|Resenha| Amor Imenso - Penelope Ward - @PlanetaLivrosBR

terça-feira, março 21, 2017


Desde garoto, Justin amava Amélia, que odiava Justin desde que ele se mudou para a casa vizinha à da sua avó, em Rhode Island. Não, nada disso. Amélia também amava Justin, mas um mal-entendido o fez pensar que a garota mais incrível do mundo não correspondia ao seu amor e, pior, o odiava.
Os anos se seguiram, e os dois tomaram caminhos distintos até que o destino – e um empurrãozinho de Nana, avó de Amélia – os reuniu novamente na casa onde se conheceram quando eram adolescentes. Obrigados a compartilhar o mesmo espaço, Justin – que aparece na casa de praia de Nana com a namorada – e Amélia vivem como cão e gato. Orgulhosa, a princípio ela não dá o braço a torcer ao amor que sempre sentiu pelo vizinho e reluta o quanto pode contra os encantos de um Justin, agora, mais
maduro e... muito mais atraente. Será que ambos resistirão à paixão e ao desejo que os incita desde a adolescência?


Há pouco terminei de ler Amor Imenso e confesso que não sei se conseguirei externar toda minha admiração por Penelope Ward. Sabe aquele livro que te ganha desde o início? Desde o primeiro capítulo? Pois bem, estou completamente encantada com a escrita da autora e, olha que esse é o meu primeiro contato com sua narrativa. 
Amor Imenso era uma das escolhas de leitura do mês oferecida pela editora Planeta e assim que me deparei com essa capa linda, diga-se de passagem, não pensei nem duas vezes. Mas, olha, vou contar uma coisa pra vocês: quando eu vi essa capa e li a sinopse, imaginei algo totalmente diferente do que encontrei. A capa me remetia a ideia de um livro hot sabe, muita pegação e cenas picantes, mas o que encontrei foi o oposto.

Tem pegação? Sim, mas não é esse o foco da história. Penelope Ward nos apresenta uma história belíssima de duas pessoas que se conheciam desde a infância e que, por um desentendimento acabam se afastando e voltam a se reencontrar somente quase uma década depois, ou seja, não se deixe enganar por uma capa ou sinopse, jamais.

Amélia e Justin eram amigos desde a infância. Amélia morava com a mãe, mas por conta do trabalho ela vivia mais na casa da avó que, também tomava conta de Justin enquanto seus pais trabalhavam. Justin morava na casa ao lado e logo, ele e Amélia se tornaram grandes amigos. Quando adolescentes eles não se desgrudavam. Amélia e Justin tinham uma conexão muito forte, mas após um desentendimento, Amelia acaba partindo sem dar explicações e vai morar com o pai. 

Justin e Amélia voltam a se reencontrar anos depois, graças à avó, que ao falecer deixou a casa de praia aonde ambos cresceram como herança para os dois. Justin e Amélia tomaram caminhos bem diferentes. Justin mora em Nova York, é músico, trabalha numa empresa de software e namora Jade, uma linda mulher que trabalha como atriz. Já Amélia leva uma vida bem menos glamourosa. Amélia trabalha como professora e foi recentemente traída e abandonada pelo noivo. Ambos decidem passar o verão na casa deixada pela avó, mas o que os dois não imaginavam é o quanto esse reencontro poderia afetá-los.

Justin mudou completamente. Tornou-se um homem rude, muito grosseiro, mas não menos atraente. Pelo contrário, a beleza de Justin é a primeira coisa que chama a atenção de Amélia, que não imaginava sentir-se tão abalada com sua presença. Só que Justin odeia Amélia, não faz o menor esforço para tratá-la bem e isso acabará tornando o convívio dos dois ainda mais difícil.
Amélia ainda se sente muito atraída por Justin, mas ele é grosso demais, minha Nossa Senhora! Que ódio desse homem! Gostoso sim, mas grosso demais. Foi difícil entender tanta grosseira. Mas calma lá, com o desenrolar da história saberemos o porquê de tanta amargura.

Estou completamente extasiada com essa história. Já disse que não imaginava nada parecido. Amei como a história do relacionamento dos dois se desenrolou, sem mimimi ou apelação. A história possui um ritmo leve, a narrativa de Penelope é fluida, envolvente, os personagens são adoráveis e encantadores.

Nossa protagonista merece com louvor o título de "mulher de verdade", sabe, aquela música música do Roberto Carlos? Então, Amélia não leva só o nome, mas faz jus a ele. Coitada da Amélia. Ela vê o cara que ela ama namorando bem ali na cara dela. O carinha a despreza de todas as maneiras e ela ainda o trata bem? Oi? Como assim? Essa mulher é boa mesmo. Agora é serio. Adorei a personagem. Amélia é inteligente, bem humorada, linda, determinada, corajosa, e tudo mais. É admirável seu comportamento. Nós sabemos o quanto é irritante ler um livro cujo a protagonista se faz de vítima o tempo todo. E olha que Amélia tem muito motivo para se lamentar viu, mas ela luta bravamente e isso fez toda a diferença.

No começo eu odiei Justin com todas as minha forças. Sério, mas com o decorrer da história fui me rendendo completamente. Apesar de rude, Justin é leal, tem bom caráter, se mantém fiel até o fim com seus princípios, não se deixando corromper em nenhum momento. Até Jade, a outra, aliás, a namorada de Justin, ganhou minha admiração. Aliás, Penelope está de parabéns em criar personagens tão inspiradoras, mulheres fortes, cheias de atitude. Amélia e Jade merecem o título de #girlspower 

Ao longo da história Penelope nos apresenta alguns flashback. A partir deles passamos a compreender alguns detalhes importantes da história. Além desse recurso, podemos dizer que a história de Justin e Amélia é narrada em dois verões. O primeiro aonde os personagens são apresentados. Acompanhamos as inúmeras investidas de Amélia na tentativa de se reaproximar de Justin que nem sempre serão bem recebidas. Somente na segunda fase do livro, pode-se dizer assim, a história toma outro rumo e ganha de vez nosso coração. Meu Deus do céu, quanto tiro, diga-se perfeição. Amor Imenso possui uma história tão intensa, tão fofa, tão maravilhosa que a gente corre o risco de ser redundante, de dizer que o livro é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O em caixa alta sim, porque não basta dizer que a história é fofa, deliciosa, arrebatadora...

Lembra que eu disse que a capa me fez imaginar algo totalmente diferente? Pois bem, quero parabenizar o capista pois ela conseguiu representar perfeitamente a imagem de Justin. As tatuagens, o olhar atraente. E olha que não tenho muito apreço por capas desse tipo porque, normalmente elas nunca conseguem representar perfeitamente os personagens. A edição e diagramação estão impecáveis. 

Penelope criou uma história crível, com personagens incríveis em uma trama real e envolvente. Amélia e Justin protagonizam cenas de tirar o fôlego, trocam diálogos inteligentes, sarcásticos, bem humorados. Já disse outras vezes por aqui, que adoro livros que exploram a amizade entre os personagens; relacionamentos embasados na amizade são sempre os melhores porque não há somente sexo, atração física e desejo. Existe sempre algo mais. É a troca, a confiança, a lealdade que os tornam palpáveis.

Esse é o meu primeiro contato com a autora e já posso afirmar que será o primeiro de muitos já que Amor Imenso entrou para a lista de favoritos do ano. Um livro que deixa aquele gostinho de quero mais, que a gente adoraria que fizesse parte de uma série tamanha sua perfeição. Uma história de um amor real, verdadeiro, um livro sobre segundas chances e recomeços. Indico a leitura a todos que amam histórias com relacionamentos baseados na amizade, que curtam uma boa dose de drama, mas nada muito exagerado, somente o necessário para deixar nosso coração bem apertadinho. Preparem-se para sorrir, chorar, suspirar e se apaixonar. Um livro perfeito para quem ama um bom romance.


Me acompanhe também nas redes sociais: 





FICHA TÉCNICA
Título: Amor Imenso
Título original: Roomhate
Autora: Penelope Ward
Editora: Planeta de Livros
Páginas: 252
Compre: Buscapé
Adicione: Skoob

Você também pode gostar

0 comentários

Obrigada pela visita! Sua participação é muito importante.

SIGA-ME NO INSTAGRAM: @zildapeixoto