir a identidade de Anna, já que ninguém conseguiu reconhecê-la. Anna acredita ter superado uma fase muito importante da sua vida, o problema é que o destino não estava a fim de colaborar com seus planos já que ela e James acabarão tendo que conviver por um bom tempo juntos graças a um projeto da universidade onde James será o responsável pelo projeto digital. Daí pra frente conheceremos mais a fundo as transformações na vida de cada um e o que destino tem a lhes reservar.

Os capítulos irão se alternar para que possamos acompanhar o cotidiano de cada um. James tornou-se um bocó, aquele garoto pedante e confiante deu lugar a um homem apático, mal humorado e frouxo. Mesmo sendo traído pela mulher ele ainda continua apaixonado por ela. A mulher é um poço de antipatia e não dá a mínima para os sentimentos de James que fica arrastando a maior corrente por causa da lambisgoia. Mesmo sabendo que ela já está com outro cara, ele ainda cuida do gato que ela deixou pra trás como se em algum momento ela pudesse voltar para casa.

Mesmo após começarem a trabalhar juntos James e Anna levarão um certo tempo para se aproximarem. Ficamos apreensivos e ávidos pelo momento que James reconheça Anna, mas como eu disse anteriormente, a autora não segue um script certinho, deixa de lado o clichê que tanto estamos habituados nesse tipo de narrativa. O grande barato desse livro foi que autora não se ateve a certas frivolidades. Anna é uma mulher que superou uma fase difícil, que lutou muito para afastar seus fantasmas do passado. Ela é uma mulher adorável, inteligente, tornou-se uma linda mulher e ainda conta com os melhores amigos do mundo; duas figuras que trabalham num bar aonde Anna sempre vai após seus encontros com os carinhas da internet.

Gostei da maneira como a autora construiu a personalidade de cada um dos personagens. Conseguimos identificar pequenos gestos de humildade, lealdade, determinação que demostram que todo mundo que um dia sofreu alguma situação de bullying pode superar seus traumas. Uma das mensagens principais do livro é justamente fazer o leitor entender que cada um deve se amar do jeito que é, independente de qualquer coisa. Anna é o exemplo claro de muitas mulheres que sofrem todos os dias por não seguir o padrão imposto pela sociedade. 

Muitas mensagens estão claramente implícitas como o fato da mulher ser cobrada pela família que depois dos 30 ela já está ficando velha para casar, ou que nenhum homem gosta de mulher muito independente, com opinião própria, ou que muito menos busque um parceiro através de sites de internet. Apesar dos elementos explorado não estamos falando de um romance sexista, não, pelo amor de Deus. É óbvio que Anna é o foco da narrativa, contudo James também têm um papel importantíssimo. 

Outro positivo é o amadurecimento dos personagens. Estamos falando de uma narrativa sobre jovens que se tornaram adultos e, com isso, espera-se que eles ajam como tal. É bem irritante no gênero aquelas firulas que alguns autores utilizam para tornar a narrativa mais engraçada, mas que acaba saindo pela culatra. No caso de Amor à Segunda Vista é exatamente a veia sarcástica, os diálogos inteligentes entre Anna e os amigos que tornam a narrativa interessante, genial, peculiar.

Amor à Segunda Vista é um livro sobre empoderamento. É um livro que nos mostra a força que toda mulher tem dentro de si. Mhairi McFarlane cria uma narrativa deliciosa que nos convida a refletir sobre o papel da mulher na sociedade e na sua vida pessoal. Mostra-nos que não existe nada nem ninguém que nos impeça de sermos felizes, a não ser nós mesmos. Um dos grandes acertos foi justamente não transformar sua história num conto de fadas onde o patinho feio se transforma e vira um belo cisne. Existe toda uma transformação interna, uma questão de valorização, de aceitação. Para os mais afoitos que estão acostumados com o gênero e que esperam por muitos beijos roubados e cenas sincronizadas, sinto-lhes informar que não é isso que a autora apresenta ao longo da narrativa. E que bom, não é mesmo? O relacionamento é construído pausadamente, sem arroubos. É através da amizade e dos pequenos gestos que vamos conhecendo a personalidade de James e Anna e se apaixonando por esse casal que à primeira vista não têm nada em comum.

É um livro gostoso, com uma narrativa leve, fluída e bem descontraída. Uma verdadeira história que preza a o perdão e superação. Gostei tanto da escrita da autora que já tirei o primeiro exemplar que estava esquecido lá na minha estante, coitadinho. Foi uma leitura extremamente agradável e deliciosamente enriquecedora. Deem uma chance ao livro e fiquem de olho na autora porque ela é realmente muito talentosa.


Me acompanhe também nas redes sociais: 


Ficha Técnica

Título: Amor à Segunda Vista
Título Original: Here's Looking At You
Autora: Mhairi McFarlane
Editora: HarperCollins Brasil
Ano: 2015
Páginas: 384

Você também pode gostar

1 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto