Maria e Eu: a história emocionante de uma jovem que superou o abandono e a tortura sexual

segunda-feira, janeiro 23, 2017


Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos no Brasil, de acordo com pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Mas como apenas 30 a 35% dos casos de violência sexual são registrados, pode ser que essa relação seja "de um estupro a cada minuto", de acordo com Samira Bueno, cientista social e diretora do FBSP. O último dado sobre isso aponta que o país registrou, em 2015, 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais e no Distrito Federal.


Maria e Eu, obra da advogada Vanda Amorim que acaba de ser publicada pela Editora Letramento, traz um diálogo emocionante e sensível entre a jovem Maria e o leitor. Vítima de abandono e tortura sexual, a personagem narra detalhes impactantes sobre sua trajetória de vida, além da luta que enfrentou para superar o passado e recomeçar.

De origem simples e moradora de uma comunidade carioca, Maria sofria abuso sexual do padrasto desde os quatro anos de idade. Aos 12, a mãe deu a ela um prazo: a adolescente tinha dois anos para sair de casa. Abandonada, aos 14, e grávida de um filho que não queria, foi jogada a própria sorte.

"Com a barriga vazia de comida e cheia de uma criança que eu não queria, perambulei por horas pelas ruas do Rio de Janeiro, sem saber que rumo dar à minha história. Foi triste e humilhante. Passei o meu aniversário na rua, sem roupa, sem comida, sem dinheiro e sem nem um fio de esperança". (p. 34)

Mas, afinal, como aceitar a gravidez e um filho fruto de uma violência sexual e de anos e anos de abuso? Com uma linguagem acessível e envolvente, Vanda expõe, com muita delicadeza, a trajetória de uma jovem, vítima de um sofrimento motivado pelo abandono social, que favorece a brutalidade e a selvageria.

Ao abordar a violência contra a mulher, mais especificamente a violência infantil, a autora procura tocar o coração das pessoas e ao mesmo tempo fazê-las refletir. “O abuso sexual infantil é um problema gravíssimo e precisa ser combatido e a maneira em que eu posso ajudar é fazendo boas histórias, capazes de atingir o coração das pessoas, fazendo-as sensibilizar com o problema”.

Ao atuar nas áreas de psicologia e advocacia especializada em família, não faltaram histórias para inspirar a escritora mineira radicada em São Paulo. Acostumada a lidar com situações de muitas perdas, o mais encantador, segundo ela, é ver como as pessoas tem a capacidade de se refazerem: “Quase sempre chegam despedaçadas e duvidosas que um dia se reerguerão. Depois do sofrimento, na maioria das vezes, essas pessoas saem mais fortalecidas e prontas para novos enfrentamentos. Diante de tantas biografias marcantes e envolventes, não fica difícil criar histórias para contar”.

Baseada em história ficcional ambientada no Rio de Janeiro neste século e inspirada em situações reais, Maria e Eu espera levar uma mensagem de esperança, em especial às pessoas que vivem ou já viveram em situação de tortura.

O livro, além de poder ser adquirido separadamente, também compõe a Coleção Vanda Amorim, publicada pela Editora Letramento. O box traz, além deste lançamento, as obras Crocodilo Sonhador e Deus Não Abandona.

Ficha técnica:
Título: Maria e Eu
ISBN: 978-85-68275-95-5
Páginas: 144


Box Coleção Vanda Amorim
ISBN: 978-85-68275-99-3
Páginas: 656
Preço: R$: 89,90





Sobre a autora: 

Vanda Amorim, uma das representantes de romance contemporâneo de nosso país, é advogada, nasceu em Passos (MG), no dia 23 de abril de 1964, e vive em São Paulo há mais de duas décadas. Os temas de suas obras refletem a realidade das pessoas, seus dramas psicológicos, afetivos e sociais, predominando os relacionados à mulher e à criança. A autora procura tocar o coração das pessoas e ao mesmo tempo fazê-las refletir. “O abuso sexual infantil é um problema gravíssimo e precisa ser combatido. A maneira em que eu posso ajudar é fazendo boas histórias, capazes de tocar o coração das pessoas, fazendo-as sensibilizar com o problema”. Uma vez que atua na área da família, não faltam histórias para inspirar a escritora. Acostumada a lidar com o cotidiano das pessoas e situações de muitas perdas, o mais encantador, segundo ela, é ver como as pessoas têm a capacidade de se refazerem: “Quase sempre chegam despedaçadas e duvidosas que um dia se reerguerão. Depois do sofrimento, na maioria das vezes, essas pessoas saem mais fortalecidas e prontas para novos enfrentamentos. Diante de tantas biografias marcantes e envolventes, não fica difícil criar histórias para contar.” Outras obras da autora: Crocodilo sonhador, Deus não abandona e Uva, vinho e tulipas.

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto